Nove pessoas desalojadas em Almada: “Foi acionada a emergência social”

Vereadora responsável pela área da Proteção Civil, Francisca Parreira, deixou mais informações sobre as duas famílias desalojadas na Charneca da Caparica.

Devido às condições meteorológicas adversas, a Câmara Municipal de Almada – Serviço Municipal de Proteção Civil (CMA – SMPC) informa que está a acompanhar o evoluir da situação, em estreita colaboração e articulação com a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil, agentes de Proteção Civil e demais entidades envolvidas.

Até às 13h desta quinta-feira, 19 de dezembro, no concelho de Almada, há registar a queda de um eucalipto, na freguesia da Sobreda, que provocou danos, ao nível da cobertura, em dois anexos, onde residiam dois agregados familiares, num total de nove pessoas.

O realojamento de emergência temporário em Setúbal, disponibilizado pela Linha de Emergência Social (144), foi acionado, mas as duas famílias desalojadas decidiram ficar por conta própria, numa unidade hoteleira da Costa da Caparica.

A Câmara Municipal de Almada continuará a monitorizar a situação, com uma avaliação constante durante o período de alerta.

Serviços da câmara vão avaliar as condições de habitabilidade do edifício.

A queda de uma árvore no Porto Brandão, Almada, na noite de quarta feira deixou nove pessoas temporariamente desalojadas. O acidente ocorreu pelas 20h07, na rua 1º de maio.

A árvore, de médio porte e que estava entre duas habitações, tombou e obrigou à intervenção dos bombeiros, com cinco operacionais.

As nove pessoas passaram a noite em casa de familiares.

Os serviços da câmara de Almada vão hoje avaliar as condições de habitabilidade do edifício.

Veja mais em:::::> Correio da Manhã

Mau tempo causa nove desalojados em Almada


O vento forte que se faz sentir um pouco por todo o país provocou a queda de uma árvore de grande porte, em Almada, tendo caído em cima de duas casas.

ste incidente provocou nove desalojados, sem consequências maiores e sem feridos.

O comandante Rui Laranjeira confirma que esta é a situação mais grave.

As vítimas estão agora a cargo dos serviços de ação social de Almada, com vista proceder às reparações das habitações.

São os primeiros estragos, provocados pela tempestade Elsa, que tem afetado, sobretudo a região de Braga e do Porto.

Desde a meia-noite, a Proteção Civil já registou cerca de mil ocorrências, sendo a maioria quedas de arvores e algumas estruturas.

O número de distritos sob aviso vermelho subiu para nove, anunciou o Instituto Português do Mar e da Atmosfera.

Com a previsão de rajadas de vento superiores a 100 quilómetros por hora

Veja mais em ::::> RTP

Comments are closed.

Seo wordpress plugin by www.seowizard.org.