Tag: ataque

Esquadra da PSP de Setúbal atacada com cocktails molotov

Lusa 22/01/2019

Antes, foram incendiados carros em Odivelas e Póvoa de Santo Adrião. Polícia faz quatro detenções.

Foto: Correio da Manhã

A esquadra da PSP no bairro da Bela Vista, em Setúbal, foi atingida na noite desta segunda-feira por ‘cocktails molotov’. Na Póvoa de Santo Adrião e Odivelas, distrito de Lisboa, foram incendiados caixotes do lixo e viaturas, segundo a PSP. A PSP esclarece em comunicado que a “pelas 21h40, foram incendiadas duas viaturas em Odivelas e outras duas na Póvoa de Santo Adrião, com recurso a cocktails molotov”.

“Posteriormente, foram incendiados e destruídos 11 caixotes do lixo e danificadas, nesta sequência, 5 viaturas, na zona circundante ao Bairro da Cidade Nova, também com a utilização de cocktails molotov. No seguimento destes factos, a Polícia de Segurança Pública desenvolveu diligências e investigações que permitiram intercetar quatro suspeitos, tendo sido detido um indivíduo do sexo masculino, de 18 anos de idade, depois de reconhecimento por testemunhas como um dos autores do lançamento dos engenhos incendiários”. Esquadra da Bela Vista atacada de madrugada Segundo o mesmo comunicado da PSP, pelas 03h15 desta terça-feira, na Bela Vista, Setúbal, “foram lançados 3 cocktails molotov contra a esquadra da PSP. Não houve registo de feridos mas observaram-se danos na esquadra e numa viatura civil. Não foram ainda identificados os suspeitos desta ação criminosa”

Os casos da última noite surge depois de episódio violentos que tiveram lugar no Bairro do Jamaica, em Seixal e em Lisboa. No domingo, moradores do bairro do Jamaica agrediram polícias, que os populares acusam de ter feito uma carga violenta, se qualquer justificação. Esta segunda-feira, residentes do Jamaica fizeram protesto na Baixa de Lisboa e houve conforntos, com a polícia a disparar tiros de balas de borracha para conter

Ler mais em::::> Correio da Manhã

Alcochete – Sporting. Ataque à equipa foi planeado previamente

18 de Maio 2018

O Ministério Público defende a prisão preventiva para os 23 suspeitos por haver risco de continuarem a atividade criminosa


O Ministério Público (MP) alegou em tribunal que os 23 detidos pelas agressões na Academia do Sporting, em Alcochete, agiram de acordo com um plano previamente combinado para intimidar e agredir os jogadores e elementos da equipa técnica da equipa principal do clube leonino. Segundo a descrição da procuradora do MP, depois de ter ouvido os testemunhos das vítimas, este “bando” atuou com um “forte sentimento de impunidade, demonstrando uma personalidade desviante do direito”.

O grupo detido – que constitui menos de metade dos cerca de 50 que invadiram o centro de treinos – estava ainda a ser ouvido em tribunal à hora do fecho desta edição e ainda não eram conhecidas as medidas de coação. No entanto, a magistrada do MP não tem dúvidas de que essas medidas terão que ser mais graves do que o Termo de Identidade e Residências. Isto porque, no seu entender, estão verificados os pressupostos para a prisão preventiva: perturbação do inquérito (nomeadamente para a conservação da prova já produzida); perigo de continuação da atividade criminosa; perigo de perturbação da ordem e tranquilidade pública.

“Vocês são uns filhos da puta, cabrões. Vocês são um monte de merda. Vamos-vos matar! Vocês estão fodidos! Vamos-vos arrebentar a boca toda” Não ganhem o jogo no domingo que vocês vão ver”, foram algumas das ameaças ouvidas que os jogadores e dirigentes transmitiram ao MP. De acordo com os relatos, os arguidos já iam munidos de tochas, que arremessaram para o recinto logo que chegaram, causando logo queimaduras a um elemento da equipa técnica.

Agrediram depois violentamente vários jogadores e outras pessoas presentes. O treinador Jorge Jesus foi atingido com um cinto na cara e pontapeado em diversas partes do seu corpo. Segundo ainda a descrição do MP, depois de terem cumprido o seu objetivo premeditado, o “bando” colocou-se em fuga apeada. Nesta altura, a GNR já tinha sido informada dos incidentes e estava a chegar à Academia.

Os arguidos estão indiciados por vários crimes, o mais grave dos quais de terrorismo. Este crime pode ser imputado, de acordo com a lei, sempre que “um agrupamento de duas ou mais pessoas, atuando concertadamente” ajam para “intimidar certas pessoas, grupos de pessoas ou a população em geral”, através de ameaças ou contra a sua integridade física.

Veja mais em ::::> Diário de Notícias

Abril 2017 Estocolmo ataque terrorista: Pelo menos três mortos causados por um caminhão sequestrado

Pelo menos três mortos e muitos feridos depois de um ataque terrorista
Polícia liberta imagem de homem qque pennsam ter conexão com ataque
Polícia sueca prendeu duas pessoas para interrogatório
Testemunhas relatam centenas de compradores correndo por suas vidas
Capital sueca entra em lockdown e estação central evacuada
Primeiro-ministro sueco: Tudo indica que isso é terrorismo
Este ataque vem na sequencia de outros que utilizaram camiões causando as atrocidades de Nice e Berlim

Seo wordpress plugin by www.seowizard.org.