Tag: Vereador

Comissão Política de Secção do PSD Seixal Retira confiança política ao vereador Manuel Andrade Pereira

21/12/2018

A Comissão Política de Secção do PSD Seixal, decidiu por unanimidade retirar a confiança política ao vereador eleito na Câmara Municipal do Seixal, Manuel Pires de Andrade Pereira, demarcando-se formal e institucionalmente das respetivas posições políticas e decisões executivas que possa vir a tomar.

A sua atuação na Câmara Municipal do Seixal não cumpre a função primordial dos seus mandatos políticos que é a representação do partido que o elegeu, seguindo posições políticas individualistas, não respeitando o programa apresentado pelo PSD nas autárquicas de 2017, defraudando as expectativas que os eleitores depositaram em nós.

Foi expressa a vontade da população do Seixal nas últimas eleições autárquicas em acabar com a maioria da CDU no Concelho do Seixal. O PSD Seixal comprometeu-se em fazer diferente, ser responsável e sério, mas como diz o Presidente Rui Rio, nunca servir apenas de muleta do poder.

O PSD Seixal não pode aceitar, nem se revê, na cumplicidade que o vereador eleito pelo Partido Social Democrata tem com a CDU. Ficou assim comprometido o princípio de lealdade, solidariedade, respeito e da confiança entre as partes envolvidas, numa sequência de ações contraditórias que culminou com a votação das Grandes Opções do Plano e orçamento para 2019, contra a orientação expressa que lhe tinha sido dada pelo Partido Social Democrata.

Portanto e por tudo isto a relação institucional com o vereador Manuel Pires de Andrade Pereira, tornou-se verdadeiramente insuportável, não restando assim outra alternativa que não seja a total perda da confiança política que agora se anuncia para os devidos efeitos.

Fonte – PSD

Um ano de retrocesso na ação e na defesa de Almada

05 de Outubro 2018
José Gonçalves – Vereador CDU Almada

A Cdu (..) é da opinião que o novo executivo (do PS) foi um passo atrás no concelho e tece as maiores críticas à liderança de Inês de Medeiros.

O vereador José Gonçalves afirmou que o “balanço é de retrocesso” e de “perda de ligação com as pessoas, com as instituições” e queixou-se da falta de reuniões camarárias descentralizadas para escutar os problemas dos munícipes.

“Há uma perda de resposta. A Câmara Municipal de Almada não tem uma voz de defesa das populações, dos interesses locais”, vincou, lembrando que o “trânsito foi apresentado como uma proposta de intervenção prioritária [durante a campanha] e não se viu nada” um ano depois.

“Acho que este mandato está a ser penalizador para o nosso concelho, pela perda de apoios às nossas instituições culturais, sociais”, criticou.

Já o ambiente entre os partidos que compõe o executivo é de “confronto político” e de “submissão ao poder central”, sem apresentação “de ideias e propostas”.

Veja mais em ::::> José Gonçalves – Facebook

António Matos – “Até já Almada, Até sempre, amigos, companheiros e camaradas”

29 de Outubro 2017

Depois de 27 anos de exercício ininterrupto do cargo de vereador da Educação, Cultura, Desporto e Juventude (e ação social durante 23 anos) da Câmara Municipal de Almada, perfazendo 7 mandatos seguidos, 34 anos depois de ter iniciado funções idênticas na Câmara Municipal do Seixal, onde fiz 2 mandatos, concluo as minhas funções como administrador municipal em Almada, responsável por este conjunto de áreas.
No encerramento deste ciclo de trabalho, quero agradecer às extraordinárias equipas com que trabalhei, a sua competência, dedicação, dádiva pessoal e empenho, e reconhecer nelas uma elevada condição de realização e cumprimentos de objetivos que muito contribuíram para o desenvolvimento do nosso concelho nas suas áreas de responsabilidade.
Ao fechar este período, endereço um sentido agradecimento aos educadores e professores do meu concelho aos dirigentes associativos dos nossos clubes, coletividades e associações juvenis, aos artistas, aos criadores culturais e suas associações, aos desportistas e técnicos. Com eles, com o seu conhecimento, o seu empenho, a sua dedicação, foi possível fazer deste concelho e desta região ao ponto onde estamos – uma terra solidária, um concelho educador, um município do desporto, um espaço com crescentes condições de vidas digna para todos, onde se possa nascer com esperança, crescer com vitalidade e envelhecer com dignidade.
Ao longo desta década e meia, construímos equipamentos culturais e desportivos, novas e modernas escolas, participámos na construção e beneficiação, ampliação dos equipamentos sociais, culturais e desportivos dos clubes e associações da nossa terra, apoiámos a ligação do ensino à vida e da escola à comunidade, assegurámos uma qualificada programação cultural e um conjunto de amplas ofertas desportivas e colocámos Almada no pelotão da frente dos concelhos portugueses, no que diz respeito aos índices de desenvolvimento humano.
Sinto orgulho. Por aquilo que em coletivo fizemos, na governação da cidade. Por aquilo que as instituições educativas, culturais, sociais e desportivas fizeram pelo concelho de Almada.
Sinto orgulho pelas escolas que temos e pelo seu trabalho educador. Obrigado, professores, educadores e assistentes.
Sinto orgulho, pelos clubes e coletividades da nossa terra e pela sua ação cultural e pelo seu papel desportivo. Bem hajam, senhores e senhoras dirigentes, equipas técnicas e colaboradores.
Sinto orgulho, pelas coletividades e Instituições de Solidariedade Social e pela sua ação solidária e promotora da dignidade humana na terra que habitamos. Obrigado, senhores e senhoras dirigentes, técnicos e tantos almadenses que nestas instituições fazem um importante trabalho de voluntariado.
Sinto orgulho, pelas companhias e grupos de teatro, dança e outras artes performativas, e pelo seu trabalho criativo que enriquece o panorama cultural do concelho, da região e do País. Aplausos para os nossos artistas, criadores e autores, pelas estimulantes experiências de fruição cultural, que acrescentam aos nossos quotidianos.
Queridas e queridos amigos, Almada não seria o que é hoje sem o vosso trabalho.
Nós, governantes locais, não teríamos feito o que nestes anos fizemos, sem a vossa ação, sem a vossa colaboração, sem o vosso empenho, sem as vossas sugestões, contributos, interpelações, apontar de caminhos.
Convicto de que fizemos o melhor e de que foi convosco que o quisemos fazer, levámos a nossa terra ao ponto onde o deseja cada cidadão almadense.
Almada cresceu, está melhor, tem obra, tem projetos em curso, está no bom caminho.
Almada será cada vez mais, a terra onde se poderão cumprir os sonhos e ambições de todos ao Almadenses.
Nós vamos continuar por cá. Com Almada e os Almadenses. Em nome de um futuro melhor para todos.

António Matos
Vereador da CDU em Almada, no mandato de 2017 / 2021

Veja mais em ::::> António Matos

Computador da vereação do PSD desaparece da Câmara de Palmela

Aparelho continha informações confidenciais.


A GNR está a investigar o desaparecimento de um computador portátil, com “informação confidencial”, do gabinete da vereação do PSD na Câmara Municipal de Palmela, disse esta sexta-feira à Lusa o vereador, Paulo Ribeiro. “Não há indício de arrombamento, há, sim, uma janela aberta”, revelou o autarca, acrescentando que “o computador tinha muita informação confidencial” e que o mesmo foi dado como desaparecido na quinta-feira de manhã. O vereador acrescentou que o computador portátil pertencia ao seu secretário. Confrontado sobre se o desaparecimento estaria associado à sua candidatura à presidência da Câmara de Palmela, o autarca referiu que não tem dados que o permita afirmar, mas sublinhou ser “estranho”, já que é “o único vereador do edifício candidato à Câmara” e apenas o seu computador desapareceu. O gabinete de Paulo Ribeiro está localizado no mesmo edifício que os gabinetes dos vereadores do partido socialista. De acordo com a Câmara, a GNR já tomou conta da ocorrência, encontrando-se a investigar o caso.

Ler mais em:::::> Correio da Manhã

2016 – Vereador José Gonçalves na SIC nos 50 anos da Ponte sobre o Tejo

JoseGonçalves

7 de Agosto 2016
No âmbito das comemorações dos 50 anos da Ponte sobre o Tejo, José Gonçalves vereador da Câmara da Almada esteve na SIC, onde falou da necessidade de uma terceira ponte e do direito das populações da Área Metropolitana de terem as mesmas condições de aceso à capital.
SIC:::> O que Mudou em Almada nestes últimos 50 anos?
José Gonçalves:::> “Mudou muito, mudou do ponto de vista da mobilidade em relação a quem trabalha na margem sul ou na margem norte e a ponte veio trazer um grande potencial para desenvolvimento económico, e social que cresceu em toda a Península de Setúbal.”
SIC:::> Faz algum sentido uma ponte Chelas /Barreiro?
José Gonçalves:::> “Faz todo o sentido porque ligava o arco ribeirinho sul à capital em mais que um ponto colocando utilizadores diários com opção para duas pontes.”
Para José Gonçalves ” tem de existir uma política de mobilidade que assegure os direitos dos cidadãos no que diz respeito à mobilidade não poderão haver cidadão na área metropolitana que são penalizados em relação a outros que morem noutro espaço com mais acessos”
“A ponte está paga há muitos anos, as pessoas que trabalham em Lisboa ou em Almada precisam de fazer diariamente esse trajecto e não se compreende que se continue a penalizar essas populações”

Veja o Video aqui :::> SIC notícias

1966 – Inauguração da Ponte sobre o Tejo (vídeo)

1966 – Inauguração da Ponte sobre o Tejo (Fotos)

Seo wordpress plugin by www.seowizard.org.