Câmara Municipal de Almada rejeita suspensão do transporte de bicicletas nas carreiras fluviais da Transtejo

Coincidindo com o final da Semana Europeia da Mobilidade, celebrada em milhares de cidades em todo o mundo e este ano especialmente dedicada à promoção da intermodalidade, foi dado público conhecimento da existência de “inconformidades legais” que impedirão o transporte de bicicletas nos navios da Transtejo que realizam as ligações fluviais Cacilhas/Cais do Sodré, Seixal/Cais do Sodré e Montijo/Terreiro do Paço.

transtejo
Sobre este assunto a autarquia refere que importa realçar:

– O Município de Almada tem aderido desde 2001 à celebração da Semana Europeia da Mobilidade, aquela que constitui a maior campanha à escala mundial dedicada à promoção de uma mobilidade urbana sustentável.

– Esta celebração, que mobiliza a participação de dezenas de Municípios portugueses e milhares em toda a Europa, tem contado de forma permanente com a colaboração ativa de muitas outras entidades, associações, coletividades e operadores de transportes públicos, entre eles a Transtejo.

– Nas 15 edições da Semana Europeia da Mobilidade já realizadas em Almada, a Câmara Municipal promoveu a introdução de medidas duradouras, entre as quais as que procuram estimular a diversificação da oferta do sistema de transportes, e promover a intermodalidade enquanto fator essencial para a melhoria das condições de mobilidade dos cidadãos, tanto no interior do Concelho de Almada como na sua articulação com a região metropolitana onde se insere.

– No quadro deste esforço municipal destaca-se a criação de alternativas de transporte mais sustentáveis e ambientalmente mais eficientes, como é o caso da bicicleta, cuja utilização permite reduzir o nível de emissões carbónicas associadas a deslocações em modos motorizados, e deste modo contribuir para elevar a qualidade de vida das populações.

– A utilização da bicicleta em conjugação com o transporte público fluvial constitui, no âmbito deste trabalho, uma alternativa de transporte muito atrativa na ligação entre margens do rio Tejo Almada/Lisboa, e igualmente nas ligações que se estabelecem ao longo de todo o arco ribeirinho sul.

– Neste âmbito, a Câmara Municipal de Almada deu prioridade ao investimento na implantação de percursos intermodais bicicleta/barco ao nível da sua Rede Ciclável, assegurando ligações à estação fluvial da Trafaria e ao interface multimodal de Cacilhas, numa solução de transporte que constituiu uma alternativa de mobilidade barata, saudável e interessante em termos urbanos, ambientais e energéticos.

Assim, a Câmara Municipal de Almada não pode deixar de lamentar profundamente a situação criada, a qual coloca em causa muitos anos de esforço conjunto do Município e operadores de transportes públicos, designadamente a Transtejo, um trabalho que permitiu numa primeira fase a criação de um passe intermodal passageiro/bicicleta, que se traduziu numa redução sensível dos custos de transporte de bicicleta entre Almada e Lisboa e, numa segunda fase, no transporte gratuito de bicicletas entre as duas margens.

Face a esta situação, a Câmara Municipal decidiu dirigir-se à Administração da Transtejo e à Direção-Geral dos Recursos Naturais, Segurança e Serviços Marítimos, no sentido de que sejam desencadeados, com a máxima celeridade, os procedimentos que permitam o respeito por todas as normas legais aplicáveis ao transporte de bicicletas nos navios da Transtejo, e que no período até à introdução das adaptações necessárias, o transporte de bicicletas não seja suspenso.

Veja mais em :::> Rostos

Comments are closed.

Seo wordpress plugin by www.seowizard.org.