Tag: 2017

XV Festival de Bandas Filarmónicas em Almada

Clicke na imagem para ver

Fotos e vídeo de :::> Henrique Santos
22 de Outubro 2017

Quatro bandas centenárias de Almada homenageiam a música filarmónica, num Festival de entrada livre.

Em 2017, o Festival de Bandas Filarmónicas reúne, pela primeira vez, as quatro bandas centenárias do concelho.

O desfile de bandas teve início a partir das 10h30 e seguiu em direção ao Largo Gabriel Pedro, em Almada, onde apresentaram cumprimentos às entidades oficiais e à população e cada uma das bandas tocará o seu hino:

– Sociedade Filarmónica Incrível Almadense
Partida da sede da Incrível Almadense, Almada

– Academia de Instrução e Recreio Familiar Almadense
Partida da sede da Academia, Almada

– Sociedade Filarmónica União Artística Piedense
Partida da Praça Gil Vicente, Cacilhas

– Sociedade Recreativa Musical Trafariense
Partida da Praça S. João Baptista, Almada

Veja mais em :::< CMALmada

2017 Tomada de Posse da Câmara do Montijo (Vídeo)

20 de Outubro 2017

Click na Imagem para ver as fotos

Reportagem Diário da Região

Novos órgãos municipais instalados. Presidente da Câmara “elegeu” investimento da tutela como âncora para estratégia de acção nos próximos quatro anos. Cerimónia ficou ainda marcada por despedida de Maria Amélia Antunes

do Governo, está no “centro do radar” da estratégia de investimentos que o novo executivo camarário, presidido por Nuno Canta, defende para os próximos quatro anos no concelho. Da implantação do novo aeroporto, que aguarda por luz verde do Governo para se fazer à pista no Montijo, derivará muito da acção autárquica da nova maioria socialista (agora absoluta) para o futuro próximo do território, conforme deixou antever o discurso do presidente reeleito, durante a cerimónia de instalação da Câmara Municipal, realizada esta sexta-feira, no salão nobre dos Paços do Concelho.

“O novo mandato ficará marcado pela construção de novas infra-estruturas. Falo-vos do novo aeroporto no Montijo, no Seixalinho. É um processo sem paralelo no resto do País e que constitui uma verdadeira transformação no Montijo e na região de Setúbal”, disse Nuno Canta, lembrando que essa transformação suscita “oportunidades e desafios”, gera “esperanças e angústias, motiva expectativas e cria problemas”, o que obriga a uma gestão do processo com “ambição, lucidez e, ao mesmo tempo, serenidade”.
Todo o processo do aeroporto, adiantou, será desenvolvido em “permanente diálogo com todos” e com total garantia de “segurança ambiental”, salvaguardando a “defesa dos interesses do Montijo”.

“O novo aeroporto é uma oportunidade de excelência e os objectivos de um crescimento inteligente, inclusivo e sustentável são as linhas inspiradores que assumimos no desenvolvimento deste processo”, admitiu, sublinhando que o novo equipamento trará “novas exclusões, geradas pelo desenvolvimento”, que vão exigir “prioridade” às políticas de coesão. “Há que mobilizar as forças vivas, parceiros sociais, empresas e agentes de desenvolvimento local. O Montijo deverá dinamizar a constituição de uma aliança, que permita uma estratégia de desenvolvimento justo e sustentável, que promova a competitividade, o emprego e a coesão de todos os montijenses”, considerou, antes de sublinhar a política de proximidade aprofundada nos últimos quatro anos.

Veja Mais em::::> Diário da Região

Foi com gosto que representei o povo do Barreiro sublinha Carlos Humberto, em carta dirigida ao Movimento Associativo

“Termino este período da minha vida com o sentimento de dever cumprido, que é diferente de afirmar que fiz tudo bem”, refere Carlos Humberto, numa Carta dirigida ao Movimento Associativo, no final do seu mandato como Presidente da Câmara Municipal do Barreiro.


Amigos

Passaram 12 anos desde que assumi a presidência da Câmara Municipal do Barreiro. Chegou a hora de me despedir destas funções e de me despedir de vós.

Foi com gosto que representei o povo do Barreiro. Foi com enorme esforço que cumpri estes mandatos, mas foi também, com sentido de uma responsabilidade imensa.
Termino este período da minha vida com o sentimento de dever cumprido, que é diferente de afirmar que fiz tudo bem.

Sempre considerei e continuo a considerar que o movimento associativo, as IPSS são um pilar muito importante do desenvolvimento passado, presente e futuro do Barreiro.
Sempre considerei e continuo a considerar que o movimento associativo, as IPSS têm autonomia dos poderes que é necessário respeitar, preservar e aprofundar.

A cooperação e a proximidade que mantive com a generalidade do movimento associativo e das IPSS enquanto presidente de Câmara é para mim sinónimo de satisfação pessoal.
Quero, em meu nome, agradecer a forma como criámos e desenvolvemos relações institucionais e com muitos dos intervenientes, relações pessoais.

Foi um prazer ter criado e mantido uma estreita relação que em minha opinião, foi frutuosa para cada uma das entidades e para o concelho.
Nas novas funções que irei exercer, estarei sempre á vossa disposição.

Um abraço.
Carlos Humberto de Carvalho

Veja mais em ::::> rOSTOS

MONTIJO | Catarina Marcelino cai do Governo no mesmo dia em que assume Assembleia Municipal

MÁRIO RUI SOBRAL

A nova presidente da Assembleia Municipal do Montijo poderá retomar as funções de deputada à Assembleia da República, o que implica, desde logo, a saída de Francisca Parreira (autarca em Almada) do hemiciclo. Ana Sofia Araújo (autarca em Sines) poderá levar a mais uma alteração na composição do elenco do PS eleito pelo círculo de Setúbal

À hora da cerimónia de instalação dos órgãos autárquicos, Câmara e Assembleia Municipal, no Montijo, estava já definido que Catarina Marcelino não seria reconduzida como secretária de Estado para a Cidadania e a Igualdade.

Horas antes do início da cerimónia, realizada ontem nos Paços do Concelho, a decisão já estava tomada, apurou o DIÁRIO DA REGIÃO junto de fonte socialista.

Rosa Lopes Monteiro – que vinha exercendo funções, na área da Igualdade, desde 2016, no gabinete de Eduardo Cabrita (então ministro Adjunto do primeiro-ministro, agora ministro da Administração Interna) – sabia que iria substituir Catarina Marcelino na secretaria de Estado para a Cidadania e a Igualdade, que passou a ser tutelada pela ministra da Presidência, Maria Manuel Leitão Marques.

Catarina Marcelino tomava posse como membro da Assembleia Municipal do Montijo pouco depois das 15h30 (sendo eleita, logo após a cerimónia, presidente deste órgão municipal) e por essa hora já deveria também ter conhecimento de que estaria de saída da secretaria de Estado. O anúncio da substituição foi feito ao final da tarde na página da Presidência da República e pelas 21h20 a montijense reagiu na página pessoal que administra na rede social Facebook.

“Tenho por hábito dizer que estou de Secretária de Estado. Estamos e a qualquer momento podemos deixar de estar. Foi o que aconteceu hoje comigo. Não saio por vontade própria, mas porque a Ministra que vai tutelar a pasta entendeu, no seu pleno direito, escolher outra pessoa”, disse a nova presidente da Assembleia Municipal do Montijo, deixando agradecimentos a todos os que lhe manifestaram apoio pelo trabalho desenvolvido como secretária de Estado.

Mexidas no xadrez dos deputados do PS eleitos por Setúbal

O PS, recorde-se, elegeu nas Legislativas de 2015 sete deputados pelo círculo de Setúbal à Assembleia da República: Ana Catarina Mendes; Eduardo Cabrita; Eurídice Pereira; Paulo Trigo Pereira; Catarina Marcelino; Ricardo Mourinho Félix; e Inês de Medeiros.

Com as saídas de Eduardo Cabrita, Catarina Marcelino e Ricardo Mourinho Félix para funções governativas e de Inês de Medeiros para vogal do INATEL (entretanto eleita presidente da Câmara de Almada), subiram a deputados do hemiciclo em regime de substituição Ivan Gonçalves (líder da JS nacional), Ana Sofia Araújo (eleita agora vereadora na Câmara de Sines), André Pinotes Batista (também eleito a 1 de Outubro para a Assembleia Municipal do Barreiro) e Francisca Parreira (ex-presidente da Junta da Trafaria e igualmente eleita nas últimas Autárquicas para a vereação da Câmara de Almada).

Catarina Marcelino pode agora retomar as funções de deputada parlamentar, o que implicará desde logo a saída de Francisca Parreira do hemiciclo, de acordo com o estipulado no número 2 do artigo 6.º do Estatuto do Deputado que determina que “com a retoma pelo deputado do exercício do mandato, cessam automaticamente todos os poderes do último deputado da respectiva lista que nessa data esteja a exercer o mandato”.

As mexidas no xadrez dos parlamentares eleitos pelo círculo de Setúbal poderão não ficar por aqui. Até porque, segundo a alínea g) do estatuto atrás referido “são incompatíveis com o exercício do mandato de deputado à Assembleia da República” os cargos ou funções de “vereador a tempo inteiro ou em regime de meio tempo das câmaras municipais”.

Ora, neste particular, há ainda a observar que Ana Sofia Araújo já foi empossada como vereadora da Câmara Municipal de Sines, sendo que a autarca terá de optar por se manter como deputada à Assembleia da República, em regime de substituição, até 2019, ou por assumir as funções com pelouros na vereação de Sines, até 2021. Caso Ana Sofia Araújo opte pela última hipótese, Pedro Filipe Ruas – que foi cabeça-de-lista pelo PS à Assembleia Municipal de Grândola – será o senhor que se segue entre os deputados do círculo de Setúbal no parlamento.

Veja mais em ::::> Diário da Região

Governo autoriza urbanização na antiga Lisnave

Por Bruno de Castro Ferreira|20.10.17

Cidade da água vai estender-se por 63 hectares de Almada, Barreiro e Seixal.

O Governo deu luz verde à construção de uma urbanização dos terrenos dos estaleiros da Lisnave, em Almada. O investimento de 1,2 mil milhões de euros já terá interessados, mas não podia avançar sem esta alteração legal. De acordo com o decreto-lei publicado ontem em Diário da República, 40 dos 45 hectares dos antigos estaleiros saem do domínio público hídrico e passam para domínio privado do Estado, o que permite avançar com a construção da chamada Cidade da Água. Assim, lê-se no decreto-lei, estão criadas as “condições para pôr em prática parte do Projeto Arco Ribeirinho Sul e dar um novo uso aos terrenos da Margueira […] no âmbito dos objetivos definidos no Plano de Urbanização de Almada Nascente, definido em 2009”. O projeto final inclui a construção de habitação, espaços culturais, de serviços e de lazer, hotéis e escritórios. Está ainda prevista a construção de uma marina e de um terminal de transportes. A Cidade da Água, da responsabilidade da empresa Baía do Tejo, estende-se por 63 hectares dos municípios de Almada, Barreiro e Seixal.

Ler mais em: ::> Correio da Manhã

Sobre finais e despedidas… sobre afetos

16 de Outubro 2017

Ana Malta no Facebook

Não gosto de finais “tristes”. Não gosto. Choro sempre no final. É terrível. Porque nunca consigo conter-me.
Fica um vazio imenso. Uma escuridão. Como se tivessem apagado as luzes e deixasse de ver ao longe o caminho.

Também detesto despedidas. Doem sempre. Sobretudo dizer adeus a quem se gosta. A quem deu tanto de si e recebeu tanto de nós.

E serviu lhe tão bem a camisola quando há 8 anos a vestiu por inteiro, empenhando-se de alma e coração.
Costuma dizer-se que ninguém é insubstituível. E talvez seja verdade. Mas há pessoas que deixam nos outros a sua marca e levam consigo um pouco de nós, independentemente da cor política, do clube ou da religião que pratiquem.

São pessoas com P maiúsculo. Daquelas que se movem por grandes causas e por grandes lutas, sem nunca saírem do caminho traçado e seguindo sempre as suas mais fortes convicções.

Para mim foi um prazer percorrer consigo este caminho. [às vezes quase como a sua sombra é verdade].

Olhando agora, parece que passou rápido, mas foi longo e trabalhoso. Mas também muito recompensador. Aprendi muito. Levo muito, destes 8 anos. Eu e todos. Tenho a certeza disso.
E também tenho a certeza de que levará para sempre o SMAS e os seus trabalhadores no seu coração.
Este abraço foi longo mas de até já! Vemo-nos por aí…
… em Almada, sempre. E porque há afetos que nunca se perdem! OBRIGADO!

Veja mais em :::> Ana Malta

ALMADA Dia do diploma junta 1.500 pessoas na maior enchente de sempre

16 de Outubro 2017

Entrega de diplomas a alunos que se distinguiram pelas notas e pelo bom comportamento é já uma referência no concelho e este ano registou uma moldura humana impressionante, com as bancadas do Complexo Municipal dos Desportos repletas de gente

O ‘Dia do Diploma’, cerimónia de entrega de prémios do Agrupamento de Escolas Francisco Simões, de Almada, registou este ano a maior enchente de sempre, com cerca de 1.500 pessoas, entre pais, familiares e membros da comunidade educativa a assistirem.

A participação foi tão grande que o evento, que costuma realizar-se no refeitório da Escola Francisco Simões, foi transferido para o Complexo Municipal dos Desportos Cidade de Almada, para conseguir acolher as cerca de quinze centenas de pessoas que acorreram ao local. Com esta enorme capacidade de mobilização, o Dia do diploma, afirmou-se já como uma realização de referência entre os eventos da área da Educação no concelho de Almada.

A organização, anual, é da responsabilidade do Júri dos Prémios de Mérito do Agrupamento, este ano composto pelas professoras Olívia Mateus, Cármen Pinto (posteriormente substituída por Marta Horta), do 1º ciclo; Ana Leonor Duarte (2º ciclo); Cristina Santos (substituída por Cristina Artur), Maria de Lurdes Trilho, Rosário Proença, Carmo Mestre (3º ciclo e ensino secundário) e por Carla Garcia, em representação da Associação de Pais e Encarregados de Educação da Escola Francisco Simões.

A primeira parte do evento contou com um espectáculo composto de variados números de música e de dança proporcionado por algumas colectividades locais, nomeadamente os Dominó e os Vozes d’Água com música tradicional portuguesa; a graciosidade do Grupo de Sevilhanas e Flamenco do Beira-Mar de Almada, da responsabilidade da professora Marisa Caeiro; a sonoridade da Orquestra 7, sob a direcção do maestro Filipe Henda e o ritmo da Escola de Dança NEXT, sob a orientação da profª Lara Alves, que graciosamente colaboraram nesta festa. Os restantes números artísticos (canto, judo, dança, ballet e poesia) foram interpretados por alunos das várias escolas do Agrupamento.

A segunda parte da cerimónia consistiu na entrega das menções honrosas, prémios de valor e prémios de mérito aos alunos que se distinguiram pelas suas classificações e atitudes no ano lectivo 2016/17, e na entrega dos diplomas de conclusão do ensino secundário àqueles que concluíram o 12º ano nesse mesmo ano lectivo. O prémio «Almada, Cidade Inteligente» foi atribuído pela directora do Departamento de Educação e Juventude da Câmara Municipal de Almada, Paula Sousa, ao aluno Daniel Estêvão do Curso Profissional Técnico de Multimédia por ter obtido a melhor classificação do 12º ano.

A apresentação esteve a cargo de treze alunos do 5º ao 11º ano de escolaridade: Nuno Rodrigues, Filipa Leitão, Tomás Martins, Leonor Meireles, Duarte Simões, Lara Diniz, Tiago Marques, Rita Farinha, Lucas Cirilo, Beatriz Coelho, Miguel Moreira, Carolina Campos e Henrique Pinheiro. O staff do evento foi assegurado por alunos dos Cursos Profissionais Técnico de Turismo e Técnico de Multimédia. Como convidados especiais, a cerimónia contou com a presença do presidente da União das Freguesias Laranjeiro e Feijó, Luís Palma, um dos patrocinadores dos prémios atribuídos aos alunos; do patrono do Agrupamento, o escultor Francisco Simões, que agradeceu à grande plateia a presença em momentos-chave do Agrupamento e sobretudo aos 95 alunos premiados; da directora, professora Augusta Delgado, que aplaudiu todos os elementos da comunidade educativa presente, sobretudo os alunos, pelo seu mérito.

Os agradecimentos foram dirigidos à equipa de trabalho pela organização do evento que levou até ao Complexo Municipal dos Desportos uma tão grande moldura humana até então nunca vista em eventos anteriores (que começaram por ter lugar no refeitório da escola, referiu a Presidente do Júri); ao pessoal docente, não docente, alunos e encarregados de educação por dignificarem o trabalho do Agrupamento de Escolas Francisco Simões; e aos patrocinadores por terem contribuído para a aquisição dos prémios para os alunos: Câmara Municipal de Almada, União das Freguesias Laranjeiro e Feijó, Teatro Municipal Joaquim Benite, TST, Associação de Pais e Encarregados de Educação da Escola Francisco Simões, Diário da Região, TV Almada, Porto Editora, Raiz Editora, papelaria Soltecópia, pastelaria Doce Creme e Café ABC.

Veja mais em :::> Diário da Região

Kira – um artista com o Barreiro escrito no seu sangue

Kira é um nome de referência na vida barreirense. Um artista que deu a conhecer o Barreiro ao mundo. Um nome inscrito no mundo das artes que é um criativo, que faz o que ama e vive por aquilo que está inscrito no seu sangue.

Hoje, ao abrir a página do facebook, como o faço diariamente, por razões da minha actividade social, deparei com uma fotografia do meu amigo Kira, a tomar o pequeno almoço, ali, na Heiedi, o seu recanto, com Frederico Rosa, futuro presidente da Câmara Municipal do Barreiro. Gostei.

Kira é um nome de referência na vida barreirense. Um artista que deu a conhecer o Barreiro ao mundo. Um nome inscrito no mundo das artes que é um criativo, que faz o que ama e vive por aquilo que está inscrito no seu sangue.
Muitas vezes, com ele, conversei sobre projectos de arte urbana, sobre a criação de uma galeria de arte de referência, colocando sempre, e acima de tudo, a sua criatividade e expressividade das suas leituras interpretativas dos tempos que vivemos.

Sobre a valorização da sua obra e dar dimensão ao seu trabalho como referência, estimuladora de criatividade – o nosso herói das artes – e não menosprezando muitos outros valores que, sem dúvida, temos e existem na nossa comunidade.
Recordo o projecto que conversámos de valorizar o espaço do Parque da Cidade – Parque das Artes – com obras de Kira e outros artistas plásticos, mas dando à obra de Kira uma visibilidade de referência. Cheguei a escrever que Kira é o nosso Gaudi.
Em diversos espaços urbanos podiam nascer obras de arte, fruto da sua imensa criatividade – de bancos na Avenida da Praia, de obras no espaço urbano da POLIS, um projecto a realizar numa década, envolvendo parcerias locais e regionais. Adorava.

Ao olhar esta foto recordei um artigo que escrevi em 2014, e, então, pensei : Será desta?
O Kira merece. O Barreiro merece.

S.P.
Foto – Zeza Loureiro

ARTIGO ESCRITO EM 10.02.2014

Veja mais em ::::> ROSTOS

SETÚBAL Protecção civil e bombeiros avisam para perigo de cheias devido a chuva prevista para hoje

16 de Outubro 2017

Distrito está sob aviso Amarelo até às 21 horas com previsão de períodos de chuva forte. Protecção civil municipal lembra que há muitas zonas da cidade vulneráveis a cheias, como Praça do Brasil, Bairro do Montalvão, largos de Jesus e da Misericórdia ou a Praça do Bocage

O Serviço Municipal de Protecção Civil e Bombeiros de Setúbal adverte para a necessidade de adopção de medidas de prevenção em face da previsão de condições meteorológicas adversas com períodos de chuva forte ao longo do dia desta segunda-feira que podem provocar “cheias rápidas” nalgumas zonas da cidade.

O distrito de Setúbal está sob aviso Amarelo, emitido pelo Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) devido à previsão de períodos de chuva que podem ser fortes e acompanhados de trovoadas. Estas condições, que devem ocorrer até às 21 horas de hoje, devem-se à passagem de uma superfície frontal fria que está a deslocar-se lentamente.

Em comunicado emitido esta manhã, a protecção civil municipal recorda que a chuva forte conjugada com a preia-mar, que será às 13h29), aumenta “consideravelmente” o risco de inundações e alerta para a “possibilidade de cheias rápidas em meio urbano por acumulação de águas pluviais ou insuficiências dos sistemas de drenagem e de inundação por transbordo de linhas de água”.

As zonas historicamente mais vulneráveis a inundações são, de acordo com Serviço Municipal de Protecção Civil e Bombeiros de Setúbal, a Praça do Brasil, Rua Amílcar Cabral, Praceta Fernando Alcobia, Praceta Quinta do Freixo, Rua do Mormugão, Avenida Dr. Manuel Gamito, Praceta Manuel Nunes de Almeida, Quinta do Quadrado, Rua Alexandre Herculano, Rua Almeida Garrett, Bairro Salgado, Rua da Escola Técnica, Avenida 22 de Dezembro, Estrada da Algodeia, Bairro do Montalvão, Avenida dos Combatentes, Largo de Jesus, Avenida 5 de Outubro, área entre a Avenida 5 de Outubro e o Largo da Misericórdia e Praça de Bocage.

A protecção civil recomenda a adopção de medidas preventivas e de autoprotecção, designadamente a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de inertes e outros objectos que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao livre escoamento das águas.

É recomendada também uma “condução defensiva”, com velocidade reduzida devido à possibilidade de existência de lençóis de água nas estradas e buracos no pavimento ou tampas de esgotos levantadas.

Veja mais em ::::> Diário da Região

Uma escuta aqui, uma escuta ali

“Tudo gravado ao vivo com a voz de Sócrates”, diz músico

Canção com palavras do ex-primeiro ministro já foi vista milhares de vezes nas redes sociais.

É num pequeno estúdio doméstico que Nuno Gelpi, de 42 anos, conhecido como Bandex, gasta horas e horas a produzir canções que usam palavras de figuras públicas .

“Sou um músico de Lisboa que não sabe cantar nem escrever letras, então preciso de roubar a outras pessoas as letras e as vozes. Como posso escolher qualquer vocalista que tenha declarações no Youtube, tenho dois preferidos: Passos Coelho e José Sócrates”, explica ao CM o criador da música ‘Uma escuta aqui, uma escuta ali’, que se tornou viral nos últimos dias. “É um vídeo sobre escutas, no qual Sócrates prova que não há nada contra ele, são tudo acusações infundadas”, diz, sarcasticamente, “há apenas uma escuta aqui, uma escuta ali”.

A canção não é nova, mas foi republicada esta semana, após a conclusão da acusação do MP sobre a Operação Marquês. “Demoro muito tempo a fazer estas canções, mas com o senhor engenheiro tudo é mais fácil, porque ele é muito musical a falar”, garante o criador do canal Bandex TV. “Foi tudo gravado por músicos e depois acrescentei a voz de Sócrates”. Na calha está já outra música, depois da entrevista do ex-primeiro-ministro à RTP: “Já tenho muitas ideias a fervilhar”. “Como qualquer músico, tentas fazer músicas para expressar qualquer coisa, e eu aqui encontrei letras que na minha opinião são mais interessantes do que as que ouço na rádio. São reais e dizem coisas às pessoas”, remata Nuno Gelpi, feliz com o sucesso desta canção.

Ler mais em::::::> Correio da Manhã

Seo wordpress plugin by www.seowizard.org.