Category: Seixal

Jovem detido por atacar PSP à pedrada no Bairro do Jamaica

Vídeo mostra violência no Seixal. Polícia adianta que foi chamada ao local por haver “uma desordem”.

vídeo de::::> Eurica Baixinha Boa Morte

Uma intervenção da PSP no bairro do Jamaica, no Seixal, na manhã deste domingo, obrigou ao uso da força por parte das autoridades. De acordo com moradores na zona, que filmaram a situação, três pessoas da mesma família foram agredidas à bastonada durante essa intervenção, no final de uma festa, que terminou já de manhã. A PSP adianta que foi chamada ao local por haver “uma desordem” que envolvia indivíduos do sexo feminino e ao chegar “os elementos policiais foram recebidos à pedrada”. Um agente da PSP foi atingido na boca e necessitou de tratamento hospitalar. “Um agente ficou ferido e em sequência houve uma intervenção na qual foi usada a força necessária para parar o ataque”. O jovem que arremessou a pedra, de 31 anos, foi detido. Fonte oficial da PSP adianta ainda que “o vídeo posto a circular na Internet apenas mostra parte do que aconteceu”. “Não filmaram os momentos anteriores à intervenção policial, que demonstram a forma como os elementos policiais foram recebidos e atacados”, acrescenta-se. “A PSP exerceu a sua autoridade e agiu em legítima defesa para manter a detenção e defender-se dos ataques violentos”, adiantou.

Ler mais em: Correio da Manhã

“Foi anunciado há pouco tempo o realojamento das pessoas que aqui vivem, melhor dizendo sobrevivem sem nenhumas condições. A julgar por estas imagens, ainda muito falta para que isso seja uma realidade. Não compreendo e muito menos aprovo este tipo de intervenção por parte das autoridades policiais e duvido que uma parte dessas autoridades também concordem. O homem vestido de azul que é agredido logo no início é inexplicável. A partir daí é tudo muito mau.”
Luís Filipe

Enfermeiros do centros de saúde de Almada e Seixal interrompem greve devido à gripe

18/01/2019

Os enfermeiros estão a lutar pelo direito às 35 horas de trabalho.

Os enfermeiros dos centros de saúde de Almada e Seixal, no distrito de Setúbal, vão manter a greve ao fim de semana, no atendimento complementar, mas decidiram esta sexta-feira abrir uma exceção para o “período da gripe”, informou fonte sindical. “Atendendo a tudo o que se passa neste momento com as questões da gripe, aos apelos que a população tem feito e à falta que os enfermeiros fazem neste tipo de atendimento, os enfermeiros farão uma exceção ao fim de semana e irão garantir este atendimento, mas exclusivamente no período da gripe, das 17h00 às 22h00”, explicou à Lusa a dirigente nacional do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP). Zoraima Cruz Prado falava após um plenário com os profissionais de saúde, onde houve uma votação e foi decidido que a greve aos fins de semana e feriados não afetaria o Plano de Contingência da Gripe. Apesar desta exceção, a dirigente sindical referiu que a greve no atendimento complementar se mantém, porque “não foram atendidas as reivindicações dos enfermeiros”, e que a paralisação “não tem data para terminar”. Os enfermeiros do Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) de Almada e Seixal encontram-se em greve desde 1 de dezembro devido à “atitude inflexível” da direção executiva, que determinou que o atendimento complementar aos fins de semana e feriados fosse “prestado no horário normal de trabalho”. Os enfermeiros estão, assim, a lutar pelo direito às 35 horas de trabalho e para que o atendimento complementar passe a ser considerado “horas extra”, como acontece com os restantes grupos profissionais.

Ler mais em: Correio da Manhã

Seixal – Autarquia aprova tomada de posição pela resolução dos problemas da Transtejo

Câmara quer assumir a gestão do parque de estacionamento do Terminal Fluvial do Seixal

A Câmara Municipal do Seixal aprovou hoje, em reunião de câmara, uma tomada de posição pela melhoria do serviço público de transporte prestado pela Transtejo.

O presidente da Câmara Municipal do Seixal, Joaquim Santos, lembrou que “desde janeiro de 2011, a Transtejo tem vindo a suprimir as carreiras que ligam o Seixal ao Cais do Sodré, prejudicando os munícipes que utilizam diariamente.

No que se refere à tomada de posição, entende a autarquia que o transporte fluvial no rio Tejo assume uma enorme e estratégica importância na mobilidade das populações da Área Metropolitana de Lisboa, estando constantemente a ser posto em causa por uma política assente na redução do número de trabalhadores e das ações de manutenção regular das frotas da Transtejo, conduzindo a vários cortes na oferta de transporte e à recorrente supressão de carreiras programadas.

O presidente da Câmara Municipal do Seixal, Joaquim Santos, lembrou que “desde janeiro de 2011, a Transtejo tem vindo a suprimir as carreiras que ligam o Seixal ao Cais do Sodré, prejudicando os munícipes que utilizam diariamente este meio de transporte nas suas deslocações, forçando-os a procurar alternativas, entre as quais o transporte próprio, com todos os inconvenientes que tal acarreta. O problema agudizou-se ainda mais recentemente, tendo em conta que o transporte fluvial Seixal-Lisboa e Lisboa-Seixal é efetuado apenas por uma embarcação, resultando em cortes diários de várias ligações”.

O autarca acrescentou ainda que “esta é uma situação conhecida, debatida, identificada e repleta de promessas sem que nada tenha sido feito, apesar das várias reuniões e reivindicações das comissões de utentes e da autarquia, e de, em junho de 2017, o Ministério do Ambiente ter anunciado um investimento de 10 milhões de euros para o plano de manutenção da frota de navios da Transtejo e Soflusa, promessa que o Governo veio a reiterar em 2018”.

No documento aprovado, a autarquia exorta o Governo a intervir de forma eficaz neste processo e a avançar para a aquisição urgente de embarcações capazes de garantir a regularidade das ligações fluviais entre o Seixal e Lisboa, sendo que até lá é fundamental que se colmate a insuficiência de barcos da Transtejo através do recurso a soluções de curto prazo que resolvam o problema. É ainda solicitado que a Câmara Municipal do Seixal possa assumir a gestão do parque de estacionamento do Terminal Fluvial do Seixal, exigindo tratamento idêntico ao adotado para o Cais do Seixalinho, no Montijo.

Veja mais em ::::> ROSTOS

Comissão Política de Secção do PSD Seixal Retira confiança política ao vereador Manuel Andrade Pereira

21/12/2018

A Comissão Política de Secção do PSD Seixal, decidiu por unanimidade retirar a confiança política ao vereador eleito na Câmara Municipal do Seixal, Manuel Pires de Andrade Pereira, demarcando-se formal e institucionalmente das respetivas posições políticas e decisões executivas que possa vir a tomar.

A sua atuação na Câmara Municipal do Seixal não cumpre a função primordial dos seus mandatos políticos que é a representação do partido que o elegeu, seguindo posições políticas individualistas, não respeitando o programa apresentado pelo PSD nas autárquicas de 2017, defraudando as expectativas que os eleitores depositaram em nós.

Foi expressa a vontade da população do Seixal nas últimas eleições autárquicas em acabar com a maioria da CDU no Concelho do Seixal. O PSD Seixal comprometeu-se em fazer diferente, ser responsável e sério, mas como diz o Presidente Rui Rio, nunca servir apenas de muleta do poder.

O PSD Seixal não pode aceitar, nem se revê, na cumplicidade que o vereador eleito pelo Partido Social Democrata tem com a CDU. Ficou assim comprometido o princípio de lealdade, solidariedade, respeito e da confiança entre as partes envolvidas, numa sequência de ações contraditórias que culminou com a votação das Grandes Opções do Plano e orçamento para 2019, contra a orientação expressa que lhe tinha sido dada pelo Partido Social Democrata.

Portanto e por tudo isto a relação institucional com o vereador Manuel Pires de Andrade Pereira, tornou-se verdadeiramente insuportável, não restando assim outra alternativa que não seja a total perda da confiança política que agora se anuncia para os devidos efeitos.

Fonte – PSD

GNR caça arsenal a agressor no Seixal

Homem de 57 anos era ainda suspeito de violência doméstica sobre a mulher

João Tavares
20/12/2018


Militares do Núcleo de Investigação e de Apoio a Vítimas Específicas de Almada detiveram um homem de 57 anos, suspeito de violência doméstica sobre a mulher, um ano mais nova, em Fernão Ferro, no Seixal. Ao agressor, a GNR apreendeu quatro caçadeiras de calibre .12 – com 292 munições – e uma pistola 6,35 mm. A vítima era ameaçada e agredida.

Ler mais em: Correio da Manhã

Novo passe da área de Lisboa permitirá poupar mais de 100 euros a milhares de pessoas

Os 18 concelhos da Área Metropolitana de Lisboa terão um passe único em abril de 2019.


Os 18 concelhos da Área Metropolitana de Lisboa (AML) terão um passe único em abril de 2019, no valor máximo de 40 euros, permitindo uma poupança que, para milhares de passageiros, pode ultrapassar os 100 euros mensais. O novo passe único permitirá ainda simplificar o complexo sistema de títulos de transporte, que atualmente tem cerca de 2.000 combinações possíveis. Um casal que se desloque diariamente entre Setúbal e Lisboa, usando o comboio da Fertagus, o Metro e a Carris paga atualmente pelos dois passes 317,5 euros (158,75 euros cada). O custo para esta família subirá 63,50 euros, para 381 euros, se, por exemplo, existir um filho com menos de 23 anos que se desloque diariamente para estudar numa universidade em Lisboa. A partir de 01 de abril, com o custo máximo de 40 euros por passe e de um máximo de 80 euros por agregado familiar, o mesmo casal e o filho pagarão apenas 80 euros. Mais a norte, quem vem de Mafra paga mensalmente 154 euros por utilizar a linha da Mafrense até ao Campo Grande e a Carris e o Metropolitano para se movimentar em Lisboa. Da Malveira, também no concelho de Mafra, o preço do passe que permite utilizar os mesmos transportes é de 117,25 euros mensais. Estes são dos exemplos mais onerosos nas deslocações dentro da AML.

Ler mais em: Correio da Manhã

Setúbal é o distrito com mais mortes na estrada

5/11/2018

Morreram 422 pessoas nas estradas do País nos primeiros 10 meses do ano.

Nos primeiros 10 meses do ano, 422 pessoas perderam a vida em acidentes nas estradas portuguesas. Mais duas vítimas mortais comparadas com o mesmo período de 2017 (mais 50 do que em 2016). Números da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária revelam que o distrito de Setúbal é o mais sangrento do ranking. Nas estradas sadinas já morreram 61 pessoas, mais 15 do que em 2017. O aumento do número de mortes poderá ser explicado pelo crescente número de acidentes. Em 2017, as autoridades policiais registaram 106 986 acidentes de norte a sul do País. Este ano, e até 31 de outubro, esse número já ultrapassou os 109 mil (109 030). Setúbal aparece no topo da lista de vítimas mortais mas, contudo, está fora dos quatro distritos com mais acidentes. Em primeiro lugar encontra-se Lisboa, com 21 744 sinistros, dos quais resultaram 42 vítimas mortais. Segue-se o Porto com 19 603 acidentes, há a lamentar 46 mortos; Braga (9255 acidentes e 25 mortes); Faro (9180 acidentes e 28 mortes) e, por fim, Setúbal. Os números da ANSR continuam elevados quando se faz a contabilidade de feridos: 1739 pessoas sofreram ferimentos graves (1834 em 2017) e 33 742 apresentaram ferimentos ligeiros (34 488 no ano passado). Apenas três distritos revelam números inferiores a uma dezena, no que diz respeito a vítimas mortais. Portalegre registou cinco vítimas, seguindo-se Bragança e Viana do Castelo com seis cada.

Ler mais em:Correio da Manhã

Jovem arromba casa para comer no Seixal

03 de Novembro 2018

Foi denunciado por operários de um prédio em construção.

A PSP do Seixal prendeu um homem de 22 anos, apanhado em flagrante dentro de um apartamento que arrombou e onde se alimentou e furtou diversas peças de vestuário e outros artigos. A detenção ocorreu pelas 15h10 de quinta-feira e, segundo o que fonte policial disse ao CM, o jovem foi denunciado por operários de um prédio em construção.

Ler mais em: Correio da Manhã

O dia em que um jovem autarca comunista resolveu aliciar o grande capital

4de Outubro 2018

Nuno Botelho


Quer ver no seu território gruas a construir hotéis, marinas, habitação de luxo e, mais ao largo, empresas de serviços e algumas da área industrial. Joaquim Santos, presidente da Câmara Municipal do Seixal, promete ainda casas 40% mais baratas que em Lisboa.

Ou o mundo já não é o que era, ou é o que é e chama-se ‘vamos fazer negócio’ – neste caso, negócio imobiliário – independentemente do que a ideologia ditar, pois pode fica lá fora à porta, o tempo que for preciso.

Foi isso mesmo que aconteceu ontem, faltavam poucos minutos para as 13h00, no auditório do PT Meeting Center da FIL, em Lisboa, quando o jovem autarca comunista do Seixal, Joaquim Santos, 41 anos – natural de Beja, mas a residir em Fernão Ferro -, apelou descomplexadamente ao capital, entre perto de duas centenas de investidores, promotores e mediadores imobiliários, que representavam milhares de milhões de euros.

Veja mais em ::::> Expresso

Seixal debate o papel das autarquias locais na proteção civil

Comemorações do Dia Internacional para a Redução de Catástrofes

O Seixal acolhe no próximo dia 12 de outubro, sexta-feira, pelas 15 horas, no auditório dos Serviços Centrais, a conferência O Papel das Autarquias Locais na Proteção Civil, no âmbito do desafio lançado pelo Comando Distrital de Operações de Socorro de Setúbal.

Este encontro lança o debate sobre o papel das autarquias locais na articulação com os agentes de proteção civil, em contexto das operações de socorro e reposição da normalidade.

A iniciativa assinala as comemorações do Dia Internacional para a Redução de Catástrofes e é organizada pela Câmara Municipal do Seixal, em parceria com a Autoridade Nacional de Proteção Civil e o Comando Distrital de Operações de Socorro de Setúbal.

As inscrições são gratuitas e podem ser realizadas em cm-seixal.pt, nos Serviços Online.
Mais informações pelo telefone 210 976 185 ou pelo email smpc@cm-seixal.pt.

VeJa mais em :::> ROSTOS

Seo wordpress plugin by www.seowizard.org.