Category: Vídeos

Turistas invadiram submarino abandonado em Almada e filmaram a aventura

02 de Junho 2018

Um holandês e um belga que costumam dormir em locais abandonados por toda a Europa decidiram passar uma noite num submarino abandonado em Almada. Conseguiram e até filmaram a “invasão”.

Não há grandes detalhes sobre a forma como o fizeram, mas certo é que os dois homens conseguiram entrar nas antigas instalações da Lisnave, na Margueira, em Almada, onde a embarcação estava atracada, e dormir, por uma noite, no interior. Registaram tudo em vídeo, em inícios de abril, mas só publicaram no YouTube.

A primeira tentativa foi sem sucesso, mas, à segunda, depois de comprarem alguns mantimentos, vestiram uns calções de banho e entraram na água. Nadaram uns metros e chegaram ao submarino, percebendo que a porta, à prova de água e com uma entrada apertada, estava aberta. Enquanto entravam, tiveram de guardar as lanternas porque estava a passar por perto um navio da Marinha, mas que não os viu.

Quando entraram no submarino, Delfim, os dois homens depararam-se com jogos de cartas e de tabuleiro, diários de bordo, máquinas, televisões, radares e muitos cabos – um cenário que os colocou no ambiente de quem está em missões em alto-mar diariamente.

A noite foi passada nos beliches da sala de torpedos. Na manhã seguinte, depois de cerca de 12 horas dentro da embarcação, Bob e o amigo foram embora sem que ninguém os tivesse visto.

Segurança e vigilância

​​​​A segurança e vigilância das embarcações abatidas é garantida pela Marinha, sendo que as instalações da Margueira são um espaço privado que pertence à Câmara Municipal de Almada.

O caso poderá, por isso, ser considerado uma intrusão e, logo, um crime.

Para Bob, de 32 anos, este risco não o faz mudar de ideias. Não é o primeiro local abandonado que visita, pois há 11 anos que viaja pelo mundo a fotografar e filmar locais “sem dono”, tendo já passado por 55 países em quatro continentes. Nestas visitas, Bob costuma levar sempre companhia, desta vez, foi um amigo belga de 26 anos, que trabalha na instalação de sistemas de aquecimento.

Delfim, um submarino ao serviço da Armada portuguesa desde 1969

Tem nome de pessoa, mas é um dos quatro submarinos da classe Albacora. Em setembro de 1968, foi, pela primeira vez, lançado ao mar, em Nantes, França. No ano seguinte, entrou ao serviço da Armada portuguesa.

Com 896 toneladas, 57,78 metros de comprimento e composto por dois motores elétricos e dois geradores a diesel, o Delfim navegou 44.307 horas, 30.743 em imersão no Atlântico e no Mediterrâneo.

Em dezembro de 2005, o submarino da Marinha portuguesa fez a sua última viagem, do Cais de Sesimbra até à base naval do Alfeite. Na altura, os planos seriam ter a embarcação atracada até 2010, quando seria entregue à Câmara Municipal de Viana do Castelo e transformado num espaço turístico de visita, mas isso não chegou a acontecer.

O submarino acabou por permanecer no estaleiro da Lisnave na Margueira, desativado desde 31 de dezembro de 2000 e onde estão as embarcações desativadas da Marinha.

Entre as missões do Delfim, destacam-se as da Guerra Fria (1989) e exercícios nacionais e da Aliança Atlântica (NATO). Nos últimos anos, dedicou-se, principalmente, a ações de vigilância, recolha de informações estratégicas para o Estado e apoio avançado à Força Naval.

Em setembro de 2006, foi desarmado e, em agosto de 2010, abatido e, por isso, não tem agora valor militar para a Marinha, sendo apenas de interesse para o público.

Habitualmente, após o desarmamento, este tipo de embarcações tem um de três destinos: ser desmantelado, usado como polo museológico ou afundado para criar um recife.

Veja m,ais em ::::> Jornal de Notícias

Almada 25 de Abril 2018 (vídeo)

25/04/2018
Fórum Romeu Correia
Assembleia Municipal de Almada
Sessão comemorativa dos 44 anos do 25 de Abril
Praça do MFA
Desfile das Colectividades

Click aqui para ver as fotos

Assembleia Municipal de Almada 28-02-2018

Proposta da Câmara Municipal relativa à regularização dos trabalhadores precários no Municipio.

1- Teodolinda Silveira
2- João Geraldes
3- IVAN GONÇALVES
4-Inês de Medeiros

5- João Geraldes

6-Teodolinda Silveira

7-
8-

Costa da Caparica-XIX Grande Prémio Atlântico

25 de Fevereiro 2018
Resultados:
1 1631 MARCO TEIXEIRA
2 979 JOAO MOTA
3 1014 VITOR OLIVEIRA

O Núcleo Sportinguista de Costa de Caparica, em colaboração com a Câmara Municipal de Almada, a Junta de Freguesia da Costa de Caparica e com o apoio técnico da Associação de Atletismo de Setúbal e da Xistarca, realizou hoje, pelas 10 horas, o 19º Grande Prémio Atlântico.

A prova teve um percurso com 10 km de distância, com partida e chegada junto da nova Sede do Núcleo Sporting da Costa da Caparica (Av. General Humberto Delgado 35, CC Caparica Oceano 1.º Lj 18), perto do Tarquínio – Beach Bar.
A Caminhada teve 4 km de extensão.

vEJA MAIS fOTOS EM ____> Almada 2018

Almada 2018 Brejo, Alagoa e Chegadinho (vídeo)

Parque da Paz e arredores


CLICK AQUI PARA VER MAIS FOTOS

Carnaval 2018 no Montijo (Vídeo)

13 de Fevereiro
Cortejo carnavalesco junto à igreja

Click aqui para ver as FOTOS

Nós sempre fomos contra a necessidade de recorrer a situações de trabalho precário

Assembleia Municipal de Almada
09 de Fevereiro 2018

João Geraldes Deputado da CDU na Assembleia Municipal de Almada

“Não há nenhuma disputa entre a CDU e o PS em matéria rigorosamente nenhuma desde o início do mandato, há uma tentativa da Câmara e da actual maioria de justificar as opções que tomam em função do mandato anterior.”
“Relativamente á questão dos vínculos precários, não há ninguém neste País nem nenhuma organização Política que mais que a CDU tenha lutado contra o trabalho precário.”

“Dizer que o antigo executivo dizia que não tinha precários e depois tinha 51 trabalhadores precários a trabalhar na Autarquia, não é sério.
É preciso não esquecer porque é que as autarquias tiveram de recorrer a trabalho precário.
É preciso não esquecer que o PS, o PSD e o CDS, assinaram com a Troika estrangeira um acordo que impôs ás autarquias locais a redução em 2% dos seus trabalhadores e impediu a contratação de trabalhadores durante anos.
Como é que se garantia os serviços que as Autarquias têm de prestar às populações?
Qual era a opção ?
Era fechar os serviços e deixar as populações sem esses serviços?
Não foi essa a opção.
Nós sempre fomos contra o trabalho precário.
Nós sempre fomos contra a necessidade de recorrer a situações de trabalho precário para satisfazer necessidades permanentes.
Simplesmente foi a lei que o PS o PSD e o CDS impuseram ao País e obrigaram a generalidade da Autarquias a seguir uma via que não é a via que as Autarquias defendem .”
“É preciso sermos sérios .
No final do mandato anterior, com a mudança politica Nacional, estávamos a resolver o problema.
Aliás como se continua a resolver o problema e como todos nós defendemos que o problema se resolva.
É preciso ter sentido de Estado relativamente a estas matérias, é preciso ser sério quando se fazem as afirmações que se fazem”

Inês de Medeiros – Presidente da Câmara Municipal de Almada

“Senhor deputado João Gerales se me permite, mas não creio que tenha autoridade para pôr em causa a minha seriedade e a seriedade das minhas palavras, e se eu não desminto imediatamente e com factos que até o Sr. Deputado conhecia até pela posição que ocupava é por respeito pela privacidade de alguns membros inclusivamente da sua bancada, e ai poderíamos falar de seriedade “
“Da nossa parte não pomos os trabalhadores no meio de nenhuma disputa, mas uma coisa é proclamar direitos dos trabalhadores e outra coisa é pôr em prática políticas e criar as condições de trabalho que protegem os trabalhadores.
É ou não é verdade que havia 51 trabalhadores ?
É ou não verdade que a Câmara de Almada chegou a recorrer á Manpower para contratar pessoas?
É ou não é verdade que fez outsourcing e nenhuma lei o impedia como nem em Almada nem em nenhum outro Município para contratar os monitores de natação e os trabalhadores das piscinas que estavam convencidos que trabalhavam para a Câmara Municipal de Almada .
É ou não é verdade que esse contrato com essa Empresa …..
Terei todo o gosto de enviar para esta Assembleia todos os documentos que comprovam , e mais, terei todo o gosto de enviar também as atas onde o anterior Presidente declarava solenemente suponho com sentido de Estado, que em Almada não havia percários.
Afinal havia ou não havia?”

Inês de Medeiros “A limpeza é de facto uma das nossas grandes prioridades”

Assembleia Municipal de Almada
8 de Fevereiro 2018
Charneca de Caparica

Inês de Medeiros Presidente da Câmara Municipal de Almada:

“A limpeza é de facto uma das nossas grandes prioridades, dizemos isso desde o início e temos feito um grande esforço é bom já ver efeitos mas é evidente que estamos a fazer com aquilo que ainda está e com os meios e organização que temos e é nossa intenção não só continuar mas até redobrar de eficácia reorganizando e investindo em material para que Almada passe a ser conhecida pela sua limpeza de Almada e não pelo contrário.”

“Relativamente à preocupação do traçado da estrada 377, quero confirmar que estamos em conversações com a REN por causa do enterramento das linhas .
O famoso traçado que o anterior executivo dizia estar fixado, nunca foi aceite pela REN.
A Câmara tinha vontade num traçado mas a REN não concordava com o mesmo.
Portanto o impasse era esse mesmo, a REN não concordava com o traçado que a então Câmara Municipal queria.
Estamos em conversações para um novo traçado que vai abranger a 377.
Esse traçado, quando houver uma resposta definida, será apresentado em sede de Poder Local Democrático ou seja em reunião de Câmara.
E é nestas instâncias que se avalia a vontade das populações .
Nós não temos a convicção de saber antecipadamente qual é a opinião das populações.”

Assembleia Municipal de Almada – 8 de Fevereiro 2018

Reportagem TV ALMADA no Vitíria Clube Quintinhas na Charneca de Caparica

Almada 2018 Barrocas

Entre a Nora de Ferro o cavaleiro Quim Zé e o Clube do Figo



Click aqui para ver mais fotos

Seo wordpress plugin by www.seowizard.org.