Tag: setúbal

Deputados de Taiwan visitaram Setúbal e Azeitão

8de Janeiro 2018

Comitiva de três dezenas de pessoas foi recebida por Dores Meira, na Câmara Municipal, e visitou adega José Maria da Fonseca. Moscatel foi um dos produtos regionais oferecidos ao deputados asiáticos

Uma delegação de 27 deputados de Taiwan visitou Setúbal e Azeitão no sábado (06), numa iniciativa liderada pelo presidente do Centro Económico e Cultural de Taipei em Lisboa, Raymond Wang.
A comitiva foi recebida pela presidente da Câmara de Setúbal, Maria das Dores Meira, nos Paços do Concelho, onde os participantes assistiram a uma apresentação sobre as principais áreas de investimento em Setúbal e os objectivos de desenvolvimento económico do município, em áreas como turismo, comércio e indústria.
O grupo de visitantes deslocou-se depois às Caves da adega José Maria da Fonseca, em Azeitão.
Além de Setúbal, os périplo dos deputados de Taiwn por Portugal passou também por Setúbal e Sintra.

Veja mais em :::> Diário da REgião

Paulo Lopes, candidato ao PS Setúbal: ‘Não nos resignamos a que Setúbal continue nas mãos da CDU’


Presidente do PS Setúbal há quatro anos, Paulo Lopes, arquitecto de 44 anos, diz que se recandidata ao cargo pela expressão de confiança que sentiu por parte dos militantes e simpatizantes e por contar com o apoio da maioria dos autarcas locais do partido. Defende que o projecto que lidera, ‘Juntos por Setúbal’ é o que tem melhores condições para iniciar um novo ciclo político interno que possa conduzir à vitória nas autárquicas.
As eleições estão marcadas para dia 19 e o outro candidato é António Caracol.

Porque decidiu recandidatar-se ao PS Setúbal?
Esta recandidatura nasce na expressão de confiança dos militantes e simpatizantes, que querem que esta equipa continue a fazer o trabalho, que não se resigne com os resultados autárquicos, porque objectivamente não foram os esperados. Entendemos que é possível fazer diferente e melhor e queremos aproveitar o novo ciclo autárquico para também incutir um novo ciclo a nível interno, porque não aceitamos, não nos resignamos com estes resultados. Em suma, temos estas duas componentes, que são não baixar os braços porque não nos resignamos a que Setúbal continue nas mãos da CDU. Queremos um PS forte e activo. E em segundo lugar, houve uma confiança expressa pelos militantes, no sentido de avançarmos com uma candidatura com condições para pôr em curso um novo ciclo.

Mas os resultados são precisamente um dos argumentos do seu adversário, António Caracol, que diz que a concelhia se conformou e que é preciso combater o inconformismo…
Isso é a interpretação do outro candidato, que é legítimo ter que ter um motivo para aparecer como candidato. Isso é a expressão deles. A nossa é não nos resignarmos e por isso, queremos criar um novo ciclo. Aliás, o próximo ciclo é um ciclo muito interessante, porque vamos ter eleições legislativas e europeias, para as quais é muito importante que o PS esteja mobilizado e com força de militância-base, porque não vão ser eleições fáceis. É um combate político para o qual estamos inteiramente disponíveis e muito motivados.

Mas não acha que os resultados autárquicos em Setúbal jogam contra a actual concelhia?
Os resultados autárquicos em Setúbal desde 2001 que não são favoráveis ao PS. E por isso é preciso continuar a trabalhar no sentido de perceber o que é que passa.

E o que é que propõe aos militantes para este novo mandato?
Na minha moção Juntos por Setúbal elencamos uma estratégia, que assenta em quatro pilares porque entendemos que a qualidade de vida na cidade depende destas áreas. O primeiro é Mobilidade e Segurança, uma cidade do futuro passa essencialmente por esta discussão, seja do transporte colectivo, seja do transporte privado, percursos pedonais, etc, e da Segurança. O segundo tem a ver com a regeneração urbana, não só no conceito de recuperação do imóvel, mas do espaço público e assente na linha da sustentabilidade ambiental, energética. Esse é o caminho que todas as cidades da Europa e do mundo Ocidental estão a caminhar e é por aí que Setúbal também deve ir. Depois, as comunidades solidárias, porque sem haver uma justiça social, é impossível também haver uma cidade com qualidade de vida. E o PS tem no seu ADN político, a questão das políticas sociais de inclusão e nada disto funciona senão houver economia e emprego. Para marcar a agenda política dos próximos tempos com estes quatro pilares, temos um plano de acção, que assenta basicamente em compreender a realidade que nos rodeia e o contexto em que estamos inseridos, assumir a responsabilidade de desenvolver trabalho nessa matéria e depois agir e dar a conhecer publicamente as propostas e os projectos estruturantes que o PS irá apresentar.
Acho que a comunicação é fundamental e que há um défice de comunicação que tem de ser combatido. Muitas das vezes damos por nós a falar nas reuniões de câmara, nas assembleias de freguesia, nas assembleias municipais e sentimos que a mensagem não chega ao interlocutor, por culpa nossa. É preciso combater isso. E é por isso que apostamos muito nos autarcas eleitos, que que agora começam um novo ciclo autárquico, para que sejam os interlocutores privilegiados, ao longo destes quatro anos, do PS, junto da população. Também é fundamental o caminho que temos vindo a fazer de abertura aos independentes. A Agenda para a Década, em que fizemos meia-dúzia de encontros muito interessantes, contou com muita participação de independentes.

Como é que explica o facto destas eleições internas serem mais participadas?
É normal, em democracia, haver mais do que uma lista. E são eleições a seguir às autárquicas, um período que internamente mexe sempre.

O aparecimento de outro candidato não corresponde a uma preferência de estrutura regional ou nacional?
Não tenho essa leitura. Aliás, o facto de haver um militante que é secretário de Estado e que apoia uma outra candidatura não vale mais do que isso mesmo. É um militante que por acaso agora foi nomeado secretário de Estado. Não valorizo essa imagem de que há aqui uma postura institucional contra uma concelhia.

Não acha que a sua candidatura esteja em desvantagem nesse domínio?
Até agora, não tenho sentido essa situação. Pelo contrário. Quem manda no PS não são as estruturas nacionais nem superiores, mas os militantes-base, que votam, e no dia das eleições veremos qual é o projecto político que os militantes escolhem e com que as estruturas nacionais e regionais trabalharão. E a seguir também haverá eleições para a Federação e depois nacionais.
Estas são eleições internas disputadas, mas normais. No passado chegou a haver quatro ou cinco listas e, ai sim, foi algo anómalo. Do lado da minha lista, aquilo que sei é que estamos muito motivados e temos muita juventude, inclusive com o apoio do presidente da JS Setúbal, que é sintomático. Este misto de experiência e juventude vai estar patente nas listas e nos grupos de trabalho.

E porque é que acha que o seu projecto é melhor para o PS aqui em Setúbal?
Nós estamos muito motivados, temos o apoio da maioria dos autarcas que estão no terreno. Entendemos que esta estratégia de fazer do autarca o interlocutor entre a população e o partido é fundamental. Não acredito em política feita de gabinete ou à distância, seja de Lisboa ou noutro sítio qualquer. Acredito na política terra-a-terra, local, feita no dia-a-dia pelos autarcas ou pelos militantes que estão a trabalhar nos seus bairros.

Contínua disponível para ser candidato nas autárquicas?
Este mandato tem duração de dois anos e não vai definir quais são os candidatos autárquicos. Eu fui candidato, porque fazia sentido ser o candidato. Se, daqui a quatro ano, quando se materializarem essas eleições, fizer sentido ser candidato e se os militantes assim entenderem, obviamente assumirei as minhas responsabilidades.

Veja mais em ::::> Diário da Região

União dos Sindicatos de Setúbal/CGTP-IN acusa Câmara Municipal do Seixal

Quer impor horários desumanos

Concentração dia 27de Dezembro- Manhã, Serviços Centrais CMS

Apelamos à Administração da C.M. Seixal para que volte atrás nas medidas que pretende implementar, que contrate trabalhadores para o sector de modo a colmatar falhas de serviço, e a gerir a causa pública em respeito pelo direito dos trabalhadores ao gozo dos seus dias de descanso.

Chegou ao conhecimento da União dos Sindicatos de Setúbal/CGTP-IN, que a Câmara Municipal do Seixal quer impor aos trabalhadores da Recolha de Resíduos Sólidos Urbanos horários que comprometem o gozo do fim-de-semana ao sábado e domingo.

Acontece porem que tal alteração irá desregular a vida familiar dos trabalhadores em questão, isto para além do trabalho efectuado em dia de descanso complementar ter de ser pago como trabalho extraordinário e não ter de ser utilizado para belo prazer das entidades patronais.

Estranhamos no entanto que tal tentativa de mudança de horário seja feita em forma de imposição sem diálogo ou explicação alguma, seja às estruturas dos trabalhadores, seja aos trabalhadores visados, sendo que tal comunicação é feita por carta, “lamentável” a falta de diálogo.

Estranhamos também a utilização de empresas privadas na recolha dos Resíduos Sólidos Urbanos, levando com que estes trabalhadores efectuem horários de 42h. Semanais (horários de Segunda a Sábado) e com vínculos precários.

Nesse sentido os trabalhadores da recolha de resíduos sólidos urbanos, irão concentrar-se junto aos Serviços Centrais da C.M.Seixal dia 27 de Dezembro da parte da manhã e decidiram realizar uma greve na primeira quinzena de Janeiro.

Apelamos à Administração da C.M. Seixal para que volte atrás nas medidas que pretende implementar, que contrate trabalhadores para o sector de modo a colmatar falhas de serviço, e a gerir a causa pública em respeito pelo direito dos trabalhadores ao gozo dos seus dias de descanso.

Comissão Executiva da União dos Sindicatos de Setúbal/CGTP-IN

Veja mais em ::::> Rostos

Filipe Pacheco reeleito presidente da distrital de Setúbal da Juventude Socialista

18/12/2017

Congresso realizou-se no Fórum Cultural de Alcochete. Juntou várias personalidades socialistas, destacando-se a presença de António Mendes, presidente da Federação Distrital do partido

Filipe Pacheco foi reconduzido na presidência da distrital de Setúbal da Juventude Socialista (JS). A eleição teve lugar no passado dia 10, durante a realização do XVI Congresso da Federação da JS no Fórum Cultural de Alcochete, que contou com a presença de António Mendes, presidente da distrital de Setúbal do PS e secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, além do secretário-geral da JS, Ivan Gonçalves, entre outras figuras nacionais e distritais.

Filipe Pacheco mediu “forças” com Pedro Almeida e venceu por larga maioria com a moção global de estratégia “Geração à altura – Esquerda com sentido”, acabando assim reeleito presidente da da distrital de Setúbal da JS.

No encerramento do congresso, o presidente reeleito apontou o foco para “três importantes combates políticos” para os próximos dois anos. “O primeiro diz respeito às eleições Europeias que constituirão uma oportunidade única para ajudar a redefinir o modelo social e económico europeu, rejeitando cabalmente a ideia de uma Europa a várias velocidades. As eleições legislativas de 2019 serão outro importante desafio político e até lá é preciso garantir que o actual Governo PS continua a melhorar substancialmente a vida dos portugueses. Por último, o combate autárquico é mais um dos importantes desafios políticos a travar, devendo ser uma prioridade constante na actuação da JS”, revelou Filipe Pacheco.

O jovem socialista justificou de seguida, em relação ao combate autárquico, a importância da proximidade. “Porque as nossas freguesias e municípios são quem assume maior protagonismo no quotidiano das populações, teremos de estar em estreita proximidade e contacto com as populações, com o movimento associativo e com todas as ‘forças vivas’ do distrito”, vincou.

Por outro lado, considerou que a JS “deverá dar voz a toda uma geração de jovens, preparados para fazer a diferença e que enfrentam problemas ao nível da emancipação, desde o acesso ao mercado laboral e à habitação, passando pela educação, saúde, cultura ou participação”.

“Gerar debate, ouvir, agir e intervir, dos problemas da vida política e económica à vida social e cultural, de nível local, nacional e internacional” é objectivo da JS.

Veja mais em ::::> Diário da Região

Para ajudar vítimas dos incêndios: Bombeiros Sapadores de Setúbal despem-se por uma boa causa


Um grupo de Bombeiros Sapadores de Setúbal voltou a despir a farda para um calendário de 2018 sexy, abraçando uma causa social, ajudando as vítimas queimadas e alertar para a falta de uma unidade de queimados para crianças.

A iniciativa, que contou com o apoio logístico da autarquia sadina, foi coordenada pelos bombeiros José Guilherme, Tiago Silva e Tiago Belchior. O trabalho começou há vários meses, tendo os bombeiros promovido uma série de castings e sessões fotográficas com os colegas da companhia.

Com o lema “Juntos ajudamos quem mais necessita”, o calendário tem um custo de cinco euros, pode ser comprado directamente na companhia ou na página do Facebook criada para o efeito, e vai ajudar a Associação Amigos dos Queimados, uma Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS) de âmbito nacional, que dá apoio a doentes queimados.

“São cinco mil calendários disponíveis por agora, mas esperamos uma grande procura e estamos preparados para fazer mais”, refere José Guilherme.

Tiago Belchior afirmou que apesar de quererem ajudar esta causa, os bombeiros querem “alertar também para a falta de uma unidade de queimados pediátrica”. “Uma Unidade de Queimados para crianças e é importante alertar para essa falha”, afirmou.

“O dinheiro angariado irá reverter directamente na ajuda a vítimas queimadas, sejam pelos últimos incêndios a nível nacional, bem como outros que sofrem este tipo de lesões graves, quer seja em acidentes de trabalho, domésticos, entre outros”, pode ler-se na página do Facebbok.

“Queremos também alertar para um facto incontornável, que é a inexistência de uma unidade pediátrica para crianças queimadas. Gostaríamos, com a ajuda de todos chamar a atenção dos órgãos competentes para que se reverta esta situação urgente. Ao adquirir o seu calendário estará a contribuir directamente para a intervenção na vida destas pessoas”, refere ainda.

De referir que Portugal tem cinco unidades de queimados, mas não tem uma unidade específica para crianças.

A verba será canalizada para o pagamento de material compressivo doado pela IPSS às cerca de cem vítimas de incêndios que apoia, mas também para suportar custos dos campos de férias realizados com os mais novos e termas de Monfortinho para os adultos. “Temos um acordo com uma empresa alemã que produz fatos compressivos para crianças e para os adquirir, precisamos de verbas”, afirma, a título de exemplo, Celso Cruzeiro, presidente da IPSS com sede em Coimbra e delegação em Lisboa cuja receita provem das quotas dos 400 associados, angariações de fundos e apoios de empresas.

“Há um longo caminho a percorrer após a alta hospitalar no regresso ao quotidiano, tanto a nível de tratamento das mazelas como a nível psicológico e legal, nomeadamente no regresso ao trabalho e é aí que a IPSS entra”, adianta Celso Cruzeiro.

Não é a primeira vez que os Bombeiros Sapadores de Setúbal se juntam, sem preconceitos, para iniciativa solidária deste género. Em 2013, o calendário foi um sucesso angariando milhares de euros. Foi uma ideia pioneira em Portugal, sendo depois seguida por outras instituições.

Vela mais em ::::< Setúbal Mais

TEMPESTADE ANA – Vários distritos em alerta vermelho ao final do dia de hoje

2017-12-10 11:39:39
O vento forte que se prevê que possa atingir Portugal continental fez com que o Instituto Português do Mar e da Atmosfera colocasse oito distritos em alerta vermelho a partir do final do dia. O IPMA prevê rajadas superiores a 130 quilómetros/hora.

São oito os distritos do continente que estão em alerta vermelho a partir do final do dia por causa de vento muito forte, com rajadas superiores a 130 quilómetros/hora nas terras altas.

O IPMA emitiu um comunicado que explica que este alerta, para os distritos de Viseu, Porto, Guarda, Vila Real, Viana do Castelo, Aveiro, Coimbra e Braga, está válido entre as 19h59 de hoje e a 01h59 de segunda-feira.

Já no ‘site’ do instituto explica que o vento irá intensificar-se durante o dia de hoje, “tornando-se forte de sudoeste, com rajadas até 110 quilómetros/hora, e podendo chegar a 130 quilómetros/hora nas terras altas do norte e centro até ao início da manhã”.

Em causa está a tempestade Ana, formada a noroeste da Península Ibérica, que terá como período mais crítico “o final da tarde de domingo e a madrugada de segunda-feira, com impactos expectáveis devido a ventos fortes, precipitação intensa, queda de neve e forte agitação marítima”.

Os restantes distritos, de Bragança, Évora, Faro, Setúbal, Leiria, Santarém, Lisboa, Beja, Castelo Branco e Portalegre, estão em alerta laranja devido à previsão de vento forte de sudoeste com rajadas até 70 quilómetros/hora e 120 quilómetros/hora nas terras altas.

Setúbal e Lisboa são dois dos distritos que estão em alerta amarelo devido a períodos de chuva forte ao longo da manhã de hoje e que se estendem até à madrugada de segunda-feira.

O IPMA alerta ainda para a forte agitação marítima, com ondas que podem atingir os cinco a seis metros em Viana do Castelo, Lisboa, Leiria, Aveiro, Coimbra, Porto e Braga (entre as 20h59 de hoje e as 17h59 de segunda-feira) e me Setúbal, Faro e Beja (entre as 05h59 e as 17h59 de segunda-feira).

Veja mais em ::::> Diário do Distrito

Setúbal Crianças batizam novos golfinhos

27 de Novembro 2017

Os nomes de três crias de golfinhos nascidas este ano no Estuário do Sado são escolhidos por alunos da EB Luísa Todi, no dia 11, à tarde.

As cerca de cinco dezenas de alunos do 4.º ano da escola básica escolhem, de uma lista previamente definida, os nomes dos novos elementos da comunidade de roazes-corveiros, com o resultado da votação a ser anunciado às 15h00 pela presidente da Câmara Municipal de Setúbal, Maria das Dores Meira.

A iniciativa, organizada pelo Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas em parceria com a autarquia, inclui uma apresentação feita às crianças, às 14h00, com técnicos daquele organismo a abordarem aspetos relacionados com a comunidade de golfinhos e o Estuário do Sado.

As três crias pertencentes à população de cetáceos residentes no Sado, única em Portugal e atualmente com três dezenas de elementos, nasceram este ano, em junho, agosto e setembro.

Veja mais em ::::> CM Setúbal

Dois sírios em fuga de navio atracado em Setúbal

http://www.cmjornal.pt/portugal/detalhe/alerta-cm–dois-sirios-em-fuga-de-navio-atracado-em-setubal


Os dois homens em fuga, Walid Jenad e Bashar Helly, ambos de 20 anos, não tinham autorização do comandante para se ausentarem e deixaram os passaportes a bordo. Foram vistos pelo segurança do terminal, pelas 7h00, cada um com uma mochila às costas. Não responderam à chamada e correram para o exterior do porto de setúbal. O alerta foi dado via 112, encontrando-se a Polícia Marítima, Polícia Judiciária, PSP e GNR avisadas e a realizar diligências no terreno. “Os dois jovens, de 20 e 22 anos, tiveram acesso a um documento – yellow card – concedido pelo SEF, para o caso de precisarem de tratar de alguns assuntos administrativos ou logísticos em terra”, disse Luís Lavrador, comandante do porto, acrescentando que o referido documento era suficiente para os dois jovens saírem da zona portuária. “O que aconteceu foi que um segurança interpelou os dois jovens e eles fugiram. Isso levantou suspeitas. Uma equipa da Polícia Marítima foi a bordo e confirmou que faltavam dois elementos da tripulação, que saíram do navio sem autorização do comandante”, disse o capitão do porto de Setúbal, referindo ainda que os dois indivíduos deixaram o passaporte no navio, proveniente de Marrocos. De acordo com o responsável da capitania do porto de Setúbal, a fuga dos dois jovens ocorreu cerca das 07:00 e, desde então, as forças de segurança de Setúbal tem estado a desenvolver esforços para os localizar.
“Ainda não sabemos se se tratou apenas de um ato irrefletido dos dois jovens ou se foi uma coisa planeada. Neste momento não temos nada que possa explicar as motivações dos dois jovens”, disse Luís Lavrador. O navio Nagham tem saída prevista do porto de Setúbal para o próximo sábado, dia 4 de novembro.

Ler mais em: :::> Correio da Manhã

Azeitão – Governo confrontado com queixas de poluição

23 de Outubro 2017

Partido Ecologista Os Verdes questionou o Executivo sobre caso que dura há anos.

A luta da população de Brejos de Azeitão, em Setúbal, pela deslocalização da empresa Carmona, que se dedica à gestão de resíduos perigosos, subiu de tom. Ontem, o grupo parlamentar do Partido Ecologista Os Verdes (PEV) fez chegar à Assembleia da República questões para o Governo sobre a polémica, que se arrasta há já vários anos, em torno da emissão de poluentes tóxicos numa zona habitacional. No documento, dirigido ao Executivo liderado por António Costa, o PEV exige saber qual o ponto de situação do processo de transferência desta empresa para o Parque Empresarial da Sapec Bay, na Mitrena, também em Setúbal. O grupo parlamentar espera uma resposta do Governo no prazo de 30 dias. Quem ainda não obteve reposta foram os moradores que acreditam que o atraso na deslocalização da empresa para a zona industrial está a ser provocado pela tutela do Ambiente. “A empresa quer sair daqui. O inimigo é o ministério, que embarga o processo de mudança e diz que não há poluição. A medição de poluição é feita quando lhes convém”, afirma João Inácio, presidente da Associação Respirar, que foi constituída pela população. No mês passado, o CM esteve no local e os moradores garantem que, desde então, nada mudou. “Desde essa reportagem, já houve dias em que era impossível andar na rua com o cheiro. Era sair do carro e entrar em casa. Apresentamos queixas, mas ninguém faz nada”, critica também Cristina Ganhão, moradora.
O CM solicitou ontem esclarecimentos à Carmona, mas apesar dos pedidos não obteve qualquer resposta.

Veja mais em ::::> Correio da Manhã

SETÚBAL Protecção civil e bombeiros avisam para perigo de cheias devido a chuva prevista para hoje

16 de Outubro 2017

Distrito está sob aviso Amarelo até às 21 horas com previsão de períodos de chuva forte. Protecção civil municipal lembra que há muitas zonas da cidade vulneráveis a cheias, como Praça do Brasil, Bairro do Montalvão, largos de Jesus e da Misericórdia ou a Praça do Bocage

O Serviço Municipal de Protecção Civil e Bombeiros de Setúbal adverte para a necessidade de adopção de medidas de prevenção em face da previsão de condições meteorológicas adversas com períodos de chuva forte ao longo do dia desta segunda-feira que podem provocar “cheias rápidas” nalgumas zonas da cidade.

O distrito de Setúbal está sob aviso Amarelo, emitido pelo Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) devido à previsão de períodos de chuva que podem ser fortes e acompanhados de trovoadas. Estas condições, que devem ocorrer até às 21 horas de hoje, devem-se à passagem de uma superfície frontal fria que está a deslocar-se lentamente.

Em comunicado emitido esta manhã, a protecção civil municipal recorda que a chuva forte conjugada com a preia-mar, que será às 13h29), aumenta “consideravelmente” o risco de inundações e alerta para a “possibilidade de cheias rápidas em meio urbano por acumulação de águas pluviais ou insuficiências dos sistemas de drenagem e de inundação por transbordo de linhas de água”.

As zonas historicamente mais vulneráveis a inundações são, de acordo com Serviço Municipal de Protecção Civil e Bombeiros de Setúbal, a Praça do Brasil, Rua Amílcar Cabral, Praceta Fernando Alcobia, Praceta Quinta do Freixo, Rua do Mormugão, Avenida Dr. Manuel Gamito, Praceta Manuel Nunes de Almeida, Quinta do Quadrado, Rua Alexandre Herculano, Rua Almeida Garrett, Bairro Salgado, Rua da Escola Técnica, Avenida 22 de Dezembro, Estrada da Algodeia, Bairro do Montalvão, Avenida dos Combatentes, Largo de Jesus, Avenida 5 de Outubro, área entre a Avenida 5 de Outubro e o Largo da Misericórdia e Praça de Bocage.

A protecção civil recomenda a adopção de medidas preventivas e de autoprotecção, designadamente a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de inertes e outros objectos que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao livre escoamento das águas.

É recomendada também uma “condução defensiva”, com velocidade reduzida devido à possibilidade de existência de lençóis de água nas estradas e buracos no pavimento ou tampas de esgotos levantadas.

Veja mais em ::::> Diário da Região

Seo wordpress plugin by www.seowizard.org.