Barreiro é ‘boa solução’ para terminal de contentores

Barreiro

O administrador principal das Redes Transeuropeias de Transportes, José Laranjeira Anselmo, afirmou hoje que o Barreiro é uma “boa solução” para receber o novo terminal de contentores, referindo que vão existir fundos comunitários para o projeto.

“O programa europeu tem 38 mil milhões [de euros] de fundos para serem aplicados no desenvolvimento da rede de transportes na Europa. A posição do Governo português parece ser clara e a posição da comissão é que o Porto de Lisboa é um dos eixos fundamentais do corredor atlântico e tem limitações de crescimento e expansão. O Barreiro poderia ser uma solução muito interessante”, afirmou.

Uma delegação da União Europeia, que além de Laranjeira Anselmo incluiu também Carlo Secchi, coordenador europeu para o Corredor Atlântico, visitou hoje o território do Barreiro, zona em estudo para receber o novo terminal.

“O Barreiro é uma zona que tem espaço para crescer, é industrializada e [a existência do terminal de contentores] podia ajudar também a resolver o problema dos resíduos existentes, tendo boas ligações rodoviárias e ferroviárias. Se Portugal apresentar esta solução, vamos encarar de forma muito positiva”, assegurou.

Laranjeira Anselmo disse ainda que tudo se conjuga para ser um projeto com interesse, lembrando o interesse de várias entidades privadas no projeto.

“Existem fundos europeus que podem ajudar numa planificação global e de planeamento, mas para fazer investimento vão ser as entidades privadas. Não vamos ter dinheiro para a parte privada, vamos ter dinheiro para a parte pública”, concluiu.

Também presente esteve Carlos Humberto, presidente da Câmara do Barreiro, que afirmou que o desejo da autarquia é que o projeto seja mais que um terminal.

“Queremos mais que um terminal. Queremos que seja um polo de desenvolvimento e criação de emprego, que ajude a potenciar o território da Baía do Tejo, o Arco Ribeirinho Sul e toda a região. Queremos um porto-cidade, que viva integrado e não fechado sobre si próprio”, frisou.

O autarca referiu que o novo terminal pode ajudar a revitalizar todo o território da Baía do Tejo, criando postos de trabalho.

Ler mais: O administrador principal das Redes Transeuropeias de Transportes, José Laranjeira Anselmo, afirmou hoje que o Barreiro é uma “boa solução” para receber o novo terminal de contentores, referindo que vão existir fundos comunitários para o projeto.

“O programa europeu tem 38 mil milhões [de euros] de fundos para serem aplicados no desenvolvimento da rede de transportes na Europa. A posição do Governo português parece ser clara e a posição da comissão é que o Porto de Lisboa é um dos eixos fundamentais do corredor atlântico e tem limitações de crescimento e expansão. O Barreiro poderia ser uma solução muito interessante”, afirmou.

Uma delegação da União Europeia, que além de Laranjeira Anselmo incluiu também Carlo Secchi, coordenador europeu para o Corredor Atlântico, visitou hoje o território do Barreiro, zona em estudo para receber o novo terminal.

“O Barreiro é uma zona que tem espaço para crescer, é industrializada e [a existência do terminal de contentores] podia ajudar também a resolver o problema dos resíduos existentes, tendo boas ligações rodoviárias e ferroviárias. Se Portugal apresentar esta solução, vamos encarar de forma muito positiva”, assegurou.

Laranjeira Anselmo disse ainda que tudo se conjuga para ser um projeto com interesse, lembrando o interesse de várias entidades privadas no projeto.

“Existem fundos europeus que podem ajudar numa planificação global e de planeamento, mas para fazer investimento vão ser as entidades privadas. Não vamos ter dinheiro para a parte privada, vamos ter dinheiro para a parte pública”, concluiu.

Também presente esteve Carlos Humberto, presidente da Câmara do Barreiro, que afirmou que o desejo da autarquia é que o projeto seja mais que um terminal.

“Queremos mais que um terminal. Queremos que seja um polo de desenvolvimento e criação de emprego, que ajude a potenciar o território da Baía do Tejo, o Arco Ribeirinho Sul e toda a região. Queremos um porto-cidade, que viva integrado e não fechado sobre si próprio”, frisou.

O autarca referiu que o novo terminal pode ajudar a revitalizar todo o território da Baía do Tejo, criando postos de trabalho.

Ler mais: Jornal da Região

Comments are closed.

Seo wordpress plugin by www.seowizard.org.