Category: Vídeos

As minhas pinceladas digitais

Almada sec. XXI

Cacilhas é o que está a dar

Cacilhas é o que está a dar (vídeo total)

As minhas pinceladas digitais 2019/2020

Publicado por Xaipito em Sábado, 8 de fevereiro de 2020

Cacilhas

Publicado por Xaipito em Sábado, 28 de setembro de 2019

Lisnave X

LISNAVE X 2020

As minhas pinceladas digitais Cacilhas – Almada

Publicado por Xaipito em Sábado, 6 de junho de 2020

Lisnave Cacilhas – Almada

Publicado por Xaipito em Quinta-feira, 28 de maio de 2020

Almada velha >

As minhas pinceladas digitais Almada século XXI Jardim do Castelo

Publicado por Xaipito em Domingo, 2 de agosto de 2020

Eu sou da Piedade

Cova da Piedade anos 60 sec. XXAs minhas pinceladas digitais

Publicado por Xaipito em Domingo, 17 de março de 2019
Eu sou da Piedade

Cova da Piedade anos 60 sec. XXPinceladas Digitais

Publicado por Xaipito em Quarta-feira, 20 de março de 2019

Sul TV o sonho de 1986

Sul TV – uma ideia de 34 anos

Breve História

Em 1986 com o aparecimento das rádios locais e posterior legalização, pareceu-nos ter chegado o momento propicio para lançar um projecto de TV Local. A privatização da Televisão era um assunto mais complicado e ninguém sabia muito bem como viria a ser o padrão de Tv´s públicas e privadas. Aproveitando o vazio legal surgiram várias TV´s locais e mais tarde os chamados retransmissores instalados pelas Autarquias. Os avanços tecnológicos permitiram então a construção de emissores simples, que colocados em pontos estratégicos arrebatavam audiências de fazer inveja à Televisão Portuguesa (RTP canal 1 e 2). Depois de elaborarmos um projecto inicial e de reunido um enorme potencial humano, a Sul TV iniciou as suas emissões diárias ininterruptamente durante quatro meses e meio. O estúdio era na Cooperativa Almadense e a programação variada incluía entrevistas em directo, reportagens do exterior, programas para crianças, Music Box gravado via satélite e claro filmes, muitos filmes. Muito antes da RTP, já tínhamos emissões diárias com horário compreendido entre as 15h e as 2 da manhã, e chegámos a estar no ar 3 dias seguidos. Atingimos uma média diária de dez mil espectadores, muitos dos quais esperavam horas com o televisor ligado, só para ver o início da nossa emissão. Em Setembro de 1986, recebemos a visita da Direcção Geral de Telecomunicações que procedeu à apreensão do emissor. Na altura estávamos a emitir o filme Sanção e Dalila e simultaneamente gravava-mos em estúdio uma entrevista sobre o Cesário Verde. Respeitosamente solicitámos ao inspector da DGT autorização para avisar os nossos telespectadores que a emissão iria ser interrompida, mas nem ele nem os cerca de 50 polícias que cercavam as instalações concordaram com o nosso pedido. O emissor foi levado, mas não a nossa vontade, tanto mais que logo de seguida construímos um outro mais sofisticado e mudámos de local de emissão desta vez para uma casa junto ao Cristo Rei. Uma vez que o documento da apreensão do emissor referia que éramos uma estação não licenciada a emitir com programação própria, requeremos à Assembleia da Republica o nosso licenciamento e fomos recebidos pelo então Presidente da Comissão Parlamentar para a TV Privada, o deputado Abel Gomes de Almeida, que nos prometeu que o assunto iria ser estudado. Assim, apesar de termos um novo estúdio e um novo equipamento, não voltamos a emitir regularmente para não comprometer quem nos quisesse ajudar no Parlamento. A excepção foi para várias retransmissões que fizemos para Almada, das emissões que a Câmara Municipal do Seixal fazia na altura, disponibilizando canais de satélite. Embora sem emissões regulares, a nossa actividade continuou, com a criação do Centro Nova Informação, onde cerca de 30 Jovens diariamente recolhiam informação do distrito de Setúbal e disponibilizavam-na para os meios de comunicação social locais. Em 1988, apresentámos a um organismo de apoio a Empresas de Inovação com sede nas antigas instalações da Lisnave, um projecto de enviou e recepção de imagens via telefone. A Telepac e a comutação por pacotes tinha iniciado a sua actividade, e nós tínhamos algum conhecimento da computação on-line. Depois de elaborado devidamente por um economista, o projecto foi entregue na referida entidade a qual o viria a rejeitar alegando que “enviar imagens pelo telefone era impossível “. Depois, ao longo dos anos fomos reformulando a nossa actividade, até que lançámos o site www.cibersul.org , que disponibiliza uma base de notícias e milhares de fotos e vídeos sobre a vida do distrito de Setúbal nos últimos 30 anos. Mais tarde lançamos o www.cibersul.info – todos os dias todas as notícias. Disponibilizamos notícias diariamente em WAP para telemóvel e PDA “Choques tecnológicos” Após todos estes anos, sabemos muito bem que todos falam de inovação tecnológica, mas muitos têm medo que aconteça. Actualmente ao olharmos para os meios que os organismos do estado disponibilizam à população, ficamos realmente contentes. Bibliotecas, Forúns, Internet para todos, Península Digital, Cidade Digital etc., mas onde está o apoio à experimentação e à criação de novos produtos ou serviços? Habituámo-nos simplesmente a utilizar e consumir aquilo que outros países nos oferecem, sem sequer pensarmos por um momento, que também somos capazes de criar coisas novas. Sabemos que a nossa industria, agricultura e pescas estão de rastos, a balança comercial pende sempre para o lado de lá e apesar de sabermos que a única saída é o turismo e os serviços com o aproveitamento das novas tecnologias, nunca fizemos nada para que os criativos que estão no meio de nós possam ter um terreno fértil para produzir. Apesar de toda a gente falar em inovação, qualquer coisa nova é considerada perigosa e se ainda por cima tiver carácter futurista é sem dúvida para abater. Há pequenos países como a Finlândia, em que o que mudou mesmo foi a atitude face ás novas tecnologias impulsionando assim a economia. Nos Estados Unidos, existem mais Televisões locais Portuguesas que propriamente em Portugal. Será que alguém duvida que no futuro, serão criados centros regionais, locais e pessoais de informação os quais serão primordiais para o fluxo de conteúdos e imprescindíveis para as tomadas de decisão para negócios, lazer e mesmo politica e economia? Não basta haver informação, é necessário que esteja disponível e de busca fácil, o que torna a Geoinformática e a palavra GLOCAL um assunto de extrema importância. Cada região e cada individuo têm assim possibilidade de participar numa actividade global para a qual contribui e usufrui. Assim criámos agora a www.sultv.tvWeb Televião Regional para servir a Peninsula de Setúbalque a partir do dia 1 de Outubro 2008 emite uma programação diária,ao mesmo tempo disponibiliza em arquivo videos, fotografias e notícias desde 1954. Sabemos que uma Televisão mesmo na Internet não é só passar vídeos.Temos um projecto de participação e parceria com particulares, colectividades, Autarquias e Empesas, de modo a criar pequenos centros de produção os quais depois de alguma formação produzirão material videografico para ser incuido na nossa programação. Assim, lançamos desde já um apelo a todos que de alguma forma queiram participar neste projecto para que nos contactem via e-mail para sultv@netvisao.pt. O início está ai, com o avançar das tecnologias, vai ser possivel em breve aumentar a qualidade técnica a um nivel superior de modo a que em todo o mundo se possa assistir e participar numa TV Regional interactiva e interveniente de todos para todos. A SulTV tem mais de 20 anos, e espera por cá ficar por muitos mais 20 anos.Gostariamos de continuar a nossa viagem em companhia de todos que queiram participar de modo a fazer desta ideia uma verdade irredutivel para uso das futuras gerações. Queremos contribuir para desenvolvimento económico, social e turistico da nossa terra. Com a criação de pontos de produção Audio Visual, iremos desenvolver o interesse e a criatividade abrindo portas a uma profissionalisação e criação de novos postos de trabalho. Procuramos parcerias com orgão de informação de modo a rentabilizar os seus patrocinadores e outros clientes. Nos proximos meses, iremos analizar a receptividade da SulTV e ao mesmo tempo, procurar melhorar as nossas emissões com intervenções em directo, notíciário periodico, entrevistas, documentários. O tempo de alcançar os nossos objectivos finais depende das ajudas que tivermos agora, mas uma coisa é certa vamos lá chegar.

Gabriel Quaresma 2006

Sultv – Almada 1986

Emissões hertzianas a partir de Almada

Publicado por Sultv em Domingo, 13 de janeiro de 2013

SUL TV 1986

1996 – sultv na RTP

1996 – SUL TV em reportagem da RTP sobre televisões regionais

Publicado por Sultv em Sábado, 3 de setembro de 2016

Sul TV Almada 1986 o sonho

Sul TV – uma ideia de 34 anos

Breve História

Em 1986 com o aparecimento das rádios locais e posterior legalização, pareceu-nos ter chegado o momento propicio para lançar um projecto de TV Local. A privatização da Televisão era um assunto mais complicado e ninguém sabia muito bem como viria a ser o padrão de Tv´s públicas e privadas. Aproveitando o vazio legal surgiram várias TV´s locais e mais tarde os chamados retransmissores instalados pelas Autarquias. Os avanços tecnológicos permitiram então a construção de emissores simples, que colocados em pontos estratégicos arrebatavam audiências de fazer inveja à Televisão Portuguesa (RTP canal 1 e 2). Depois de elaborarmos um projecto inicial e de reunido um enorme potencial humano, a Sul TV iniciou as suas emissões diárias ininterruptamente durante quatro meses e meio. O estúdio era na Cooperativa Almadense e a programação variada incluía entrevistas em directo, reportagens do exterior, programas para crianças, Music Box gravado via satélite e claro filmes, muitos filmes. Muito antes da RTP, já tínhamos emissões diárias com horário compreendido entre as 15h e as 2 da manhã, e chegámos a estar no ar 3 dias seguidos. Atingimos uma média diária de dez mil espectadores, muitos dos quais esperavam horas com o televisor ligado, só para ver o início da nossa emissão. Em Setembro de 1986, recebemos a visita da Direcção Geral de Telecomunicações que procedeu à apreensão do emissor. Na altura estávamos a emitir o filme Sanção e Dalila e simultaneamente gravava-mos em estúdio uma entrevista sobre o Cesário Verde. Respeitosamente solicitámos ao inspector da DGT autorização para avisar os nossos telespectadores que a emissão iria ser interrompida, mas nem ele nem os cerca de 50 polícias que cercavam as instalações concordaram com o nosso pedido. O emissor foi levado, mas não a nossa vontade, tanto mais que logo de seguida construímos um outro mais sofisticado e mudámos de local de emissão desta vez para uma casa junto ao Cristo Rei. Uma vez que o documento da apreensão do emissor referia que éramos uma estação não licenciada a emitir com programação própria, requeremos à Assembleia da Republica o nosso licenciamento e fomos recebidos pelo então Presidente da Comissão Parlamentar para a TV Privada, o deputado Abel Gomes de Almeida, que nos prometeu que o assunto iria ser estudado. Assim, apesar de termos um novo estúdio e um novo equipamento, não voltamos a emitir regularmente para não comprometer quem nos quisesse ajudar no Parlamento. A excepção foi para várias retransmissões que fizemos para Almada, das emissões que a Câmara Municipal do Seixal fazia na altura, disponibilizando canais de satélite. Embora sem emissões regulares, a nossa actividade continuou, com a criação do Centro Nova Informação, onde cerca de 30 Jovens diariamente recolhiam informação do distrito de Setúbal e disponibilizavam-na para os meios de comunicação social locais. Em 1988, apresentámos a um organismo de apoio a Empresas de Inovação com sede nas antigas instalações da Lisnave, um projecto de enviou e recepção de imagens via telefone. A Telepac e a comutação por pacotes tinha iniciado a sua actividade, e nós tínhamos algum conhecimento da computação on-line. Depois de elaborado devidamente por um economista, o projecto foi entregue na referida entidade a qual o viria a rejeitar alegando que “enviar imagens pelo telefone era impossível “. Depois, ao longo dos anos fomos reformulando a nossa actividade, até que lançámos o site www.cibersul.org , que disponibiliza uma base de notícias e milhares de fotos e vídeos sobre a vida do distrito de Setúbal nos últimos 30 anos. Mais tarde lançamos o www.cibersul.info – todos os dias todas as notícias. Disponibilizamos notícias diariamente em WAP para telemóvel e PDA “Choques tecnológicos” Após todos estes anos, sabemos muito bem que todos falam de inovação tecnológica, mas muitos têm medo que aconteça. Actualmente ao olharmos para os meios que os organismos do estado disponibilizam à população, ficamos realmente contentes. Bibliotecas, Forúns, Internet para todos, Península Digital, Cidade Digital etc., mas onde está o apoio à experimentação e à criação de novos produtos ou serviços? Habituámo-nos simplesmente a utilizar e consumir aquilo que outros países nos oferecem, sem sequer pensarmos por um momento, que também somos capazes de criar coisas novas. Sabemos que a nossa industria, agricultura e pescas estão de rastos, a balança comercial pende sempre para o lado de lá e apesar de sabermos que a única saída é o turismo e os serviços com o aproveitamento das novas tecnologias, nunca fizemos nada para que os criativos que estão no meio de nós possam ter um terreno fértil para produzir. Apesar de toda a gente falar em inovação, qualquer coisa nova é considerada perigosa e se ainda por cima tiver carácter futurista é sem dúvida para abater. Há pequenos países como a Finlândia, em que o que mudou mesmo foi a atitude face ás novas tecnologias impulsionando assim a economia. Nos Estados Unidos, existem mais Televisões locais Portuguesas que propriamente em Portugal. Será que alguém duvida que no futuro, serão criados centros regionais, locais e pessoais de informação os quais serão primordiais para o fluxo de conteúdos e imprescindíveis para as tomadas de decisão para negócios, lazer e mesmo politica e economia? Não basta haver informação, é necessário que esteja disponível e de busca fácil, o que torna a Geoinformática e a palavra GLOCAL um assunto de extrema importância. Cada região e cada individuo têm assim possibilidade de participar numa actividade global para a qual contribui e usufrui. Assim criámos agora a www.sultv.tvWeb Televião Regional para servir a Peninsula de Setúbalque a partir do dia 1 de Outubro 2008 emite uma programação diária,ao mesmo tempo disponibiliza em arquivo videos, fotografias e notícias desde 1954. Sabemos que uma Televisão mesmo na Internet não é só passar vídeos.Temos um projecto de participação e parceria com particulares, colectividades, Autarquias e Empesas, de modo a criar pequenos centros de produção os quais depois de alguma formação produzirão material videografico para ser incuido na nossa programação. Assim, lançamos desde já um apelo a todos que de alguma forma queiram participar neste projecto para que nos contactem via e-mail para sultv@netvisao.pt. O início está ai, com o avançar das tecnologias, vai ser possivel em breve aumentar a qualidade técnica a um nivel superior de modo a que em todo o mundo se possa assistir e participar numa TV Regional interactiva e interveniente de todos para todos. A SulTV tem mais de 20 anos, e espera por cá ficar por muitos mais 20 anos.Gostariamos de continuar a nossa viagem em companhia de todos que queiram participar de modo a fazer desta ideia uma verdade irredutivel para uso das futuras gerações. Queremos contribuir para desenvolvimento económico, social e turistico da nossa terra. Com a criação de pontos de produção Audio Visual, iremos desenvolver o interesse e a criatividade abrindo portas a uma profissionalisação e criação de novos postos de trabalho. Procuramos parcerias com orgão de informação de modo a rentabilizar os seus patrocinadores e outros clientes. Nos proximos meses, iremos analizar a receptividade da SulTV e ao mesmo tempo, procurar melhorar as nossas emissões com intervenções em directo, notíciário periodico, entrevistas, documentários. O tempo de alcançar os nossos objectivos finais depende das ajudas que tivermos agora, mas uma coisa é certa vamos lá chegar.

Gabriel Quaresma 2006

Sultv – Almada 1986

Emissões hertzianas a partir de Almada

Publicado por Sultv em Domingo, 13 de janeiro de 2013

SUL TV 1986

1996 – sultv na RTP

1996 – SUL TV em reportagem da RTP sobre televisões regionais

Publicado por Sultv em Sábado, 3 de setembro de 2016

Fonte da Telha Julho 2020

Fonte da Telha 2020

Praia da Fonte da Telha 5 Julho 2020 – 10 h

Publicado por Cibersul Almada Setúbal em Domingo, 5 de julho de 2020

Demolição em Setúbal

29 de Março 2020

As duas chaminés da Central Termoelétrica da EDP, em Setúbal, acabaram de ser demolidas.

Demolição em Setúbal

As duas chaminés da Central Termoelétrica da EDP, em Setúbal, acabaram de ser demolidas.

Publicado por Município de Setúbal em Domingo, 29 de março de 2020

Em Setúbal hoje foi assim.

Publicado por Antonio Amaral em Domingo, 29 de março de 2020

Carnaval em Almada 2020

23 de Fevereiro 2020
Desfile de Palhaços

Inês de Medeiros quer 25 de Abril sem palanque em Almada

25 de Abril 2019

“O Poder em Almada não pode estar num palanque longe do Povo.
O Poder em Almada devia estar lá em baixo junto do Povo.”
Inês de Medeiros



Veja mais fotos em:::::> Almada 2019

Almada reorganiza serviços Municipais


20 de Setembro 2018
Assembleia Municipal

Assembleia Municipal de Almada 13/9/2018 (13)

José Joaquim Machado Courinha Leitão (PS) – Presidente da Assembleia Municipal

Temos portanto um empate na votação, 19 votos a favor e 19 votos contra.
A lei estabelece e o nosso regimento também que no caso de haver empate na votação o Presidente desempata….. eu desempato a favor da posição contra esta proposta.

Assembleia Municipal de Almada 13/9/2018 (12)

Inês de Medeiros (PS) – Presidente da Câmara Municipal

“Quero deixar isto muito claro a Câmara Municipal de Almada, por parte do seu executivo não vai propor nenhuma aceitação sem uma avaliação total e absoluta das condições em que essas transferências vão ser passadas …. Não há aceitação em bloco…. O que os Senhores vão votar é a recusa em bloco sem conhecerem, mas se esta proposta chumbar não significa a aceitação em bloco sem conhecerem, nem o executivo aceitaria uma condição dessas, nem a Associação Nacional de Municípios. …. Todas as Entidades envolvidas disseram claramente que os Municípios não têm de se pronunciar porque o prazo não foi cumprido”

Seo wordpress plugin by www.seowizard.org.