Category: Seixal

Escuteiros limpam Praia dos Corvos no Seixal

08/08/2018

“O desperdício nos oceanos é um grande problema para todos”

A Praia dos Corvos, no Seixal, está mais limpa, desde que recebeu, no inicio deste mês a iniciativa “Mares Circulares”, que pretende limpar o areal que separa a baía do Tejo do Sapal de Corroios. A acção, contou com a participação de cerca de 200 escuteiros marítimos e vários voluntários, sob orientação da Fundação Ecomar. A presidente da Fundação, Thereza Zabell Lucas, considerou a iniciativa, “muito positiva”, afirmando que esta foi a “mais participada” que teve até agora. “Com 220 voluntários e a excelente ajuda dos escuteiros marítimos, este foi um precioso contributo para o bom trabalho de recolha e de sensibilização ambiental realizados”, disse a responsável.

Veja mais em ::::> ADN Agência de Notícias

Agentes da PSP ressuscitam homem afogado no Tejo

07/08/2018

Agentes Pratas e Andrade reanimaram homem de 70 anos e detiveram pai e filho que os agrediram.


Por Miguel Curado
Dois agentes da PSP da Cruz de Pau, no Seixal, trouxeram de volta à vida um homem, de 70 anos, que foi resgatado das águas do rio Tejo, na Amora, quando já estava sem respiração e batimento cardíaco. Os polícias prenderam ainda dois homens, pai e filho, por agressões e injúrias. A chamada de socorro ocorreu pelas 18h00 de sábado. Um homem que estava num barco ancorado junto ao pontão de canoagem da Amora presenciou uma aparente doença súbita do homem, de 70 anos, que tombou para dentro de água. De imediato, a testemunha conseguiu agarrar o doente e colocá–lo em terra firme. O mesmo chamou depois o socorro, via 112. Os primeiros a chegar foram os agentes Pratas e Andrade, ambos de 33 anos, da esquadra da PSP da Cruz de Pau. Fonte oficial do Comando de Setúbal da Polícia disse ao CM que os dois polícias já viram a vítima com a pele roxa e sem respiração nem batimento cardíaco. Por iniciativa própria, os agentes realizaram manobras de reanimação que, ao final de alguns minutos, conseguiram trazer o doente de volta à vida. Enquanto aguardavam pela chegada dos técnicos do INEM e ao assegurarem um perímetro de segurança, os polícias foram agredidos por um homem, de 58 anos, e depois pelo filho, de 22, e por dois amigos deste – sem motivo aparente. Os dois agressores familiares foram detidos, enquanto os restantes fugiram. Com a chegada de uma ambulância do INEM, o homem de 70 anos resgatado do Tejo foi encaminhado para o Hospital Garcia de Orta, em Almada.

Ler mais em: Correio da Manhã

Praia da Ponta dos Corvos (Seixal) a primeira etapa em Portugal de um programa ibérico de voluntariado com limpeza de praias

PROGRAMA MARES CIRCULARES NO SEIXAL COM AJUDA DOS ESCUTEIROS MARÍTIMOS E DA ECOMAR

A Praia da Ponta dos Corvos (Seixal) é a primeira etapa em Portugal de um ambicioso programa ibérico de intervenção e voluntariado, com limpeza de praias, reservas marinhas e fundos marinhos que a Fundação Coca-Cola e a Coca-Cola European Partners estão a levar a cabo a partir deste verão.

Denominada “Mares Circulares”, a iniciativa insere-se no programa “Avançamos”, a estratégia de sustentabilidade que a Companhia tem em curso até 2025 com o objectivo de melhorar o meio ambiente numa lógica de economia circular e de sensibilização para a cidadania, chamando a atenção para a importância da reciclagem e correta gestão de resíduos.

Com a orientação da Fundação ECOMAR e o apoio de duzentos escuteiros presentes no Acampamento Nacional de Escuteiros Marítimos, a decorrer na Base Naval do Alfeite, na sexta-feira, dia 3 de agosto foi limpa uma parte da extensa língua de areia branca que separa a baía do Tejo do Sapal de Corroios, uma área localizada no município do Seixal rica em ornitologia.

Foram recolhidos 368 quilos de resíduos que seguirão para tratamento e reciclagem selectiva e dez quilos de PET que, em conjunto com as restantes embalagens de plástico PET recolhidas nas outras intervenções, serão transformados e reintroduzidos na cadeia de valor da Coca-Cola, promovendo uma economia circular.

Para Thereza Zabell Lucas, presidente da Fundação ECOMAR, “a limpeza na Praia dos Corvos foi uma acção muito positiva, a mais participada de todas até agora, com 220 voluntários e que contou com a excelente ajuda dos escuteiros marítimos, um precioso contributo para o bom trabalho de recolha e de sensibilização ambiental realizados”.

Esta praia estuarina de mais de dois km de comprimento foi monitorizada em Julho deste ano pela associação CHELONIA, seguindo o protocolo promovido pela Comissão OSPAR (Convenção para a Proteção do Ambiente Marinho do Atlântico Nordeste). Este procedimento, feito em coordenação com a Câmara Municipal de Seixal, vai permitir identificar o tipo de resíduos e a sua origem, para que se possa trabalhar ao nível da sensibilização na fonte produtora de lixo.

O projecto Mares Circulares contempla a limpeza de 80 praias e ambientes aquáticos, num total de 270 quilómetros de costa da Península Ibérica, em colaboração com instituições e associações locais, autarquias, clubes de vela, ong´s e fundações. Além da constituição de bancos de voluntários, está prevista a participação de barcos de pescas de 12 portos ibéricos nas operações de limpeza no mar.

Para Márcio Cruz, Diretor de Relações Externas e Comunicação da Coca-Cola European Partners em Portugal, “Mares Circulares é uma oportunidade de responder ao compromisso que temos numa das áreas mais importantes da nossa estratégia de sustentabilidade, definida no programa Avançamos, onde na área das embalagens temos como compromisso recolher 100% das embalagens dos nossos produtos para que nenhuma termine como resíduo, especialmente nos oceanos.”

Em Portugal, o projecto vai ser implementado em seis praias do continente e numa reserva marinha na Ilha de São Miguel, nos Açores. Além disso, decorrerão várias ações de sensibilização que vão ensinar a separar e gerir resíduos.

A Coca-Cola vai promover ainda um concurso para premiar a ideia mais inovadora sobre lixo marinho, atribuindo 5 mil euros ao vencedor para que possa desenvolver estudos nesta área.

Mares Circulares é, por isso, um projecto global que pretende contribuir para uma mudança de mentalidade que permita criar soluções ambientalmente sustentáveis para o problema do lixo marinho, numa sociedade constituída por cidadãos mais informados e responsáveis.

Veja mais em ::::> ROSTOS

PSP divulga novos locais dos radares de velocidade no distrito de Setúbal

Mensalmente a PSP indica os locais e datas onde vão decorrer acções de fiscalização rodoviária com recurso a radares, uma campanha sob o mote ‘Quem o avisa…’, através da sua página na rede social do Facebok.

O objetivo da campanha é reduzir a sinistralidade e proporcionar maior segurança a condutores e transeuntes, nomeadamente nas vias identificadas como mais propensas a existirem acidentes. No entanto, apenas cerca de 80% dos radares são divulgados.

No distrito de Setúbal, as acções vão ser as seguintes:

06-jul – 09h00 Circular Externa – Montijo

10-jul – 14h00 Av. Arsenal do Alfeite (sentido Almada/Corroios) – Almada

25-jul – 08h00 EN 10.4 – Setúbal

27-jul – 14h00 Rua Industrial Alfredo da Silva – Barreiro

Veja mais em ::::> Distrito On-line

Embaixador do Brasil visita territórios Lisbon South Bay

Julho 2018

esultado do trabalho de promoção desenvolvido e dos contactos permanentes com Câmaras de Comércio, Embaixadas e Associações Empresariais de múltiplas geografias, os territórios do projeto Lisbon South Bay são cada vez mais reconhecidos e alvo de interesse.

Os ativos da Baía do Tejo receberam a distinta visita do Embaixador do Brasil em Portugal, Luiz Alberto Figueiredo Machado, que já foi ministro das Relações Exteriores no seu país e que também já assumiu a liderança da representação diplomática brasileira em Washington.

O Embaixador foi acompanhado nesta visita aos ativos da Baía do Tejo presentes nos concelhos de Almada, Barreiro e Seixal pelo Conselheiro Comercial da Embaixada do Brasil em Portugal, Pedro Taunay.

A visita, conduzida pela administração da Baía do Tejo, contou com o empenho e a representação ao mais alto nível dos municípios envolvidos.

Em Almada, a Presidente da Câmara, Inês de Medeiros, fez questão de receber o Senhor Embaixador junto às maquetes do Projeto Cidade da Água, a desenvolver no antigo complexo da Lisnave, a que se seguiu uma apresentação audiovisual dos três territórios e do seu potencial no auditório do Parque Tecnológico da Mutela.

O Parque Empresarial da Baia do Tejo no Seixal foi o segundo ponto de paragem. Aquele que é o território com maior disponibilidade para acolher novas empresas, principalmente de grandes dimensões e de cariz industrial e logístico, foi dado a conhecer a este corpo diplomático. Também do concelho do Seixal, em geral, e de todos os seus atrativos deu nota o Vice Presidente do Município, Jorge Gonçalves.

A visita incluiu, nos terrenos conexos ao parque empresarial, uma passagem pela Lusosider – Aços Planos, SA, importante empresa de capitais brasileiros do setor siderúrgico a operar no nosso país. Empresa que exporta cerca de 80% da sua produção para diferentes destinos do globo, mas que tem nos mercados europeus uma forte aposta.

A iniciativa terminou no Parque Empresarial do Barreiro da Baía do Tejo, onde se juntou à comitiva o Presidente Câmara Municipal do Barreiro, Frederico Rosa. A visita ao antigo Bairro Operário da CUF, ao Clube de Empresas, ao museu Industrial da Baía do Tejo e a diferentes zonas onde se encontram em laboração cerca de 200 empresas, preencheram a visita àquele que foi o maior complexo industrial da península ibérica durante o séc. XX e que é atualmente um dos maiores parques empresariais do nosso país.

Foi com elevado interesse e com a promessa de que toda a informação recolhida ia ser enviada diretamente aos mais proeminentes grupos empresariais brasileiros que a visita terminou. Em aberto ficou a promoção que a embaixada vai fazer junto dos empresários deste país para conhecerem de perto estes territórios virados para Lisboa e todo o seu enorme potencial.

Veja mais em ::::> Distrito On-line

Hospital do Seixal perde 12 camas para cuidados paliativos

Ministério da Saúde opta por retirar serviço de cuidados a doentes em fase terminal

A Adenda ao Acordo Estratégico de Colaboração para o lançamento do hospital do Seixal, assinada este sábado, suscita críticas junto da comissão de utentes local. Os cuidados paliativos ficam fora dos planos para o equipamento, ou seja, quem necessite daquele serviço vai continuar a depender do Hospital Garcia de Orta, em Almada.

“Em 2009, no mesmo documento, estavam previstas 12 camas para os cuidados paliativos. Neste novo acordo essas camas e esses cuidados simplesmente deixaram de existir e isso não é razoável”, explica José Luísa, da Comissão de Utentes da Saúde do Concelho do Seixal. Apesar de merecer reparos naquele âmbito específico, o documento foi esta sexta-feira assinado pelo presidente da Câmara Municipal do Seixal, Joaquim Santos, e homologado pelo ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes, presente na cerimónia. “Decidimos que mais vale assegurar a construção do hospital, pelo celebrar deste acordo, na esperança de que estas alterações possam ser pensadas no futuro”, garantiu o autarca.

Adalberto Campos Fernandes, que visitou o terreno onde ficará instalado o equipamento, garantiu que a celebração do acordo para a construção do hospital do Seixal é um dia feliz para o Serviço Nacional de Saúde (SNS). “É um dia feliz, sobretudo para o SNS. O Garcia de Orta está subdimensionado, este é um concelho muito jovem e o SNS tem de se adaptar a essa realidade”, afirmou. O hospital do Seixal estará concluído em 2021, no Fogueteiro, num investimento total de 60 milhões de euros.

Ler mais em: Correio da Manhã

Moradias vão abaixo no Seixal

26/06/2018

Construções embargadas na área de servidão da NATO.

Quatro proprietários da freguesia de Fernão Ferro, no concelho do Seixal, foram esta segunda-feira notificados pela Marinha de que estão impedidos de continuar a obra de “construção de infraestruturas para habitação”. A explicação avançada para o embargo resulta das moradias estarem na área de servidão militar do Depósito de Munições da NATO, localizado naquela zona. A área é sensível em termos de explosivos podendo, em caso de acidente, colocar em risco a vida dos proprietários dos terrenos. É, por isso, proibida a construção de habitações, sendo apenas permitida a criação de apoios para a prática agrícola. A decisão de embargo por parte do ministro da Defesa, Azeredo Lopes, estabelece que “em caso de incumprimento, o proprietário do terreno é informado que pode sujeitar-se à posse administrativa, por parte do Ministério da Defesa Nacional, para a execução da demolição e à fixação do competente regime sancionatório”. Os donos das obras ficam também responsáveis pelo pagamento dos encargos inerentes às demolições das habitações construídas sem a necessária licença da autoridade militar. PORMENORES Dois embargos em março Em março, dois outros proprietários da freguesia de Fernão Ferro, no concelho do Seixal, foram notificados para procederem aos trabalhos de demolição do edificado, por estar em causa a segurança de pessoas e bens. Duas realidades distintas A área de servidão militar do Depósito de Munições da NATO reparte-se pelos concelhos de Sesimbra e do Seixal. O primeiro município sempre impediu a construção. No Seixal, pelo contrário, após o 25 de Abril de 1974, surgiram construções.

Ler mais em: Correio da Manhã

Seixal no Portugal Smart Cities

11 abr 2018

Smart Cities. “A melhor maneira de prever o futuro é inventá-lo”

No meio do Atlântico, Ponta Delgada tenta transformar a periferia em centralidade. No meio da Península Ibérica, Portalegre chama a atenção para a ruralidade onde estão pessoas que querem fazer parte desse país rural. Na margem sul do Tejo, o Seixal procura resolver a distância que há por estar tão próximo de Lisboa. E em Viseu, querem-se carros a andar sozinhos. Os exemplos são vários e em comum têm todos uma coisa: são cidades que querem ser inteligentes e por isso, em vez de esperarem para ver o que lhes acontece, dedicam-se a inventar o futuro.

O que é uma cidade inteligente? As respostas podem ser muitas e raramente são objetivas. Uma cidade inteligente é um território capaz de se adaptar às mudanças — sociais, climáticas, económicas, tecnológicas —, fazendo uso da tecnologia, mas sobretudo da inovação. Albufeira, Ponta Delgada, Portalegre, Guimarães, Seixal e Viseu são seis exemplos de municípios empenhados no desenvolvimento de um território mais dinâmico e, por isso, mais inteligente. Até porque, atira Ricardo Costa, vereador da autarquia da cidade berço, “a melhor maneira de prever o futuro é inventá-lo”.

A inteligência urbana é capaz de “valorizar o poder local, que foi uma das maiores conquistas de Abril”, como diz Joaquim Santos, presidente da câmara do Seixal. Por isso, num evento dedicado à inteligência das cidades, nada melhor do que uma cimeira dos autarcas, para dar voz aos decisores políticos que estão mais próximos dos cidadãos.

Antes desta cimeira, no Centro de Congressos de Lisboa, houve uma volta a Portugal que pôs autarcas e técnicos municipais, empresas e universidades, a discutir o que é isso de cidade inteligente, a trocar ideias, a partilhar erros e falhanços e a aconselhar sucessos.

Veja mais em ::::> SAPO24

Seixal tem a melhor programação cultural do País

22/03/2018

A Câmara do Seixal recebeu na segunda-feira o prémio de Melhor Programação Cultural Autárquica de 2017, atribuído pela Sociedade Portuguesa de Autores. No Centro Cultural de Belém, em Lisboa, perante uma plateia composta por destacadas figuras da vida cultural e pública, a autarquia viu assim reconhecido o trabalho de excelência na promoção cultural que todos os dias é desenvolvido pelos trabalhadores da Câmara do Seixal, pelo movimento associativo popular e agentes culturais do Concelho. A Câmara do Seixal reconhece que a cultura “é uma das grandes apostas do concelho”, devendo a programação de 2018 contemplar de novo “grandes nomes da música portuguesa e estrangeira”. De acordo com o presidente da autarquia, “o Seixal é um município multicultural, com eventos de grande qualidade, que vão desde o Festival Internacional SeixalJazz às Festas Populares do concelho”, diz Joaquim Santos.

O presidente da autarquia, referiu na sua intervenção que “é uma enorme honra sermos distinguidos com este prémio. É também um enorme estímulo para continuarmos a investir na cultura, pelo que temos já para este ano um programa recheado de bons espetáculos mas também de apoio às nossas coletividades que muito contribuem para a promoção da cultura e para a formação de músicos com carreiras reconhecidas e repletas de sucessos”, sublinhou Joaquim Santos. O autarca lembrou ainda que “são muitas as vezes em que as autarquias se sentem sós, sem o apoio dos Governos e sem a existência de um trabalho estruturado e articulado, desde a Administração Central até ao Poder Local. São os municípios, como é o caso do Seixal, que assumem recorrentemente o papel que caberia a um Ministério da Cultura, situação que se torna urgente alterar. É por isso que este prémio é para nós um estímulo para continuamos a trabalhar diariamente para irmos ainda mais longe na promoção e oferta cultural e no incentivo à criação cultural nas suas diferentes expressões”.

Esta distinção atribuída pela Sociedade Portuguesa de Autores teve em conta a qualidade dos eventos que o município organiza e patrocina, bem como a diversidade dos públicos e a excelência dos trabalhos apresentados, designadamente na área da música. O Seixal é um município com grande dinâmica nas mais diversas áreas de intervenção, sendo a Cultura uma dessas áreas, com eventos de grande qualidade, que vão desde o Festival Internacional SeixalJazz às Festas Populares do concelho.
Pelos palcos do Auditório Municipal do Fórum Cultural do Seixal e do Cinema S. Vicente passaram, em 2017, mais de 100 espetáculos, entre vários nomes do panorama cultural nacional e internacional.
“A promoção da atividade cultural do concelho, que foi ontem reconhecida, é acompanhada por esforços de idêntico empenho na requalificação urbanística e na dinamização económica e social do concelho do Seixal, tornando-o num dos mais interessantes da grande Lisboa, em termos de qualidade de vida para trabalhar e para viver”, diz a autarquia.

Agência de Notícias com Câmara do Seixal

‘Lisbon South Bay’: uma marca na procura de investimento para antigas áreas industriais

15/03/2018

A empresa Baía do Tejo e os municípios do Barreiro, Seixal e Almada estão em Cannes, França, a promover os territórios das suas antigas áreas industriais, com o nome ‘Lisboa South Bay’ a ser essencial para captar investimento.

‘Lisbon South Bay’ é um projecto promovido pela Baía do Tejo, empresa pública, para requalificar os territórios das antigas áreas industriais da Quimiparque, no Barreiro, da Siderurgia, no Seixal, e da Margueira, em Almada, em conjunto com as autarquias, que se tem desenvolvido nos últimos anos.

“Criar uma parceira entre uma empresa do Estado, a Baía do Tejo, e três municípios é inédito no país. Surgiu na sequência de uma conclusão óbvia, que devemos estar todos a remar para o mesmo lado”, disse à Lusa Jacinto Pereira, presidente do conselho de administração da Baía do Tejo.

A empresa, que tem a responsabilidade sob os três territórios, e as autarquias estão a participar na maior feira internacional de imobiliário do mundo, o MIPIM, que está a decorrer em Cannes, na França.

“Com esta solução da marca ‘Lisbon South Bay’ criámos uma escala diferente e damos maior visibilidade e maior capacidade de promoção. Parece algo óbvio, mas não é algo que vejamos muito. Conseguimos chegar a uma plataforma de entendimento entre todos”, explicou.

Jacinto Pereira disse que a marca foi criada para “consumo externo”, referindo que não é possível estar em qualquer parte do mundo e falar do Barreiro, Seixal ou Almada.

“Não podemos ir a qualquer parte do mundo falar de Almada, Barreiro ou Seixal, temos que falar de Lisboa e da outra margem de Lisboa. Existe também outra razão, que é cavalgar esta onda de Lisboa, pois tem tido uma dinâmica e uma imagem extraordinárias”, disse, referindo que a ideia cada vez mais se mostra acertada.

No MIPIM, para além de procuraram investimentos para a antigas áreas industriais, os autarcas dos três municípios da margem sul desmultiplicam-se em reuniões e contactos para abordar outros projetos existentes nos seus concelhos, na procura de possíveis investidores, capazes de criar empreso e crescimento económico.

A presidente da Câmara de Almada, Inês de Medeiros, afirmou que utilizar a marca Lisboa é importante nestes eventos internacionais, referindo que “traz benefícios e não apaga a imagem e a identidade de Almada”.

Segundo a autarca, para além do projeto Cidade da Água, de requalificação dos antigos territórios da Margueira, procurou também abordar investidores para outros projectos no concelho, considerando que o balanço tem sido “interessante”.

Frederico Rosa, presidente da Câmara Municipal do Barreiro, concorda que o nome ‘Lisbon South Bay’ funciona porque “unifica os três territórios na margem sul”, afirmando que os concelhos são vistos como parte integrante da Área Metropolitana de Lisboa.

Jorge Gonçalves, vice-presidente da Câmara do Seixal, salienta que colocar Lisboa no nome veio fortalecer o projeto e o seu impacto no exterior do país.

Veja mais em ::::> Diário da Região

Seo wordpress plugin by www.seowizard.org.