Category: Seixal

Seixal no Portugal Smart Cities

11 abr 2018

Smart Cities. “A melhor maneira de prever o futuro é inventá-lo”

No meio do Atlântico, Ponta Delgada tenta transformar a periferia em centralidade. No meio da Península Ibérica, Portalegre chama a atenção para a ruralidade onde estão pessoas que querem fazer parte desse país rural. Na margem sul do Tejo, o Seixal procura resolver a distância que há por estar tão próximo de Lisboa. E em Viseu, querem-se carros a andar sozinhos. Os exemplos são vários e em comum têm todos uma coisa: são cidades que querem ser inteligentes e por isso, em vez de esperarem para ver o que lhes acontece, dedicam-se a inventar o futuro.

O que é uma cidade inteligente? As respostas podem ser muitas e raramente são objetivas. Uma cidade inteligente é um território capaz de se adaptar às mudanças — sociais, climáticas, económicas, tecnológicas —, fazendo uso da tecnologia, mas sobretudo da inovação. Albufeira, Ponta Delgada, Portalegre, Guimarães, Seixal e Viseu são seis exemplos de municípios empenhados no desenvolvimento de um território mais dinâmico e, por isso, mais inteligente. Até porque, atira Ricardo Costa, vereador da autarquia da cidade berço, “a melhor maneira de prever o futuro é inventá-lo”.

A inteligência urbana é capaz de “valorizar o poder local, que foi uma das maiores conquistas de Abril”, como diz Joaquim Santos, presidente da câmara do Seixal. Por isso, num evento dedicado à inteligência das cidades, nada melhor do que uma cimeira dos autarcas, para dar voz aos decisores políticos que estão mais próximos dos cidadãos.

Antes desta cimeira, no Centro de Congressos de Lisboa, houve uma volta a Portugal que pôs autarcas e técnicos municipais, empresas e universidades, a discutir o que é isso de cidade inteligente, a trocar ideias, a partilhar erros e falhanços e a aconselhar sucessos.

Veja mais em ::::> SAPO24

Seixal tem a melhor programação cultural do País

22/03/2018

A Câmara do Seixal recebeu na segunda-feira o prémio de Melhor Programação Cultural Autárquica de 2017, atribuído pela Sociedade Portuguesa de Autores. No Centro Cultural de Belém, em Lisboa, perante uma plateia composta por destacadas figuras da vida cultural e pública, a autarquia viu assim reconhecido o trabalho de excelência na promoção cultural que todos os dias é desenvolvido pelos trabalhadores da Câmara do Seixal, pelo movimento associativo popular e agentes culturais do Concelho. A Câmara do Seixal reconhece que a cultura “é uma das grandes apostas do concelho”, devendo a programação de 2018 contemplar de novo “grandes nomes da música portuguesa e estrangeira”. De acordo com o presidente da autarquia, “o Seixal é um município multicultural, com eventos de grande qualidade, que vão desde o Festival Internacional SeixalJazz às Festas Populares do concelho”, diz Joaquim Santos.

O presidente da autarquia, referiu na sua intervenção que “é uma enorme honra sermos distinguidos com este prémio. É também um enorme estímulo para continuarmos a investir na cultura, pelo que temos já para este ano um programa recheado de bons espetáculos mas também de apoio às nossas coletividades que muito contribuem para a promoção da cultura e para a formação de músicos com carreiras reconhecidas e repletas de sucessos”, sublinhou Joaquim Santos. O autarca lembrou ainda que “são muitas as vezes em que as autarquias se sentem sós, sem o apoio dos Governos e sem a existência de um trabalho estruturado e articulado, desde a Administração Central até ao Poder Local. São os municípios, como é o caso do Seixal, que assumem recorrentemente o papel que caberia a um Ministério da Cultura, situação que se torna urgente alterar. É por isso que este prémio é para nós um estímulo para continuamos a trabalhar diariamente para irmos ainda mais longe na promoção e oferta cultural e no incentivo à criação cultural nas suas diferentes expressões”.

Esta distinção atribuída pela Sociedade Portuguesa de Autores teve em conta a qualidade dos eventos que o município organiza e patrocina, bem como a diversidade dos públicos e a excelência dos trabalhos apresentados, designadamente na área da música. O Seixal é um município com grande dinâmica nas mais diversas áreas de intervenção, sendo a Cultura uma dessas áreas, com eventos de grande qualidade, que vão desde o Festival Internacional SeixalJazz às Festas Populares do concelho.
Pelos palcos do Auditório Municipal do Fórum Cultural do Seixal e do Cinema S. Vicente passaram, em 2017, mais de 100 espetáculos, entre vários nomes do panorama cultural nacional e internacional.
“A promoção da atividade cultural do concelho, que foi ontem reconhecida, é acompanhada por esforços de idêntico empenho na requalificação urbanística e na dinamização económica e social do concelho do Seixal, tornando-o num dos mais interessantes da grande Lisboa, em termos de qualidade de vida para trabalhar e para viver”, diz a autarquia.

Agência de Notícias com Câmara do Seixal

‘Lisbon South Bay’: uma marca na procura de investimento para antigas áreas industriais

15/03/2018

A empresa Baía do Tejo e os municípios do Barreiro, Seixal e Almada estão em Cannes, França, a promover os territórios das suas antigas áreas industriais, com o nome ‘Lisboa South Bay’ a ser essencial para captar investimento.

‘Lisbon South Bay’ é um projecto promovido pela Baía do Tejo, empresa pública, para requalificar os territórios das antigas áreas industriais da Quimiparque, no Barreiro, da Siderurgia, no Seixal, e da Margueira, em Almada, em conjunto com as autarquias, que se tem desenvolvido nos últimos anos.

“Criar uma parceira entre uma empresa do Estado, a Baía do Tejo, e três municípios é inédito no país. Surgiu na sequência de uma conclusão óbvia, que devemos estar todos a remar para o mesmo lado”, disse à Lusa Jacinto Pereira, presidente do conselho de administração da Baía do Tejo.

A empresa, que tem a responsabilidade sob os três territórios, e as autarquias estão a participar na maior feira internacional de imobiliário do mundo, o MIPIM, que está a decorrer em Cannes, na França.

“Com esta solução da marca ‘Lisbon South Bay’ criámos uma escala diferente e damos maior visibilidade e maior capacidade de promoção. Parece algo óbvio, mas não é algo que vejamos muito. Conseguimos chegar a uma plataforma de entendimento entre todos”, explicou.

Jacinto Pereira disse que a marca foi criada para “consumo externo”, referindo que não é possível estar em qualquer parte do mundo e falar do Barreiro, Seixal ou Almada.

“Não podemos ir a qualquer parte do mundo falar de Almada, Barreiro ou Seixal, temos que falar de Lisboa e da outra margem de Lisboa. Existe também outra razão, que é cavalgar esta onda de Lisboa, pois tem tido uma dinâmica e uma imagem extraordinárias”, disse, referindo que a ideia cada vez mais se mostra acertada.

No MIPIM, para além de procuraram investimentos para a antigas áreas industriais, os autarcas dos três municípios da margem sul desmultiplicam-se em reuniões e contactos para abordar outros projetos existentes nos seus concelhos, na procura de possíveis investidores, capazes de criar empreso e crescimento económico.

A presidente da Câmara de Almada, Inês de Medeiros, afirmou que utilizar a marca Lisboa é importante nestes eventos internacionais, referindo que “traz benefícios e não apaga a imagem e a identidade de Almada”.

Segundo a autarca, para além do projeto Cidade da Água, de requalificação dos antigos territórios da Margueira, procurou também abordar investidores para outros projectos no concelho, considerando que o balanço tem sido “interessante”.

Frederico Rosa, presidente da Câmara Municipal do Barreiro, concorda que o nome ‘Lisbon South Bay’ funciona porque “unifica os três territórios na margem sul”, afirmando que os concelhos são vistos como parte integrante da Área Metropolitana de Lisboa.

Jorge Gonçalves, vice-presidente da Câmara do Seixal, salienta que colocar Lisboa no nome veio fortalecer o projeto e o seu impacto no exterior do país.

Veja mais em ::::> Diário da Região

Câmara do Seixal exige que o Governo resolva a falta de barcos da Transtejo

14 de Março 2018

A autarquia do Seixal pede ao Governo que cumpra com o prometido e resolva “com urgência” os problemas nas ligações fluviais entre o Seixal e Lisboa. A Câmara Municipal considera que não é aceitável que continuem a ser suprimidas carreiras diariamente, prejudicando as populações.

O presidente do município, Joaquim Santos, considera que esta situação é “insustentável” e mostrou o seu desagrado pelas ligações fluviais terem sido substituídas por ligações rodoviárias nos últimos dias.

“O tempo que leva a travessia de um e de outro meio de transporte é totalmente diferente. As pessoas pagam os seus passes mensais para utilizar o barco e não o autocarro”, refere.

O autarca, que diz estar solidário com os utentes da Transtejo, lembrou também que “apesar das várias reuniões e reivindicações da autarquia, até ao momento nada foi feito, apesar de em Junho de 2017 o Ministério do Ambiente ter anunciado um investimento de 10 milhões de euros para o plano de manutenção da frota de navios da Transtejo e Soflusa”.

Recorde-se que no dia 9 de Outubro de 2017, o presidente da Câmara Municipal em conjunto com o presidente da União das Freguesias do Seixal, Arrentela e Aldeia de Paio Pires, António Santos, e vários elementos da Comissão de Utentes dos Transportes fizeram a travessia de barco como forma de mostrar a sua solidariedade para com a população.

“Nos últimos tempos os utentes do Seixal têm vindo a ver reduzido o número de carreiras diárias e que, apesar de apresentar milhares de reclamações, não obtém qualquer resposta. As inúmeras supressões de carreiras por parte da Transtejo têm sido alvo de reclamações e protestos por parte da população, que tenta assim ver resolvida a situação”, salienta a autarquia.

Segundo o município, desde 2011 já foram suprimidas 16 carreiras diárias e é notório que se tem vindo a “acentuar o desinvestimento da empresa na manutenção e reforço da frota”.

O transporte fluvial assume um papel de grande importância na mobilidade das populações, transportando cerca de 5 mil pessoas por dia para Lisboa, pelo que a Câmara Municipal “reitera a sua solidariedade para com a população na reivindicação de mais carreiras, mais investimento nas frotas e ainda a criação de novas carreiras que possam ligar os concelhos ribeirinhos do Seixal, Almada, Barreiro e Montijo”.

Veja mais em ::::> Diário da Região

Câmara do Seixal é a vencedora do Prémio Melhor Programação Cultural Autárquica 2017

O prémio será entregue na Gala do Prémio Autores, que se realiza no próximo dia 20 de Março, no Grande Auditório do CCB e com transmissão directa da RTP2.
+Info: http://bit.ly/Gala-SPA-2018

Autarcas do Seixal exigem manutenção de posto dos CTT


5 de Fevereiro 2018
HOJE NO EDIFÍCIO BÁLTICO / ADM. CTT
POPULAÇÕES, AUTARCAS E MOVIMENTOS E COMISSÕES DE UTENTES EXIGIRAM MANUTENÇÃO DAS SUAS ESTAÇÕES DE CORREIO.
O SNTCT ESTEVE LÁ!

Vieram de Alpiarça, do Seixal, de Paio Pires, de Camarate, de Loures, de Odivelas e, numa longa mas decidida descida até Lisboa, de Riba D’Ave.
Anónimos cidadãos utentes dos Correios e logo das respectivas Estações de Correio , Autarcas, representantes do MUSP e Comissões de Utentes.
Uma coisa os unia e vai continuar a unir: a defesa da manutenção das suas Estações de Correio como principal factor de proximidade e coesão territorial.
No final a comunicação de que no dia 23 estarão conosco em defesa do Serviço Público de Correios.
Amanhã deixaremos aqui mais pormenores.
Nota: na versão original do pist faltou-nos indicar a presença das gentes de Riba D’Ave. Aqui fica a rectificação aos homens e mulheres do Minho.

veja mais em ::::> SNTCT

Baía do Tejo recebe Promotores e investidores do sector imobiliário

01/02/2018

Visitam territórios de Almada, Seixal e Barreiro


Hoje, cerca de 60 membros da APPII – Associação Portuguesa de Promotores e Investidores Imobiliários, no âmbito de um evento promovido pela associação – Net Work trip APPII – visitou a margem sul com a finalidade de conhecer os activos da Baía do Tejo.

A APPII – Associação Portuguesa de Promotores e Investidores Imobiliários, é a associação responsável pela representação das maiores, mais importantes e mais activas empresas de promoção e investimento imobiliário, nacional e estrangeiro, com actividade em Portugal.
Hoje, cerca de 60 membros da APPII, no âmbito de um evento promovido pela associação – Net Work trip APPII – visitou a margem sul com a finalidade de conhecer os activos da Baía do Tejo.

Um olhar sobre Lisbon South Bay.

A iniciativa começou pela manhã, com uma viagem pelo Tejo, que permitiu aos membros da APPII ter uma visão, a partir do rio, sobre os territórios de Almada, Seixal e Barreiro – um olhar sobre Lisbon South Bay.
Os promotores e investidores do sector imobiliário, após a viagem pelo Rio Tejo, deslocararam-se até Cacilhas para tomar contacto directo com os territórios da Baía da Tejo – Cidade da Água – em Almada.
Posteriormente visitaram o territórios do Seixal e Barreiro, com uma visita guiada ao Museu Industrial.

Porta de entrada dos investidores internacionais

De sublinhar que a APPII é reconhecida como uma voz activa na defesa do sector imobiliário e considerada a porta de entrada dos investidores internacionais, sendo o ponto de encontro dos principais players do sector imobiliário e revelando-se um centro vivo de troca de ideias, experiências, conhecimentos e negócios.

Veja mais em :::> ROSTOS

Seixal vai ter Loja do Cidadão


O Município do Seixal, a Agência para a Modernização Administrativa, o Instituto dos Registos e Notariado, a Autoridade Tributária e Aduaneira e o Instituto da Segurança Social assinaram hoje o protocolo que tornará a Loja do Cidadão do concelho do Seixal uma realidade.

Após a assinatura, que decorreu nos Serviços Centrais, teve lugar uma visita ao edifício Alentejo, em Amora, que irá albergar o Espaço Cidadão, a Loja do Munícipe de Amora, e ainda os serviços do Instituto da Segurança Social, do Instituto dos Registos e Notariado e da Autoridade Tributária.

Veja mais em :::> CM Seixal

Autocarro desgovernado mata homem em Miratejo

31/01/2018

Vítima, de 70 anos, foi atingida pelo pesado de passageiros quando fazia jardinagem.

Um homem morreu esta quarta-feira à tarde atropelado por um autocarro em Almada. O acidente, apurou o CM, aconteceu por volta das 14h10, na Avenida Luís de Camões, no Miratejo, concelho do Seixal. A vítima, um homem com cerca de 70 anos, estaria a fazer trabalhos de jardinagem quando foi atingido pelo autocarro da empresa Transportes Sobre o Tejo. Alegadamente, o autocarro avariou, obrigando o motorista a sair. Nesse momento, o pesado de passageiros atingiu a vítima e um automóvel estacionado na rua. Foi necessário o auxílio de 20 bombeiros, apoiados por 10 viaturas, para proceder à retirada da vítima, que ficou presa debaixo do autocarro. O corpo já foi transportado para a morgue do Hospital Garcia de Orta. A PSP está agora a investigar este caso.

Ler mais em: :::> Correio da Manhã

Congresso debate em Viseu descentralização e reorganização de freguesias

Associação Nacional de Freguesias reúne-se no seu XVI Congresso com promessas de reabertura do dossier da reforma administrativa.

Foto: Pedro Matias

A descentralização de competências, a revisão das finanças locais, a reorganização territorial e o estatuto do autarca vão ser debatidos, entre esta sexta-feira e domingo, no XVI Congresso da Associação Nacional de Freguesias (Anafre), que se realiza em Viseu. Reunião magna começa no dia em que se soube que Governo vai alterar critérios de reorganização das freguesias até Junho.

O presidente da Anafre, Pedro Cegonho (PS), explicou à Lusa que o congresso vai debater “quatro eixos fundamentais”, em torno da descentralização de competências, revisão da Lei das Finanças Locais, “nova lei-quadro de criação, modificação e extinção de autarquias” e alteração do “estatuto do eleito local”.

A Anafre concorda com a proposta de descentralização, em apreciação no Parlamento, mas o autarca salientou que a associação está disponível “para aperfeiçoar” o mecanismo “de partilha de recursos, [em que] a transferência de competências seja por força de lei e não por força contratual entre municípios e freguesias”.

As freguesias, segundo a proposta do Governo, poderão assumir a instalação e gestão de Espaços do Cidadão, “em articulação com a rede nacional de Lojas do Cidadão e com os municípios”, mas também “pequenas reparações nos estabelecimentos de educação pré-escolar e do primeiro ciclo do ensino básico”, entre outras atribuições.<_o3a_p>

O também presidente da Junta de Freguesia de Campo de Ourique (Lisboa) adiantou que a associação só concluirá o seu parecer ao anteprojecto de revisão da Lei das Finanças Locais após o congresso, mas concedeu que “as propostas da Anafre estão incluídas” na mais recente versão de trabalho da proposta de diploma.

A revisão, no entanto, deve apontar para o duplo objectivo de “uma distribuição de recursos mais justa entre freguesias” e, “de uma forma global, aumentar os recursos do Estado” ao dispor destas autarquias locais, referiu Pedro Cegonho.

Após o chumbo no Parlamento de propostas do PCP e do BE para a reposição de freguesias, antes das eleições de 1 de Outubro passado, a Anafre defende uma nova lei-quadro de criação, modificação e extinção de autarquias, que permita corrigir situações da reforma imposta em 2013.

PS e Governo remeteram para depois das autárquicas a eventual correcção de erros da reforma do PSD/CDS-PP, que levou à redução para 3092 das 4259 freguesias antes existentes, mas o presidente da Anafre defendeu que o processo deve ter “em conta o novo quadro de competências que possa surgir de um processo de descentralização”.

A revisão do estatuto do eleito local, segundo Pedro Cegonho, recandidato à presidência por indicação do PS, que saiu vencedor das recentes autárquicas, deve contribuir para “uniformizar” a legislação e avaliar as condições ao dispor das freguesias para exercerem as novas competências.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, participa na abertura do congresso, no Pavilhão Multiusos de Viseu, onde os cerca de 1200 delegados debatem no sábado as linhas gerais de actuação para os próximos quatro anos.

No domingo de manhã, serão eleitos os órgãos da Anafre, cabendo ao PSD e ao PCP indicar os dois vice-presidentes da comissão permanente, e na sessão de encerramento participam o presidente da Câmara de Viseu, o social-democrata Almeida Henriques, e o ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, que tutela as autarquias.

Veja mais em ::::> Público

Seo wordpress plugin by www.seowizard.org.