Tag: eleições

No Círculo Eleitoral de Setúbal Partido Socialista vence e atinge resultado histórico . Elege 9 deputados

No Distrito de Setúbal conhecidos os resultados finais, oficiais, das Eleições Legislativas 2019, dão a vitória ao Partido Socialista com 152.433 votos, seguido da CDU com 62.236 votos. O PSD ocupa 3º lugar com 56.860 votos. O BE em 4º lugar obteve 47.863 votos. O PAN que elege deputado alcança 17.529 votos. CDS/PP perdeu deputado.

No Distrito de Setúbal conhecidos os resultados finais

Partido Socialista
38,58%152.433 votos
Mandatos9

PCP-PEVCDU – Coligação Democrática Unitária
15,75%62.236 votos

PPD/PSDPartido Social Democrata
14,39%56.860 votos
Mandatos3

B.E.Bloco de Esquerda
12,11%47.863 votos
Mandatos2

PANPESSOAS-ANIMAIS-NATUREZA
4,44%17.529 votos
Mandatos1

CDS-PPCDS – Partido Popular
2,96%11.703 votos

CHCHEGA
1,93%7.643 votos

LLIVRE
1,23%4.874 votos

ILIniciativa Liberal
1,05%4.133 votos

PCTP/MRPPPartido Comunista dos Trabalhadores Portugueses
0,90%3.538 votos

AAliança
0,73%2.889 votos

R.I.R.Reagir Incluir Reciclar
0,53%2.107 votos

PNRPartido Nacional Renovador
0,45%1.771 votos

MPTPartido da Terra
0,28%1.106 votos

PURPPartido Unido dos Reformados e Pensionistas
0,26%1.033 votos

NCNós, Cidadãos!
0,26%1.025 votos

PPMPartido Popular Monárquico
0,19%739 votos

PDRPartido Democrático Republicano
0,18%692 votos

PTPPartido Trabalhista Português
0,11%431 votos

MASMovimento Alternativa Socialista
0,08%326 votos

EM BRANCO
2,07%8.191 votos

NULOS
1,53%6.038 votos

Votantes
53,64%
395.160 votantes
736.683 inscritos

DEPUTADOS ELEITOS POR SETÚBAL

B.E.
(2 candidatos eleitos)
Efetivos
1. Joana Rodrigues Mortágua
2. Sandra Mestre da Cunha

PAN
(1 candidato eleito)
Efetivos
1. Maria Cristina Pacheco Rodrigues

PCP-PEV
(3 candidatos eleitos)
Efetivos
1. Francisco José de Almeida Lopes
2. Paula Alexandra Sobral Guerreiro Santos Barbosa
3. José Luis Teixeira Ferreira

PPD/PSD
(3 candidatos eleitos)
Efetivos
1. Nuno Miguel Oliveira de Carvalho
2. Fernando Mimoso Negrão
3. Maria Fernanda Pardaleiro Velez

PS
(9 candidatos eleitos)
Efetivos
1. Ana Catarina Veiga dos Santos Mendonça Mendes
2. Eduardo Arménio do Nascimento Cabrita
3. Eurídice Maria de Sousa Pereira
4. João Saldanha de Azevedo Galamba
5. Ricardo Emanuel Martins Mourinho Félix
6. Catarina Marcelino Rosa da Silva
7. Maria Antónia Moreno Areias Almeida Santos
8. Filipe Alexandre Pardal Pacheco
9. André Alexandre Pinotes Batista




VEJA MAIS EM :::> ROSTOS

MONTIJO | Câmara obrigada a remover da Internet fotos da cerimónia do auto de consignação da EN4

Gestão socialista de Nuno Canta advertida pela segunda vez. Comissão Nacional de Eleições deu razão a denúncia apresentada pelo PSD

A Comissão Nacional de Eleições (CNE) determinou que a Câmara Municipal do Montijo removesse em 24 horas as fotografias alusivas à cerimónia do auto de consignação da obra de reabilitação da Estrada Nacional (EN) 4, que liga Montijo e Pegões, da página oficial da autarquia na Internet, revelou o PSD local em nota de Imprensa.

Na mesma nota, o PSD afirma que a CNE “advertiu ainda os presidentes da Câmara Municipal do Montijo e da Junta de Freguesia da União de Freguesias de Pegões de que, no futuro, devem abster-se de promover iniciativas susceptíveis de violarem os deveres de neutralidade e de imparcialidade e a proibição de realização de publicidade institucional”.

A cerimónia do auto de consignação da obra teve lugar no passado dia 14 de Agosto. A decisão da CNE surge agora na sequência de “uma denúncia” feita então pelo presidente do PSD do Montijo e vereador na autarquia, Pedro Vieira, devido a um convite promovido pelo município. “Do que é perceptível no convite, o que se passa é completamente distinto do normal. A cerimónia realiza-se na sede de uma autarquia (Junta de Freguesia de Pegões), quem abre a cerimónia é o presidente de União das Juntas de Freguesias de Pegões, António Miguéns, o representante das Estradas de Portugal apresenta o projecto, após o que se celebra o contrato entre as partes, e a cerimónia é encerrada pelo presidente da Câmara Municipal de Montijo , Nuno Canta”, expôs Pedro Vieira, acrescentando que o convite foi feito “em nome das Infra-estruturas de Portugal, conjuntamente com o presidente da Câmara Municipal, o que é de todo estranho porque a Câmara Municipal de Montijo não é participante desta obra”.

Perante estes factos, a CNE entendeu que “o envio do convite para a cerimónia da assinatura do auto de consignação de uma obra a realizar, no qual o presidente da Câmara Municipal é referido como convidante, a associação do mesmo e do presidente da Junta de Freguesia da União de Freguesias de Pegões à referida cerimónia, bem como a divulgação de fotografias do evento no sítio da respectiva Câmara Municipal, são actos susceptíveis de serem entendidos como uma promessa para o futuro e como uma intervenção da autarquia no sentido de promover uma candidatura em detrimento de outras, não garantindo, desse modo, o cumprimento dos deveres de neutralidade e de imparcialidade a que todas as entidades públicas estão obrigadas”, adianta o PSD.

Os social-democratas lembram ainda que Nuno Canta é reincidente neste tipo de acção. “Já no passado mês de Julho, a CNE ordenou a Nuno Canta que removesse os cartazes relativos à divulgação de projectos incluídos no Pacto para o Desenvolvimento Territorial da Área Metropolitana de Lisboa 2014-2020/Portugal 2020”, critica o PSD a concluir.

Nuno Canta discorda mas acata

O presidente da Câmara Municipal do Montijo, Nuno Canta, tem um entendimento diferente do da CNE, porém optou por acatar a determinação daquele organismo e as fotos, confirmou, já foram retiradas da página da autarquia na Internet.

“A Câmara tem um entendimento contrário porque a obra já está no terreno, como o atesta o auto de consignação, que marca o início da obra. Não se entende, por isso, que possa ser vista como obra futura”, explicou o autarca ao DIÁRIO DA REGIÃO, adiantando: “Retirámos as fotos para evitar qualquer conflito com a CNE.”

Para sustentar a posição que defende, Nuno Canta reforçou ainda que o processo para a requalificação da EN 4 “iniciou-se muito antes das eleições autárquicas”, já que arrancou “em Janeiro” deste ano. A terminar, o socialista lamentou que a oposição, e em particular o PSD, tente confundir, na opinião pública, a figura de Nuno Canta enquanto presidente da autarquia com a figura de Nuno Canta enquanto candidato pelo PS, considerando este como “um não caso”.

Veja mais em ::::> Diário da Região

Gerações – vídeo nº 3 – Portugal de 1908 a 1910

Eleições de 1908, 1910 e revolução de 5 de Outubro de 1910

Presidenciais 2016 – Marcelo teve mais votos em todos os distritos

marcelo
No Norte e no Centro o domínio foi esmagador, mas até em Beja o futuro Presidente da República foi o candidato que recebeu mais votos

De norte a sul e nas ilhas, Marcelo Rebelo de Sousa foi o candidato que mais votos recolheu em todos os distritos do país. No Norte e no Centro as votações foram esmagadoras, com maioria absoluta em quase todos os distritos. Viseu foi o distrito em que obteve o melhor resultado, com 62,66%, acima dos valores de Bragança, Vila Real e Leiria, em que também superou os 61% dos votos.

Sampaio da Nóvoa fez melhor do que Manuel Alegre em vários distritos, sem que esses votos permitissem impedir a vitória do adversário à primeira volta. Marisa Matias teve bons resultados, batendo Edgar Silva em quase todos os distritos – exceções são Madeira, Beja e Évora. O candidato, com o apoio do PCP, teve um mau resultado. O melhor que conseguiu foi na Madeira, sua terra, onde foi segundo, e em Beja, terceiro com 15%. Maria de Belém foi um desastre em todos os distritos e foi mesmo batida por Vitorino Silva no Porto e em Viana do Castelo.

Professor bateu o reitor na capital dos estudantes

Marcelo Rebelo de Sousa não teve problemas em bater Sampaio da Nóvoa em Coimbra. Na capital dos estudantes, o professor obteve 50,2%, mais 27 pontos percentuais do que o ex-reitor da Universidade de Lisboa. Apesar de a percentagem de Marcelo ser inferior à de Cavaco Silva há cinco anos (teve 52%), o atual presidente teve quase menos dez mil votos do que aquele que será o seu sucessor. Já Sampaio da Nóvoa teve mais cinco mil votos do que Manuel Alegre em 2011. Em Coimbra, como a nível nacional, Marisa Matias foi a terceira (14%) – só no concelho de Condeixa-a-Nova conseguiu bater Nóvoa. Maria de Belém foi quarta (4,6%), seguida de Vitorino Silva (2,6%) e Edgar Silva (2,2%).

Almada

presidenciais

Fonte ::::> Diário de Notícias

Candidata presidencial Maria de Belém sublinha em Setúbal importância da economia social

A candidata presidencial Maria de Belém afirmou hoje, em Setúbal, que a economia social é um eixo importante da sua candidatura, porque é uma área de intervenção fundamental para que muitas pessoas consigam reconstituir as suas vidas.

mbelem
Esta área “tem um enorme poder de intervenção na reconstituição da vida de muitas pessoas, que, se não fosse esta forma de economia [social], estariam completamente fora de qualquer hipótese de vida com dignidade”, disse.

Maria de Belém falava aos jornalistas no final de uma visita ao Centro Social de Nossa Senhora da Paz, da Cáritas Diocesana de Setúbal, em que se fez acompanhar pelo reitor do ISCTE-Instituto Universitário de Lisboa, Luís Reto, autor de um estudo sobre a importância económica da economia social.

“Aquilo que vim aqui visitar foi um estabelecimento muito importante da Cáritas Diocesana de Setúbal, Centro Social de Nossa senhora da Paz, que está inserido num bairro social [Bela Vista], com problemas muito específicos e muito próprios”, disse a candidata presidencial.

“E aquilo que nós vemos é uma capacidade grande de intervenção social em várias áreas, desde o acolhimento de crianças, até ao acolhimento de pessoas mais velhas, quer em centro de dia, quer em apoio domiciliário e, também, um protocolo com o IEFP (Instituto de Emprego e Formação Profissional), que permite dar competências a muitas das pessoas que aqui moram e que não têm, sequer, as competências básicas mínimas”, acrescentou.

Questionada pelos jornalistas, Maria de Belém reafirmou a intenção de dar a conhecer a realidade portuguesa a chefes de Estado estrangeiros e a outras personalidades, com visitas a universidades, lares de idosos e outros equipamentos, deixando claro que, se for eleita para a Presidência da República, não se irá cingir aos jantares protocolares em Palácios e outros espaços tradicionais.

“Temos de mostrar o nosso país como ele é, sejam as nossas universidades, que são extraordinárias hoje em dia e que têm atividades no domínio da investigação, que devem ser conhecidas. É o país desenvolvido que nós queremos mostrar”, defendeu.

Segundo Maria de Belém Roseira, também devem ser mostradas as “redes de acolhimento”.

“Como é que nós trabalhamos e como é que nós pretendemos que as pessoas tenham oportunidades na vida, para que não sejam as primeiras vítimas da crise económica e financeira. Como dizia o relatório da Cáritas Europa do ano passado, os pobres são as vítimas de uma crise que não causaram”, concluiu.

GR // JLG

Lusa/Fim
Fonte ::::> SAPO noticias

Edgar já deteta “sinais negativos” no novo “quadro político”

O candidato comunista continuou durante a tarde na margem sul. Depois de Almada, de manhã, rumou ao “camarada” concelho de Palmela

edgar2
Edgar Silva começa sempre por destacar, nas intervenções ou curtas declarações que vai fazendo ao longo do dia, os “aspetos positivos” que estão a resultar do “novo quadro político”, referindo-se ao acordo de esquerda que apoia António Costa no governo. O previsível regresso das 35 horas de trabalho para a função pública e o anúncio da construção do novo hospital do Seixal (“há tantos anos ansiado por toda a região) são exemplos referidos. No entanto, ao final desta tarde, depois de uma arruada no Pinhal Novo, Edgar Silva avisou que não se pode estar “anestesiado”.

“Há outros sinais que temos de acompanhar com atenção”, sublinhou, “como é o caso do anúncio da privatização da CP-Carga, um plano que já vinha do anterior governo”. Para o candidato presidencial comunista “é um sinal de preocupação” e promete “como candidato e depois como Presidente da República (PR) a defesa das empresas públicas e do interesse público. Tudo devemos fazer para não ficar anestesiados e deve haver uma mobilização reivindicativa com muita força”.

Veja mais em::::> Diário de Notícias

1976 – Gaiola Aberta – José Vilhena

Assembleia nacional 1976

Assembleia nacional 1976

Catarina Martins: “quem vive na margem Sul está farto de pagar PPP”

O BE apontou esta quarta-feira à tarde o foco aos transportes públicos e aos riscos da sua concessão a privados.

BE
Lusa
Contra a concessão dos transportes públicos, o Bloco de Esquerda (BE) dedicou esta quarta-feira uma ação de campanha à viagem de metro entre Cacilhas e Corroios, considerando Catarina Martins que “quem vive na margem Sul está farto de pagar PPP”.

O BE apontou esta quarta-feira à tarde o foco aos transportes públicos e aos riscos da sua concessão a privados, viajando até Almada para mostrar que o Metro do Sul Tejo “não é uma solução de mobilidade para a maioria das pessoas que vivem na margem Sul, mas é uma PPP [parceria público-privada] para privados, é uma das mais rentáveis”.

Antes iniciar a viagem de cerca de 20 minutos que liga Cacilhas a Corroios, Catarina Martins – acompanhada pela cabeça de lista por Setúbal, Joana Mortágua – disse aos jornalistas que “quem vive na margem Sul está farto de pagar PPP”, como no caso do metro e da Lusoponte.

Veja mais em ::::> Correio da Manhã

Jerónimo de Sousa ataca PS

Jerónimo não fecha a porta a apoio para viabilizar esquerda.

jeronimo
Jerónimo de Sousa usou ontem a ironia para responder às críticas de Passos Coelho, que acusou os socialistas de quererem formar um “governo extremista” com a CDU e o BE. “É uma ingratidão perante o PS, que sempre alinhou com a política de direita e exploração”, disse o secretário-geral do PCP.

“Não, camaradas, não somos nós que os juntamos [PS, PSD e CDS-PP], são eles que passam a vida juntos e, como se vê, juntos querem continuar”, afirmou Jerónimo de Sousa, no complexo municipal dos desportos de Almada, com cerca de três mil pessoas.

Perante o cenário de que será necessário o apoio comunista para viabilizar um governo de esquerda, o líder da CDU não disse que sim, mas também não fechou totalmente a porta. “Estamos em condições de assumir quaisquer responsabilidades governativas, mas não abdicamos das conceções que temos e do nosso programa para servir o PS”, sustentou Jerónimo de Sousa, já numa arruada pelas ruas de Alcochete.

Veja mais em :::> Correio da Manhã

PS encerra campanha em Almada na sexta-feira

Líder socialista almoçou esta terça-feira em Setúbal.

psalmada
O PS encerra a sua campanha na sexta-feira com um comício em Almada, uma escolha que se justifica pela aposta feita na concentração de votos nos socialistas, num município cuja autarquia é considerada um bastião comunista.

Após o almoço da Trindade seguido da tradicional descida do Chiado, em Lisboa, o PS tem no comício da Praça São João Baptista, em Almada, o seu segundo principal momento do último dia de campanha.

Fonte socialista referiu à agência Lusa que a troca de Lisboa por Almada pela realização do último comício se relaciona com a “aposta forte” que o PS está a fazer no distrito de Setúbal nestas eleições legislativas.

“Nestes últimos quatro anos, o distrito de Setúbal foi abandonado pelo Governo, com várias empresas a fecharem, tendo sido dizimado pelo desemprego”, disse.

Mas, sobretudo nos últimos dias, o PS tem aumentado o tom dos seus apelos ao voto útil, invocando que a questão do dia 4 de outubro se coloca apenas entre saber se se mantém um Governo PSD/CDS ou se há uma mudança para um Governo socialista.

Comício em Setúbal
Esta terça-feira, num almoço comício em Setúbal, o secretário-geral do PS, António Costa, numa crítica à estratégia eleitoral que tem sido seguida pelo PCP e Bloco de Esquerda, recomendou aos partidos à esquerda dos socialistas que ataquem a maioria PSD/CDS-PP e Pedro Passos Coelho e Paulo Portas, não devendo desperdiçar “energia” enfrentando o PS.
“Estamos sozinhos contra a direita toda unida, a disputar palmo a palmo a vitória nestas eleições. O mínimo que se pede a essas outras forças políticas é que, ao menos, concentrem a sua energia, o seu discurso, o seu ataque, na direita, e não desperdicem energia a atacar o PS”, advogou Costa.

Veja mais em ::::> Correio da Manhã

Seo wordpress plugin by www.seowizard.org.