Tag: seixal

Câmara do Seixal exige mais carreiras no transporte fluvial no Tejo

09 Outubro 2017

A Câmara do Seixal exigiu hoje um aumento diário do número de barcos a fazer a ligação entre a cidade e Lisboa, acusando a empresa responsável pelas ligações fluviais de “desinvestimento”, situação que considera “insutentável”.

O presidente da Câmara, Joaquim Santos, apanhou hoje um barco na cidade em direção a Lisboa, pelas 08:10, para demonstrar “a sua solidariedade para com a população” do concelho do distrito de Setúbal, anunciou o município, em comunicado.

De acordo com a autarquia, nos últimos tempos a população do Seixal “tem vindo a ver reduzido o número de carreiras diárias e, apesar de apresentar milhares de reclamações, não obtém qualquer resposta por parte da empresa”.

O atual executivo, em conjunto com o presidente da União das Freguesias do Seixal, Arrentela e Aldeia de Paio Pires, António Santos, e vários elementos da Comissão de Utentes dos Transportes realizaram a viagem até à capital para demonstrar que “o transporte fluvial assume um papel de extrema importância na mobilidade das populações”.

As embarcações transportam cerca de 5 mil pessoas por dia para Lisboa, pelo que o município “reitera a sua solidariedade para com a população na reivindicação de mais carreiras, mais investimento nas frotas e ainda a criação de novas carreiras que possam ligar os concelhos ribeirinhos do Seixal, Almada, Barreiro e Montijo”.

Joaquim Santos referiu ainda, citado no comunicado, que “esta é uma situação insustentável, que prejudica diariamente a população, que paga um serviço do qual não usufrui”.

Desde 2011, acrescentou, já foram suprimidas 16 carreiras diárias e o desinvestimento da Transtejo e Soflusa – empresas de transporte público fluvial – na manutenção e reforço da frota tem-se vindo a acentuar.

As inúmeras supressões de carreiras por parte da Transtejo e Soflusa têm sido alvo de reclamações e protestos por parte da população, que tenta ver resolvida a situação.

O autarca lembrou que “apesar das várias reuniões e reivindicações da autarquia, até ao momento nada foi feito, apesar de em junho deste ano o Ministério do Ambiente ter anunciado um investimento de 10 milhões de euros para o plano de manutenção da frota de navios da Transtejo e Soflusa”.

De acordo com o Plano de Mobilidade e Transportes Intermunicipal, apresentado recentemente, o transporte fluvial de Lisboa encontra-se em “4.º lugar no mundo em termos de volume de passageiros médio diário de sistemas fluviais metropolitanos, com o total de 74 236 passageiros por dia, só superado por Istambul (150 mil passageiros), Rio de Janeiro (106 mil passageiros) e Nova Iorque (75 mil passageiros)”, relembra a autarquia no comunicado.

Segundo o mesmo documento, só no Seixal são transportados 5.573 passageiros por dia, número que poderia ser superior se a oferta do número de carreiras fosse também superior”, ressalva.

A Transtejo é a empresa responsável pelas ligações do Seixal, Montijo, Cacilhas e Trafaria/Porto Brandão com Lisboa, enquanto a Soflusa faz a ligação entre o Barreiro e a capital.

Veja mais em :::> SAPO 24

Explosão de carro lança pânico na margem sul

Desmantelamento de carro GPL originou alarme.

Uma bilha de gás no interior de uma viatura que estava a ser desmantelada no Seixal provocou esta segunda-feira uma forte explosão, mas não causou vítimas, disse à Lusa fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Setúbal. “A explosão ocorreu na empresa Ecometais no concelho do Seixal, distrito de Setúbal. Tratou-se de uma bilha de gás que estava no interior de uma viatura que estava a ser desmantelada no local e que rebentou”, disse à Lusa fonte do CDOS.

Segundo a mesma fonte, a explosão não causou vítimas e apenas danificou a máquina que estava a operar no local. A explosão foi sentida em vários concelhos do distrito de Setúbal, como Seixal, Almada, Sesimbra, Moita, Almada ou Alcochete e causou apreensão por ser num local contíguo à Siderurgia Nacional. O alerta para a ocorrência foi dado pelas 21h49, tendo sido mobilizados para o local 18 operacionais, apoiados por seis viaturas.

Entretanto, tanto a Câmara e os bombeiros do Seixal utilizaram as redes sociais para esclarecer que a situação está controlada e para evitar ligar a pedir explicações, porque os serviços estão já congestionados. Nas redes sociais foram muitos os moradores do concelho que relataram o susto ao ouvir o estrondo. A explosão foi na Ecometais, mas não houve danos pessoais nem materiais e já está controlado. — Bombeiros M. Seixal (@BombeirosSeixal) 9 de outubro de 2017

Ler mais em: Correio da Manhã

António Costa promete investimento de 1,7 milhões de euros na Margem Sul

11 de Outubro 2017

O primeiro-ministro garantiu aos presidentes das câmaras de Almada, do Barreiro e do Seixal fazer avançar projetos em que haja manifestações de interesse por parte de privados.

A reunião que juntou os autarcas de Almada, do Barreiro e do Seixal e o Primeiro-ministro, António Costa, aconteceu há cerca de duas semanas e juntou também à mesa os ministros do Mar, Infra-estruturas e Ambiente.

A reunião tinha como objetivo perceber os avanços dos projetos que os autarcas consideram estruturantes nos antigos terrenos da Lisnave (“Cidade da Água na Margueira”), Quimiparque (“novo terminal de contentores do Barreiro”) e Siderurgia Nacional (instalação de novas indústrias no Seixal).

Todos estes projetos dependem de questões administrativas, decisões políticas e resolução de passivos ambientais.

Carlos Humberto, presidente da Câmara do Barreiro, em declarações ao Jornal de Negócios desta segunda-feira, 21 de novembro, salientou que esta reunião com António Costa foi “um bom sinal”. Da parte do chefe do Executivo, os responsáveis das autarquias obtiveram garantias do Governo para executar os projetos, difundidos através do Lisbon South Bay pela Baía do Tejo, empresa do universo Parpública.

Segundo Carlos Humberto, o governo de António Costa olha para o projeto como “de interesse nacional”, e por isso, entende que “deve ser visto como um todo” e reconhece a sua importância “como dinamizador regional”.

Veja mais em ::::> Eu Gosto das Freguesias de Almada

Soflusa falha ligações durante a hora de ponta

8 de Outubro 2017

Cumprimento dos horários exige uma frota de seis navios. Só quatro estão disponíveis.


partir de amanhã e até sexta-feira, a Soflusa, empresa responsável pelas ligações fluviais no rio Tejo, não vai assegurar a totalidade das carreiras que ligam o Barreiro ao Terreiro do Paço durante a hora de ponta – entre as 05h30 e as 09h30 – por falta de navios operacionais. “Na hora de ponta da manhã, aos dias de semana, o cumprimento dos horários estabelecidos exige a disponibilidade de seis navios. Na semana que se inicia, dois navios estão sem certificado de navegabilidade e um já deveria ter saído do estaleiro. A empresa só dispõe, atualmente, de quatro navios operacionais”, explicou ao Correio da Manhã fonte da Soflusa. A empresa garante, no entanto, que ao longo do dia “tudo fará para assegurar que as carreiras se mantenham”. A Soflusa referiu ainda que o navio Damião de Goes, que faz a ligação Barreiro-Terreiro do Paço, está em estaleiro e, “em seguida, entrarão os navios Fernando Namora e Jorge de Sena, (também responsáveis por esta ligação entre o Barreiro e Lisboa). Com estas operações de docagem concluídas até ao final do ano, é expectativa da empresa que em 2018 seja assegurada a normalidade da oferta”. A empresa aguarda também “a todo o momento, que o navio Damião de Goes saia do estaleiro e retome a atividade, o que permitirá minimizar a diminuição das carreiras”.

Os atrasos e as falhas nos transportes fluviais entre Lisboa e a Margem Sul motivam amanhã um protesto da Comissão de Utentes dos Transportes do Seixal, que vão viajar até Lisboa no barco que parte às 08h10. A iniciativa conta com o apoio da Câmara do Seixal.

Ler mais em: Correio da Manhã

SEIXAL | Câmara Municipal vai recorrer ao TC sobre retirada de outdoors

Depois do anúncio da Comissão Nacional de Eleições, que ordenou a retirada dos outdoors colocados pela Câmara Municipal do Seixal, a autarquia respondeu ao Diário do Distrito que irá recorrer para o Tribunal Constitucional

Em nota enviada ao Diário do Distrito, a pedido da nossa redacção, a Câmara Municipal do Seixal responde sobre a ordem da CNE para a retirada de outdoors que «a Câmara Municipal do Seixal entende que não violou qualquer norma legal e reitera a sua convicção de que as estruturas em causa não correspondem ao conceito de publicidade institucional.

Tratam-se de tomadas de posição do órgão executivo, Câmara Municipal, órgão colegial onde têm assento os quatro maiores partidos políticos a nível nacional. Acresce que muitas das tomadas de posição em apreço foram subscritas por unanimidade.

Tendo em conta o acima exposto a Câmara Municipal do Seixal apresentará o competente recurso para o Tribunal Constitucional. Não obstante a apresentação desse recurso, a Câmara Municipal irá ocultar a informação colocada em causa pela CNE até dia 2 de Outubro, não pretendendo dessa forma perturbar o período da campanha eleitoral que se aproxima.»

Veja mais em ::::> Diário do Distrito

Seixal-Autarquia e Santa Casa pedem reunião ao ministro da Saúde

A Autarquia e a Santa Casa da Misericórdia local vão pedir uma reunião ao ministro da Saúde para relembrar a necessidade urgente de se avançar com a construção da Unidade de Cuidados Continuados de Arrentela.


Esta decisão foi tomada hoje, num encontro que decorreu junto ao terreno já cedido pela autarquia para receber o equipamento, cuja responsabilidade de financiamento é do Governo.

Joaquim Santos, presidente da Câmara Municipal do Seixal referiu que se trata «de um equipamento de extrema necessidade para o concelho, uma vez que com a sua construção o Seixal passaria a contar com mais 68 camas para dar resposta às necessidades dos munícipes que atualmente apenas contam com 30 camas disponibilizadas pelo Minstério da Saúde». O autarca acrescentou ainda que «segundo o mesmo Ministério, estão previstas 98 camas em Unidade de Longa Duranção e Manutenção existindo atualmente apenas 30, o que vem reforçar a urgência desta infraestrutura».

Joaquim Santos recordou ainda que «a autarquia já cedeu um terreno para a construção deste equipamento, com cerca de 10 mil metros, com um valor superior a 700 mil euros, pelo que falta agora que o Governo dê seguimento ao assunto e construa esta unidade social, que irá prestar os cuidados de saúde necessários a quem deles mais precisa e não tem outras soluções».

Da mesma opinião partilhou o presidente da União das Freguesias do Seixal, Arrentela e Aldeia de Paio Pires, António Santos, que deixou claro que «a autarquia está disponível para apoiar a Santa Casa da Misericórdia do Seixal por forma a que a Unidade de Cuidados Continuados de Arrentela seja uma realidade o quanto antes».

O provedor da Santa Casa da Misericórdia do Seixal, Edison Dias, lembrou que esta instituição «foi a primeira a prestar cuidados de saúde no concelho e mantém o seu objetivo de prosseguir essa missão, pelo que esta Unidade de Cuidados Continuados é fundamental para apoiar a população. Embora o Seixal seja um concelho jovem, temos necessidades nesta área, pois trata-se de um apoio complementar pós-hospitalar muito necessário».
O Seixal é assim o concelho com menor número de camas dentro do universo daqueles que desenvolvem respostas de cuidados continuados, da responsabilidade do Ministério da Saúde (note-se que Alcochete, Palmela e Sesimbra não têm qualquer resposta desta tipologia).

A meta definida pelo Ministério da Saúde para a península de Setúbal é que se atinjam 1123 lugares disponíveis no conjunto das quatro tipologias, havendo para tal a necessidade de programar mais 442 lugares, entre os 619 novos lugares previstos e os 177 lugares excedentes a regularizar em alguns territórios.

Assim, para se alcançar a meta estabelecida pelo governo, no concelho do Seixal são necessários construir, em 10 anos, 195 lugares no total de todas as tipologias. Desta forma, para além das 30 vagas já disponibilizadas pela Associação de Reformados e Idosos da Freguesia de Amora (ARIFA), na resposta de Unidade de Cuidados Continuados de Longa Duração e Manutenção, é necessário programar mais 165 lugares, distribuídos pelas seguintes respostas:

34 vagas com acordo em Unidade de Convalescença;
39 vagas com acordo em Unidade de Média Duração e Reabilitação;
68 vagas com acordo em Unidade de Longa Duração e Manutenção;
24 vagas com acordo em Unidade de Dia e de Promoção da Autonomia.
Nesta sequência, o projeto da Santa Casa da Misericórdia do Seixal para a implementação da Unidade de Cuidados Continuados Integrados assume particular relevância para o Município do Seixal, designadamente no que se refere ao cumprimento das metas referidas, pelo que a Câmara Municipal do Seixal exige que o governo cumpra a sua obrigação, estabelecida pela Lei de Bases dos Cuidados Paliativos, e que dote o concelho deste e de outros equipamentos que garantam o apoio a quem deles mais precisa.

Veja mais em ::::> CM Seixal

Terras da Costa-PCP chama secretária de Estado da Habitação ao parlamento sobre casas degradadas

Por Lusa|08.09.17

O grupo parlamentar do PCP requereu hoje uma audição à secretária de Estado da Habitação, Ana Pinho, para obter esclarecimentos sobre “habitações precárias e degradadas” nas áreas metropolitanas de Lisboa e Porto. “Importa conhecer os passos já dados pelo Governo e o grau de concretização da resolução aprovada na Assembleia da República de forma a conhecer efetivamente a dimensão da realidade concreta e que medidas pretende adotar para assegurar a todos o direito à habitação”, lê-se no texto apresentado pelos comunistas à Comissão Parlamentar de Ambiente, Ordenamento do Território, Descentralização, Poder Local e Habitação. Os deputados do PCP referem casos específicos de locais em que existem casas sem as devidas condições de habitabilidade: bairro das Terras da Costa (Almada), 06 de Maio e da Estrada (Amadora), da Torre (Loures), Barruncho, Olival das Pancas e Menino de Deus (Odivelas), da Bósnia (Sintra), vale de Chícharos (Seixal) e as denominadas ilhas da cidade do Porto.

Ler mais em: Correio da Manhã

Seixal-Passos espera solução negociada para enfermeiros mas admite que possam ter sido criadas expectativas

Amora, Setúbal, 11 set (Lusa) – O presidente do PSD afirmou hoje esperar que seja encontrada uma solução no conflito negocial entre os enfermeiros e o Governo, mas admitiu que possam ter sido criadas expectativas a esta classe profissional que não estão a ser cumpridas.


No final de uma visita ao Centro de Assistência Paroquial da Amora, no âmbito da campanha autárquica, Passos Coelho foi questionado pelos jornalistas sobre a greve dos enfermeiros, que teve hoje início, e salientou que o PSD não toma partido em greves decretadas por sindicatos.

“A ideia que fica é que há expectativas que vão sendo criadas àqueles com quem se está a negociar e que depois não vão sendo cumpridas”, afirmou, acrescentando, contudo, que não conhece a matéria em detalhe.

O presidente do PSD acrescentou esperar que “seja possível encontrar uma solução de modo a que haja o menor prejuízo possível para o funcionamento dos hospitais e dos blocos de partos”, salientando que as reivindicações dos enfermeiros “são pretensões antigas que, mais dia menos dia, terão de ter alguma solução no quadro negocial com o Governo”.

“O Governo melhor do que ninguém saberá qual a margem de manobra de que dispõe para chegar a uma solução negociada”, disse, sublinhando que o executivo já conseguiu travar outras greves, como a do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras.

Passos Coelho alertou, por outro lado, que “começam a aparecer muitos sinais de crispação e conflitualidade em alguns setores sociais”.

“É sempre difícil satisfazer todas as expectativas que existem e diga-se que o Governo não tem feito outra coisa senão inflacionar as expectativas das pessoas. É natural que depois tenha mais dificuldade em lidar com processos negociais”, considerou.

Os enfermeiros iniciaram hoje uma greve que decorrerá até sexta-feira, contra a recusa do Ministério da Saúde em aceitar a proposta de atualização gradual dos salários e de integração da categoria de especialista na carreira.

A greve foi marcada pelo Sindicato Independente dos Profissionais de Enfermagem (SIPE) e pelo Sindicato dos Enfermeiros (SE) para o período entre as 00:00 de hoje e as 24:00 de sexta-feira.

Os enfermeiros reivindicam a introdução da categoria de especialista na carreira de enfermagem, com respetivo aumento salarial, bem como a aplicação do regime das 35 horas de trabalho para todos os enfermeiros, mas a Secretaria de Estado do Emprego considerou irregular a marcação desta greve, alegando que o pré-aviso não cumpriu os dez dias úteis que determina a lei.

SMA (SMM) // JPS

Lusa/fim

Veja mais em :::::> Sapo 24

Seixal-Pela conclusão da Via Alternativa à EN10

O Presidente da Câmara do Seixal, Joaquim Santos, e o Presidente da Junta de Freguesia de Corroios, Eduardo Rosa, estiveram esta quarta-feira, 6 de setembro, junto à rotunda sob o viaduto do troço inacabado da via Alternativa à EN10 (ER10).

A iniciativa contou igualmente com a presença do Vice-Presidente da CMS, Jorge Gonçalves, do Vereador José Carlos Gomes, do Presidente da Junta de Freguesia de Amora, Manuel Araújo, e de elementos da Comissão de Utentes, José Lourenço e Domingas Gonçalves. Esta iniciativa visou alertar o governo para a urgência da concretização do traçado da Estrada Regional 10, que liga Almada ao Barreiro e à Moita, através da planeada ponte (recentemente prometida pelo Primeiro-Ministro António Costa), que ligará o Seixal ao Barreiro.

A obra, com nós de ligação à também reivindicada intersecção à A2, junto ao Complexo Desportivo Carla Sacramento e à A33, permitirá uma melhor e fluída distribuição de tráfego, descongestionando o centro de Corroios.

A via Alternativa à EN10 foi iniciada pela Câmara Municipal de Almada até aos limites do concelho e continuada pela Câmara Municipal do Seixal, que investiu ali cerca de 3,5 milhões de euros. Está parada há cerca de 10 anos, por problemas levantados por um dos proprietários dos terrenos que, só agora, foram possíveis de ultrapassar. Este via foi entretanto integrada no traçado da Estrada Regional 10, que urge avançar.

Estando já a CMS na posse do referido terreno e, apesar de o traçado ter passado para a competência do poder central, através das Estradas de Portugal, Joaquim Santos anunciou que a Câmara Municipal do Seixal irá concluir o traçado até à Amora, como inicialmente previsto, para cuja construção lançará em 2018 o respetivo concurso, com conclusão prevista para 2020, num investimento adicional de cerca de 3,6 milhões de euros.
CM Seixal.

Veja mais em ::::> JF Corroios

Seixal-Avante continua a ser festa há 41 anos


Festa do jornal Avante! voltou a encher de gente na Quinta da Atalaia no Seixal, um espaço incoparavelmente maior do que os pavilhões da Feira das Indústrias, em Lisboa, onde o PCP fez a primeira edição há 41 anos.

Veja mais em ::::> TVI

Seo wordpress plugin by www.seowizard.org.