Category: Cacilhas

Cantou-se os parabéns aos Bombeiros de Cacilhas

Os Bombeiros Voluntários de Cacilhas estão a comemorar o seu 127º aniversário com diversas iniciativas e a 15 de Janeiro procedeu-se ao
Hastear das Bandeiras, Instrução geral do Corpo de Bombeiros
E cantar os parabéns , com bolo e moscatel de honra.


Fotos: Clemente Mitra

Foto: Bombeiros Voluntários de Cacilhas

Foto: Bombeiros Voluntários de Cacilhas

Foto: Clemente Mitra

Almada 2018 Caramujo e Margueira (vídeo)

Vídeo)2018
A fábrica da moagem da Aliança e a Lisnave

Click aqui para ver as fotos

Almada 2018 Caramujo-Margueira

2018
A fábrica da moagem da Aliança e a Lisnave

Operação de elevação do submarino Barracuda | Cacilhas

Marinha Portuguesa
Publicado em 18 de nov de 2017

Esta operação de elevação visa tornar o submarino Barracuda mais visível e, ao mesmo tempo, facilitar o seu acesso, a partir do exterior, tendo em conta a criação do futuro núcleo museológico do Museu de Marinha em Cacilhas, fruto de um protocolo, assinado a 19 de dezembro de 2011, entre o Município de Almada e a Marinha Portuguesa.

Governo autoriza urbanização na antiga Lisnave

Por Bruno de Castro Ferreira|20.10.17

Cidade da água vai estender-se por 63 hectares de Almada, Barreiro e Seixal.

O Governo deu luz verde à construção de uma urbanização dos terrenos dos estaleiros da Lisnave, em Almada. O investimento de 1,2 mil milhões de euros já terá interessados, mas não podia avançar sem esta alteração legal. De acordo com o decreto-lei publicado ontem em Diário da República, 40 dos 45 hectares dos antigos estaleiros saem do domínio público hídrico e passam para domínio privado do Estado, o que permite avançar com a construção da chamada Cidade da Água. Assim, lê-se no decreto-lei, estão criadas as “condições para pôr em prática parte do Projeto Arco Ribeirinho Sul e dar um novo uso aos terrenos da Margueira […] no âmbito dos objetivos definidos no Plano de Urbanização de Almada Nascente, definido em 2009”. O projeto final inclui a construção de habitação, espaços culturais, de serviços e de lazer, hotéis e escritórios. Está ainda prevista a construção de uma marina e de um terminal de transportes. A Cidade da Água, da responsabilidade da empresa Baía do Tejo, estende-se por 63 hectares dos municípios de Almada, Barreiro e Seixal.

Ler mais em: ::> Correio da Manhã

Bombeiros de Cacilhas resgatam cão dentro de poço

“Este fim de semana efectuámos o resgate de um pequeno cão, que tinha caído no interior de um poço. Felizmente foi retirado sem ferimentos e entregue à GNR, pois aparentemente não tinha dono.”


Veja mais em ::::> Bombeiros Voluntário de Cacilhas

Almada-CIDADE DA ÁGUA MAIS PERTO

08/09/2017


O Conselho de Ministros aprovou ontem o Decreto-Lei que desafeta do domínio público e integra no domínio privado do Estado parte do terreno da Margueira (ex-Lisnave), e concessiona duas parcelas do domínio público à Baía do Tejo (Doca 13 e marina). A decisão abre portas à execução do Plano de Urbanização de Almada Nascente-Cidade da Água, elaborado e aprovado pelo Município, em vigor desde 2009.

Veja mais em::::> Câmara Municipal de Almada

Plano de Pormenor do Cais do Ginjal em consulta pública

O Plano de Pormenor do Cais do Ginjal está em consulta pública entre 25 de agosto de 2017 e 19 de fevereiro de 2018. Participe

Foi publicado em Diário da República, no dia 17 de agosto, o edital da Câmara Municipal de Almada que procede à abertura de um período de discussão pública da proposta de Plano de Pormenor Cais do Ginjal.

O período de discussão pública deste importante Plano de Pormenor decorrerá durante 120 dias úteis, com início no dia 25 de agosto de 2017 e final no dia 19 de fevereiro de 2018, encontrando-se aberto aos contributos que os cidadãos entendam durante aquele período.

A proposta de Plano e toda a documentação com ele relacionada estará disponível para consulta, a partir do dia 23 de agosto de 2017, nos seguintes locais:

– Em www.m-almada.pt/consulta

– Na Direção Municipal de Obras, Planeamento, Administração do Território e Desenvolvimento Económico, na Avenida D. Nuno Álvares Pereira, nº 67 em Almada, todos os dias úteis entre as 8h30 e as 15h00;

– Na Junta de Freguesia da Cacilhas, na Rua Liberato Teles, nº 6-A, em Cacilhas, todos os dias úteis entre as 9h00 e as 12h30 e entre as 13h30 e as 17h00.

Até ao final do período de consulta pública, poderão ser dirigidas à Câmara Municipal de Almada reclamações, observações ou sugestões sobre o conteúdo do Plano de Pormenor, as quais deverão identificar o assunto, o subscritor, o local concreto a que se referem e o objeto da exposição.

O Cais do Ginjal, que compreende uma frente ribeirinha superior a 80 mil m2, possui uma área de 1 km de extensão de ligação ao Tejo.

A sua localização, entre o Jardim do Rio, em Almada, e o terminal fluvial de Cacilhas, apresenta uma vista única para o rio Tejo e para Lisboa

Através deste plano pretende-se reabilitar o cais ribeirinho e criar habitação, hotelaria, comércio, serviços, apartamentos turísticos, espaços públicos – mercados das artes e diversos equipamentos de apoio.

Participe na vida da sua Freguesia e do seu Concelho.

A sua opinião é importante! A sua opinião conta!

Veja mais em::::> CM Almada

O Cais do Ginjal do futuro vai ter casas, lojas, jardins e restaurantes

O Cais do Ginjal do futuro vai ter casas, lojas, jardins e restaurantes

Banhado pelo rio, na margem esquerda do Tejo, o Cais do Ginjal tem, provavelmente, a melhor vista sobre Lisboa e tornou-se um ponto de paragem obrigatória para os turistas que chegam a Cacilhas e que ignoram os avisos de perigo repetidos ao longo de um quilómetro. Mas a degradação do Ginjal está com os dias contados. Os velhos edifícios que se estendem entre o terminal fluvial e o Jardim do Rio vão dar lugar a casas, lojas, restaurantes, espaços culturais e jardins.

A proposta de Plano de Pormenor para o Cais do Ginjal vai entrar, em breve, num período de 120 dias de discussão pública e a obra avançará “assim que aprovado e publicado o Plano e concluídos os projetos de infraestruturas”, respondeu fonte oficial da Câmara Municipal de Almada ao Observador, acrescentando que não há prazo para a sua conclusão.

A ideia é aproveitar o “clima económico favorável ao investimento e que se traduz em Almada numa procura crescente por parte de investidores interessados nesta área” para reabilitar o cais ribeirinho, com cerca de 80 mil metros quadrados, e criar habitação, hotelaria, comércio, serviços, estacionamento, miradouros, apartamentos turísticos e espaços públicos, como mercados das artes e diversos equipamentos de apoio.

Nas palavras do Presidente da Câmara de Almada, Joaquim Judas, este projeto permitirá aumentar o espaço público e a segurança, manter a memória histórica daquele local e consolidar a arriba, “ao mesmo tempo que valoriza o território e o bem-estar de quem cá vive e trabalha, através da criação de mais postos de trabalho, conseguindo-se também uma maior atratividade para o concelho e para a região”.

Quanto aos dois únicos restaurantes que existem no Cais do Ginjal — o Atira-te ao Rio e o Ponto Final — não terão de fechar portas quando as obras começarem porque “na área dos dois restaurantes a intervenção a realizar, após publicação do Plano e concluídos os projetos de infraestruturas, será essencialmente nas traseiras para permitir um acesso ao Jardim do Rio e na frente para a consolidação do cais existente”, garantiu a mesma fonte da autarquia ao Observador.

veja mais em :::> Observador

Plano Municipal: Cacilhas vai ter nova cara e reclama “a melhor vista sobre Lisboa”

Depois da bem-sucedida requalificação da rua Cândido dos Reis, que atraiu mais investidores e deu novos usos à zona de Cacilhas, na margem sul de Lisboa, a autarquia da Almada quer agora apostar na requalificação do Cais do Ginjal.

A autarquia de Almada anunciou esta quarta-feira um novo plano municipal para o Cais do Ginjal, em Cacilhas. O projeto, ainda sem orçamento estimado, inclui a substituição dos armazéns industriais abandonados em frente ao rio por modernas residências, escritórios e praças temáticas, numa zona que reclama a “melhor vista sobre Lisboa”.

Segundo avança o jornal ‘Diário de Notícias’, depois da bem-sucedida requalificação da rua Cândido dos Reis, que atraiu mais investidores e deu novos usos àquela zona da margem sul de Lisboa, a autarquia da Almada quer agora apostar na requalificação do Cais do Ginjal. A candidatura já foi submetida ao programa 2020 e está a ser ponderada a criação do núcleo museológico da Marinha na zona, bem como uma mudança dos terminais rodoviário e marítimo.

“Precisamos de ligar a rua ao largo de Cacilhas e depois ao Ginjal. A Cândido dos Reis é o início de uma dinâmica que queremos para a entrada em Almada que é Cacilhas por via do rio”, afirma a vereadora Amélia Pardal ao ‘DN’.

O presidente da Câmara Muncipal de Almada, Joaquim Judas, não avança como um valor para a intervenção que abrange uma área superior 80 mil metros quadrados. O Ginjal pertence o grupo imobiliário Avelino Farinha e Agrela, que comprou o terreno à Galp, e que terá de dar o parecer final sobre o projeto. A proposta de requalificação da zona vai ser agora discutida na sede da autarquia e a admite-se a possibilidade de dentro de uma década ser possível dar uma nova cara ao velho Cais do Ginjal.

Veja mais em ::::> Jornal Económico

Seo wordpress plugin by www.seowizard.org.