Secretário de Estado do Ambiente visita trabalhos de Requalificação Ambiental no Barreiro

26/01/2018
Foi dado nota dos estudos, em fase de adjudicação, para avaliação de passivos existentes e enquadramento de candidaturas a fundos para nova fase dos trabalhos de remoção de resíduos nos territórios geridos pela Baía do Tejo.
Deu-se conta da obra de ligação da rede de saneamento do Parque Empresarial do Barreiro e zonas urbanas envolventes à ETAR da Simarsul.

visita do Secretário de Estado do Ambiente, Eng Carlos Martins, ao Parque Empresarial da Baía do Tejo no Barreiro, permitiu acompanhar de perto os trabalhos em curso de remoção de passivos ambientais nos territórios do Barreiro, na sequência da aprovação de candidaturas a fundos europeus para ações de requalificação ambiental e eliminação dos passivos históricos existentes nos territórios geridos pela Baía do Tejo.
Durante esta jornada de trabalho foi dado nota de várias questões que se prendem diretamente com um dos pilares importantes da missão da Baía do Tejo: a Requalificação Ambiental do território, nomeadamente nos parques de Barreiro e Seixal.

.Ponto de situação dos investimentos na requalificação ambiental dos territórios e da fase em que se encontra a remoção dos passivos no Barreiro e Seixal.

Com a execução das candidaturas já aprovadas para as pirites verdes e lamas de zinco, cujos estaleiros no Barreiro foram o alvo da visita do Sec de Estado, e com a remoção das lamas da aciaria e pós de goela, depositados no Parque do Seixal, cuja intervenção vai começar em breve, ficam concretizados os cerca de 13,3 milhões de investimento aprovado para requalificação ambiental destes territórios. Processos em que o Sec Estado Ambiente, Eng Carlos Martins, se envolveu diretamente há cerca de um ano e que agora veio confirmar execução.

. Foi dado nota dos estudos, em fase de adjudicação, para avaliação de passivos existentes e enquadramento de candidaturas a fundos para nova fase dos trabalhos de remoção de resíduos nos territórios geridos pela Baía do Tejo.

A Baía do Tejo encontra-se atualmente a preparar concursos para estudos ambientais de detalhe para duas zonas do Parque Empresarial do Barreiro e três do Parque Empresarial do Seixal, com vista à definição das ações de requalificação ambiental a candidatar a fundos comunitários.
Após aprovação e conclusão dos trabalhos desta nova fase, ficarão solucionados os passivos ambientais existentes nos Parques Empresariais Baía do Tejo de Barreiro e Seixal considerados como prioritários pela APA , Agência Portuguesa para o Ambiente.
O Sec Estado Ambiente, Eng Carlos Martins, anunciou “a disponibilização de cerca de meio milhão de euros para estudos para enquadrar novas candidaturas para eliminar as bolsas de resíduos que ainda existem nestes territórios”.
Com a nova fase de trabalhos, que se estima poderem ser concluídos até final de 2019, ficam resolvidos os problemas ambientais considerados prioritários e que se arrastaram durante décadas e foram motivo de forte preocupação por parte das populações.

. Deu-se conta da obra de ligação da rede de saneamento do Parque Empresarial do Barreiro e zonas urbanas envolventes à ETAR da Simarsul.

A intervenção vai iniciar-se na primeira quinzena de fevereiro (encontra-se em fase final de concurso). Com um investimento global de cerca de 1,1 milhão de euros, capital exclusivo da Baía do Tejo, esta infraestrutura vai melhorar de forma significativa as condições de ambiente do Parque Empresarial do Barreiro e de algumas zonas envolventes que ficarão também ligadas à ETAR. Esta é uma intervenção aguardada há décadas e que agora se vê, finalmente, concretizada.
De acordo com o Sec Estado Ambiente, Eng. Carlos Martins, “Esta obra de ligação da rede de saneamento à ETAR é também uma medida muito importante, uma vez que afasta do Tejo mais uma fonte poluente e melhora as condições do Parque da Baía do Tejo e zonas contíguas ao mesmo”
O trabalho de proximidade que tem sido desenvolvido entre a Baía do Tejo, o Ministério do Ambiente e esta Secretaria de Estado tem permitido acelerar o processo de requalificação ambiental dos territórios, que beneficiará não só os Parques Empresariais e empresas aí sediadas, mas principalmente as populações destes concelhos da margem esquerda do Tejo.

. Projeto Cidade da Água (Almada)

À margem desta questão das intervenções de requalificação ambiental, o Sec Estado Ambiente, Carlos Martins, referiu que “também é com agrado que dou conta do Decreto Lei recentemente aprovado que permitiu delimitar as áreas exactas dos terrenos do complexo da Margueira (estaleiros da antiga Lisnave, em Cacilhas), o que vai permitir avançar com os importantes projetos definidos para o local. Projetos que definiu “com enorme potencial e de elevada importância para a região de Lisboa e para o país”.

Jacinto Pereira, presidente do CA da Baía do Tejo, anunciou que para o projeto Cidade da Água, cujo desenvolvimento vai mudar definitivamente a face da região, estão já confirmadas formalmente cinco manifestações de interesse de grupos oriundos da China, EUA, Reino Unido e dois consórcios portugueses, para o desenvolvimento de um projeto que se estima implicar um investimento entre mil milhões de euros e 1,5 mil milhões de euros.
A sinalização destes territórios e a recolha destas manifestações formais de interesse são resultado do trabalho de promoção efetuado, principalmente desde há quatro anos, a partir da criação da ferramenta de promoção Lisbon South Bay e dos contactos continuados que vêm sido mantidos com estes e outros grupos com interesse nos ativos geridos pela Baía do Tejo.
Veja mais em ::::> ROSTOS

Comments are closed.

Seo wordpress plugin by www.seowizard.org.