Nasce o Lisbon South Bay para atrair investidores estrangeiros para Almada, Barreiro e Seixal

lisbonbay2

A Baía do Tejo (BT), empresa do setor empresarial do Estado, e os municípios de Almada, Barreiro e Seixal uniram-se para atrair investidores estrangeiros e promover alguns dos terrenos que integram o projeto Arco Ribeirinho Sul. Nesse sentido, e após um estudo no qual foram realizadas mais de mil entrevistas, foi criado o “naming” Lisbon South Bay, que “vai levar a uma nova marca, que será agora trabalhada”, disse Jacinto Pereira, presidente do Conselho de Administração da BT.

De acordo com o responsável, que falava com o idealista/news à margem da apresentação do Plano de Marketing Territorial para o Arco Ribeirinho Sul, “o próximo passo é criar tudo aquilo que envolve a criação de uma marca”. ”Esta é uma marca forte, com base neste ‘naming’, com o objetvo de delinear um plano a nível de estratégia de marketing na promoção a nível nacional, mas sobretudo internacional. O objetivo é captar investimento”, contou.

lisbonbay3

Quando questionado sobre se este era o timing ideal para lançar este novo “naming”, já que Lisboa é considerada uma cidade que está na moda, Jacinto Pereira referiu que os terrenos do projeto do Arco Ribeirinho Sul também estão na capital, mas “do outro lado do rio”. “O timing é ideal. O aumento muito grande da força da marca Lisboa obviamente que valoriza esta nova estratégia”, explicou.

Durante o evento, que se realizou no Museu Industrial Baía do Tejo, no Parque Empresarial do Barreiro, o presidente da BT disse que o projeto Arco Ribeirinho Sul “está vivo e com muita saúde”, tendo agora “uma nova dinâmica e uma nova realidade”. O objetivo é construir e promover “uma região de referência à escala internacional”, sublinhou.

“Há que potenciar estes territórios”

Carlos Humberto, presidente da Câmara Municipal do Barreiro, considera que foi dado “mais um passo importante no caminho de projeção destes territórios para o país e para a Área Metropolitana de Lisboa” e que o “naming” escolhido dá “força à estratégia” pretendida no futuro. “É preciso potenciar estes territórios, aproveitá-los e reabilitá-los. Queremos atrair mais investidores e mais investimento”.

“Governo devia estar aqui”

Já Joaquim Judas, presidente da Câmara Municipal de Almada, lamentou a inexistência de um membro do Executivo na cerimónia. “O Governo devia estar aqui”, argumentou, sublinhado que o objetivo é “ir para a liga mundial”, numa alusão à qualidade dos terrenos em causa e à grandeza de investimento que pode ser feito pelos futuros interessados.

Entre os terrenos do Arco Ribeirinho Sul que são vistos como tendo grande potencial estão os que em tempos albergaram a Siderurgia Nacional, a Lisnave e a Quimiparque. Poderá ser no Barreiro, por exemplo, que funcionará o futuro terminal de contentores de Lisboa. Já em Almada, nos terrenos da antiga Margueira, está projetada a Cidade da Água.

Clica neste link para saberes mais informações sobre o Plano de Marketing Territorial para o Arco Ribeirinho Sul e sobre o Lisbon South Bay.::::> Idealista

Comments are closed.

Seo wordpress plugin by www.seowizard.org.