Tag: Covid-19

Autarcas de municípios mais afetados pedem mais meios, coordenação e fiscalização no combate à pandemia

Fernando Medina, Lisboa
1 – Os números não estão a aumentar, mas também não mostram tendência consistente para diminuir. Temos de fazer mais e melhor para reduzir os novos casos.
2 – Temos de ter consciência cívica, individual e coletiva. É essencial ter equipas de saúde no terreno a verificar se o isolamento está a ser observado e se há condições para o manter.

Carlos Carreiras, Cascais
1 – Cascais teve taxas de infeção muito baixas, mas, naturalmente, não é uma ilha. Preocupam os surtos em lares, porque os idosos são a população mais frágil.
2 – Urge que os transportes públicos circulem em respeito pelas normas e que entre em funcionamento a app para quebrar cadeias de transmissão. Mais ainda, importa apoiar os doentes.

Isaltino Morais, Oeiras 
1 – Em Oeiras, cedo iniciámos as medidas de prevenção, à medida das necessidades e sempre em linha com as orientações da DGS e do Governo da República.
2 – Temos reserva de equipamentos de proteção individual e estamos preparados financeiramente para responder a necessidades que surjam. Não queremos ninguém com fome.

Carla Tavares, Amadora
1 – O nosso concelho é o mais pequeno dos 18 municípios e o mais densamente povoado do País. Temos maior propensão para a propagação da epidemia.
2 – Do último Conselho de Ministros saíram medidas essenciais para ajudar a controlar os focos e ajudar-nos a muscular a intervenção. É fundamental manter quadro de contraordenações.

Basílio Horta, Sintra
1 – Sintra registou um decréscimo de casos, só possível graças à implantação de medidas coordenadas entre os municípios e pelo aumento da fiscalização.
2 – O Município de Sintra defende a importância de quebrar as cadeias de transmissão com a maior rapidez e eficiência. Importa também reforçar a fiscalização nos transportes públicos.

Hugo Martins, Odivelas
1 – A situação de Odivelas tem evoluído de forma positiva, sem focos significativos, exceção feita a situações recentes em dois lares da freguesia de Caneças.
2 – Temos pela frente uma corrida de fundo, cujo sucesso será tanto maior quanto maior for a sintonia entre as diversas entidades envolvidas e a responsabilidade de cada cidadão.

Inês de Medeiros, Almada
1 – Não está identificado qualquer surto no concelho. Ainda assim, acompanhamos as autoridades de saúde para uma resposta imediata, se necessário.
2 – Entre as diversas medidas que implementámos, destacamos a ativação dos planos de emergência de proteção civil e emergência social e o Plano Almada Solidário, de 5 milhões €.

Frederico Rosa, Barreiro
1 – Acompanhamos a situação com cautela. Temos o Plano Municipal de Proteção Civil ativo desde março e estamos em ligação direta com as autoridades que envolve.
2 – O mais importante é não baixar os braços e cumprir as regras. Os transportes no Barreiro estiveram sempre acima do que era requerido. A ligação entre entidades é essencial.

Joaquim Santos, Seixal
1 – A situação no nosso município está controlada: estamos na 11ª posição, em ordem de grandeza, no número de infetados por 10 mil habitantes.
2 – O Seixal não integra o grupo de municípios com medidas agravadas. Assim sendo, prossegue o plano de contingência e combate à Covid-19 no quatro do Estado de Alerta Municipal.

Fernando Pinto, Alcochete
1 – Temos acompanhado o assunto com assertividade desde o início. Temos a situação controlada, sem, contudo, perdermos o foco deste tema.
2 – Não vejo necessidade de acrescentar medidas face ao que temos vindo a desenvolver. Face aos números, devemos manter a atitude que temos tido até ao momento.

Bernardino Soares, Loures
1 – Não temos novos focos e nos que existiam há diminuição de casos. Temos equipas no terreno, com técnicos, para garantir os apoios às pessoas infetadas.
2 – É urgente reforçar a Unidade de Saúde Pública e as equipas no terreno. Vamos manter a monitorização da oferta de transportes públicos, sobretudo em hora de ponta.

Hélder Sousa Silva, Mafra
1 – A situação tem vindo a agravar-se, pelo que reforçámos as ações de sensibilização e fiscalização, punindo quem infringe as normas em vigor.
2 – É urgente reforçar a fiscalização às infrações, com tolerância zero em cafés, esplanadas, restaurantes. É preciso vigiar os casos ativos da doença e estar muito atento às praias.

Rui Garcia, Moita
1 – Entre outras medidas, reforçámos a desinfeção de espaços públicos, estamos a entregar equipamento de proteção e há regras para os espaços municipais.
2 – É urgente reforçar os transportes públicos na Área Metropolitana de Lisboa e, é claro, investir no Serviço Nacional de Saúde. Se algo ficou claro foi a importância desse serviço.

Nuno Canta, Montijo
1 – Estamos atentos à situação dos lares, onde implementámos medidas de segurança apertadas. Felizmente, só temos um morto a lamentar no Montijo.
2 – Tivemos um pequeno surto nas fábricas de carne, e controlámo-lo rapidamente. Atuámos onde é preciso: nas carrinhas de transportes. É o maior foco de transmissão do vírus. 

Álvaro Balseiro Amaro, Palmela
1 – Não temos surtos ou situações sem controlo. Conhecemos todos os casos e acompanhamo-los diariamente. Os doentes estão todos confinados.
2 – É preciso uma segunda leva de testes em lares de idosos e em centros de acolhimento de grupos vulneráveis. Deveria também haver testes a todos os profissionais do setor educativo.

Francisco de Jesus, Sesimbra
1 – Nunca houve um número elevado de casos e conseguimos evitar surtos ao nível das escolas, creches e lares. A população tem sido exemplar.
2 – É preciso identificar os focos de propagação na região e desenvolver ações dirigidas a essas situações. Também é essencial reforçar os meios ao serviço das forças de segurança.

Alberto Mesquita, Vila Franca de Xira
1 – À data, existem no concelho de Vila Franca de Xira 346 casos ativos de Covid-19. De um total de 965 casos confirmados, são 604 os doentes recuperados.
2 – A evolução da pandemia é acompanhada diariamente com a Autoridade de Saúde local e avaliada em reuniões da comissão de proteção civil, atuando-se em conformidade.

Maria das Dores Meira, Setúbal
1 – Casos estão abaixo da média da Região de Lisboa e Vale do Tejo, mas autarquia mantém uma atividade pró-ativa e próxima das populações e das instituições.
2 – Reforçar o distanciamento social e as restantes regras da Direção-Geral da Saúde; aumentar carreiras dos transportes públicos; controlar os acessos às praias e espaços públicos.

veja mais em :::::> Correio das Manhã

ÁREA METROPOLITANA DE LISBOA EM ESTADO DE CONTINGÊNCIA

25 de Junho 2020

AML

Estado de contingência
Estabelecimentos comerciais encerrados às 20 horas, com excepção de: restauração, supermercados, postos de combustível, clínicas, consultórios, veterinários, farmácias, funerárias e equipamentos desportivos; ajuntamentos com um máximo de 10 pessoas; proibida a venda de álcool nas estações de serviço

Portugal Continental

Estado de Alerta
Confinamento obrigatório para doentes e pessoas em vigilância; distanciamento social, uso de máscara, lotação máxima e higienização dos espaços; ajuntamentos com um máximo de 20 pessoas e proibição de consumo de álcool na via pública

<h3>19 freguesias da AML/h3>
Estado de Calamidade
Dever cívico de recolhimento domiciliário; Feiras e mercados de levante proibidos; ajuntamentos com um máximo de 5 pessoas 19 freguesias abrangidas pelo Estado de Calamidade são: todas dos concelhos de Amadora e Odivelas; Queluz-Belas/Massamá, Monte Abraão/Agualva; Mira Sintra/Algueirão-Mem-Martins, Rio de Mouro, Cacém/São-Marcos; Camarte, Unhos, Apelação, Sacavém-Prior Velho; Santa Clara.

Veja mais em::::> A BOLA

Barreiro / Setúbal- Jornadas de Bioinformática do IPS 3ª edição sobre combate à COVID-19 integralmente em formato online . Até 9 de junho

As Jornadas de Bioinformática do Instituto Politécnico de Setúbal (IPS), que este ano cumprem a sua 3ª edição em formato online, promovem mais uma sessão já na próxima terça-feira, dia 2 de junho, pelas 14h00, conduzida por José Borbinha, docente do Instituto Superior Técnico.

Este ano sob o tema “A Bioinformática no Combate à COVID-19”, a iniciativa é organizada pela coordenação da licenciatura em Bioinformática do IPS e destina-se a todos os profissionais e estudantes da área.

As Jornadas de Bioinformática do Instituto Politécnico de Setúbal (IPS), que este ano cumprem a sua 3ª edição em formato online, promovem mais uma sessão já na próxima terça-feira, dia 2 de junho, pelas 14h00, conduzida por José Borbinha, docente do Instituto Superior Técnico, que abordará em vídeoconferência a temática da colaboração europeia na gestão de dados em Bioinformática, elencando também as oportunidades de investigação no Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores (INESC-IST-UL).
Este ano sob o tema “A Bioinformática no Combate à COVID-19”, a iniciativa é organizada pela coordenação da licenciatura em Bioinformática do IPS e destina-se a todos os profissionais e estudantes da área, bem como a todos interessados da comunidade externa, entre autarquias, empresas municipais, entidades e empresas privadas. Na quarta-feira, dia 3, pelas 14h30, está ainda prevista uma mesa redonda com diplomados e finalistas da licenciatura, onde se discutirá o ingresso no mercado de trabalho. As jornadas encerram no dia 9 com o workshop de R: “Análises de dados genómicos 101” (14h00-18h00), conduzido por Francisco Pina Martins, docente da ESTBarreiro/IPS e da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa (FCUL).

Recorde-se que a licenciatura em Bioinformática do IPS é um curso em associação das escolas superiores de Ciências Empresariais (ESCE/IPS), Saúde (ESS/IPS), Tecnologia de Setúbal (ESTS/IPS) e Tecnologia do Barreiro (ESTB/IPS), sendo uma área do conhecimento emergente, que se situa no interface entre as Ciências Biológicas, a Informática e a Matemática, e que foi fortemente impulsionada pela sequenciação de genomas. A sua aplicabilidade na sociedade atual é vasta, abarcando desde as indústrias farmacêutica e agroalimentar até às empresas de Biotecnologia e de Tecnologias da Informação.

Todas as sessões decorrerão na plataforma Zoom. Antes de cada sessão, será enviada aos inscritos a senha de acesso. Programa e inscrições (gratuitas) em http://jbi.estbarreiro.ips.pt/.

veja mais em ::::> ROSTOS

Câmara Municipal do Seixal aprova 375 mil euros para movimento associativo Lança obra do Parque Metropolitano da Biodiversidade

21 de Maio 2020

A Câmara Municipal do Seixal aprovou hoje, em reunião de câmara, a atribuição de várias comparticipações financeiras para apoio ao movimento associativo e instituições, no valor total de 375 706 euros. Este apoio da autarquia é mais uma medida para combater os efeitos da crise causada pela pandemia covid-19, que também atingiu coletividades e outras associações do concelho.

O presidente da Câmara Municipal do Seixal, Joaquim Santos, referiu a este propósito que “sabemos da dificuldade por que passam as nossas coletividades e associações e, por isso, estas verbas serão fundamentais neste momento de crise, que iremos pagar na totalidade no mês de junho, como mais uma medida extraordinária de apoio”.

Nesta reunião de câmara foi também aprovado o lançamento do concurso público para a empreitada do Parque Metropolitano da Biodiversidade, no valor de 626 706,10 euros. O Parque Metropolitano da Biodiversidade, na Verdizela, freguesia de Corroios, pela sua dimensão e localização, assumirá um papel importante na estrutura verde e de recreio do concelho do Seixal, estendendo-se nesta 1.ª fase por cerca de 7 hectares. No futuro, com uma área total de 400 hectares, será o segundo maior parque urbano da Área Metropolitana de Lisboa, depois de Monsanto.

Joaquim Santos, presidente da Câmara Municipal do Seixal, afirmou que “esta 1.ª fase marca o início de um grandioso parque urbano para a população do concelho do Seixal, mas também da Área Metropolitana de Lisboa”.

O parque contemplará percursos pedonais e de bicicleta e fará ligação à Rede de Trilhos de Interpretação Ambiental do Município do Seixal. No local haverá também uma zona de estadia com bancos e mesas e um Espaço de Interpretação e Educação Ambiental, com uma área multiusos que dará apoio aos utentes do parque. Será também criado um pequeno charco biológico que permitirá a visualização de anfíbios em ações de educação ambiental. Todo o parque será acessível a pessoas com mobilidade reduzida.

A proposta de criação de um Parque Metropolitano da Biodiversidade neste lugar é substanciada pela existência, proximidade e ligação a habitats classificados associados a estas zonas húmidas. A valorização destas áreas e a sua proteção é o objetivo principal deste parque, através da requalificação e recuperação da vegetação existente, potenciando a regeneração natural.

Veja mais em ::::> ROSTOS

Distrito de Setúbal apenas com mais 1 caso de covid-19 registado no concelho do Seixal

No distrito de Setúbal registam-se 722 casos confirmados (mais 1 que ontem, que foi registado no concelho do Seixal), com o concelho de Almada a liderar ainda a listagem com os mesmos 231 casos de ontem, seguida do Seixal com 163, mais 1 caso que ontem.
Todos os restantes concelhos do distrito mantêm, neste relatório da DGS, os mesmos casos de ontem: Barreiro 89, Moita 61, Setúbal 59, Montijo 44, Sesimbra 20, Palmela 16, Alcochete 14, Santiago do Cacém 14, Grândola 7 e Alcácer do Sal 4 casos, sendo que Sines volta a não fazer parte deste relatório, uma vez que concelhos com menos de três casos não são inseridos na listagem.

O relatório diário da DGS dá conta de que hoje se registam 24.322 casos confirmados de covid-19, um aumento de 295 casos em relação a ontem, com um total de 948 óbitos, mais 20 vítimas mortais que ontem.

O relatório diário da DGS dá conta de que hoje se registam 24.322 casos confirmados de covid-19, um aumento de 295 casos em relação a ontem, com um total de 948 óbitos, mais 20 vítimas mortais que ontem.
Em internamento encontram-se 936 pessoas, menos 59 que ontem, e há 172 pessoas em cuidados intensivos. Há ainda 1389 casos recuperado, mais 32 que ontem.
A região norte do país continua a ter o maior número de casos, 14.702 casos, e 546 óbitos; o centro tem 3.289 casos e 194 óbitos; Lisboa e Vale do Tejo regista 5.593 casos e 185 óbitos; o Alentejo com 201 casos e mantém 1 óbito; o Algarve tem 330 casos e mantém 12 óbitos; os Açores com 121 casos e sobe para 10 óbitos e a Madeira mantém os 86 casos e sem óbitos.

Veja mais em ::::> Distrito de Setúbal

Testes a profissionais de lares de idosos arrancam em Setúbal e Palmela

Por Mário Rui Sobral 28/04/2020

Em Setúbal começaram ontem a ser testados oito lares. Em Palmela começam amanhã

Os testes de rastreio à Covid-19 a profissionais de lares de idosos, planeados para toda a Área Metropolitana de Lisboa (AML), tiveram início ontem em oito lares do concelho de Setúbal. No concelho de Palmela começam amanhã e até ao fim desta semana espera-se que, em toda a margem sul do Tejo, sejam realizados 250 testes por dia a profissionais de lares.

Realizados nas instituições sociais, em Setúbal e Palmela os testes aos funcionários são monitorizados por técnicos da Faculdade de Ciências, do Instituto Superior Técnico e do Instituto de Medicina Molecular, à semelhança do que também será aplicado em todos concelhos da AML.

Tal como em Setúbal, no concelho de Palmela a realização dos testes de rastreio é ainda antecedida de visitas técnicas aos equipamentos por técnicos do Serviço Municipal de Proteção Civil, da Segurança Social e da Autoridade de Saúde Pública.

Estas visitas permitem avaliar planos de contingência das instituições e a preparação dos profissionais, para a eventualidade de se registar um caso positivo na instituição.

Medidas que vêm responder às expectativas avançadas na passada semana pelo presidente da Câmara Municipal de Palmela, Álvaro Amaro.

No decorrer deste processo, em toda a AML vão ser testados oito mil profissionais de lares de idosos e serviços de apoio domiciliário, com uma capacidade instalada de 500 testes por dia, entre as duas margens do Tejo. No entanto, esta capacidade pode aumentar com o envolvimento do Instituto Politécnico de Setúbal e da Fundação Champalimaud.

O secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares, Duarte Cordeiro, já confirmou que espera testar, numa primeira fase, todos os funcionários das estruturas residenciais para pessoas idosas e dos serviços de apoio domiciliário da península de Setúbal, onde ainda não houve qualquer registo de casos de infecção por Covid-19.

 Alentejo conclui testes até ao fim de Maio

O Alentejo vai concluir até ao final de Maio os testes à Covid-19 em todos os lares de idosos da região, assegurou o secretário de Estado Adjunto e da Defesa Nacional, Jorge Seguro Sanches.

O Governante, responsável pela coordenação da execução do estado de emergência nessa região, avançou à agência Lusa que no Litoral Alentejano “foi fechado o entendimento com a comunidade intermunicipal e os testes também já estão em início”. E no Baixo Alentejo (distrito de Beja], no domingo, os testes preventivos em lares começaram a ser realizados no concelho de Serpa.

“No Alentejo Central [distrito de Évora], já se realizaram mais de 1 300 testes e no norte alentejano [distrito de Portalegre] mais de 2 000, através da Unidade Local de Saúde e da Segurança Social”, disse.

Questionado sobre se os testes preventivos avançaram tarde, o secretário de Estado respondeu que “estaremos sempre a correr atrás do tempo, porque nunca, nem o mundo, nem a Europa, nem o país, estavam preparados para este tipo de pandemia”.

Com Ana Martins Ventura e Lusa

veja mais em :::::> O Setúbalense

Hospital Garcia de Orta deseja boa Páscoa

12 de Abril 2020

HGO e os "dias covid"

O HGO deseja a todos/as uma Páscoa tão feliz quanto possível. Este vídeo foi feito para agradecer a doação da Medicare e do programa Cristina, da SIC e é agora também dedicado a todos/as. Profissionais de vários Serviços do HGO, dedicados à covid 19, mostram vários aspetos do que é o dia-a-dia atualmente.Tudo vai passar, vamos ficar bem.

Publicado por Hospital Garcia de Orta, EPE em Domingo, 12 de abril de 2020

O HGO deseja a todos/as uma Páscoa tão feliz quanto possível. Este vídeo foi feito para agradecer a doação da Medicare e do programa Cristina, da SIC e é agora também dedicado a todos/as.
Profissionais de vários Serviços do HGO, dedicados à covid 19, mostram vários aspetos do que é o dia-a-dia atualmente.
Tudo vai passar, vamos ficar bem.

Veja mais em ::::> HGO

Seixal cria espaço de apoio ao Hospital Garcia de Orta

Por Redação S+ Imagem DR -9 de Abril, 2020

A falta de um hospital funcional no concelho do Seixal está a levar os doentes de Covid-19 para Almada.

A Câmara Municipal do Seixal criou um espaço com cerca de 700 metros quadrados que servirá para acolher equipamentos de combate à pandemia de Covid-19 e, em simultâneo, permitirá auxiliar toda a estrutura instalada no Hospital Garcia de Orta, em Almada.

Este novo espaço tem um piso isolante e instalação elétrica, conforme disse o presidente do município, Joaquim Santos, que aproveitou ainda a ocasião para lembrar que a população do Seixal é obrigada a recorrer ao Garcia de Orta por ainda não possuir no seu concelho o hospital que há muitos anos vem sendo reclamado junto dos vários Governos.

A Câmara do Seixal tem já a funcionar o Centro de Acolhimento Temporário, no Pavilhão Municipal da Torre da Marinha, destinado a pessoas que necessitam de se manter isolada e não disponham de condições para tal. Também já estão a funcionar o Centro de Apoio para Grupos de Reforço de Bombeiros, no edifício dos serviços operacionais da Câmara, e o centro de Acolhimento Temporário para Sem-Abrigo, no pavilhão da Escola Secundária Manuel Cargaleiro.

veja mais em ::::> SEMMAIS

Comunicado da Presidente da Câmara Municipal de Almada

24 de Março 2020

Declaração da Presidente da Câmara Municipal de Almada

Assista à mensagem da Presidente da Câmara Municipal de Almada e conheço o novo Plano de Emergência Social para apoio aos nossos idosos e grupos de risco.

Publicado por Câmara Municipal de Almada em Terça-feira, 24 de março de 2020

Covid-19 | Hospital do Barreiro com primeira vítima mortal na região

Por Mário Rui Sobral 23/03/2020

A primeira vítima mortal por Covid-19 em unidades hospitalares da região foi registada esta manhã no Hospital Nossa Senhora do Rosário, no Barreiro.

A informação foi avançada a O SETUBALENSE por fonte hospitalar.

Até ao momento não foi ainda possível apurar outros dados.

Frederico Rosa, presidente da Câmara Municipal do Barreiro, em declarações a O SETUBALENSE, apenas confirma que teve conhecimento da informação por via oficiosa, estando a aguardar pela comunicação das entidades competentes de saúde.

“Sabemos dessa informação em termos oficiosos. Nada nos foi ainda comunicado em termos oficiais. Não sabemos, portanto, quem ou de onde é a vítima”, disse o autarca.

Fonte ::::> O Setubalense

Seo wordpress plugin by www.seowizard.org.