Category: Câmara Municipal

Vereador eleito pelo Chega em Sesimbra demite-se do partido

Por Redação S+ Imagem DR -30 de Dezembro, 2021

Márcio Souza anunciou esta quinta-feira a demissão do partido, com o qual diz estar “em desacordo total”, e mantém-se como independente.

Na sua página pessoal no Facebook, o vereador da câmara de Sesimbra e coordenador do Núcleo Concelhio do Chega, Márcio Souza, anunciou que deixou o partido. “É meu dever comunicar a todos os sesimbrenses, principalmente aqueles que em mim votaram nas últimas eleições autárquicas, que a saída do partido Chega é uma realidade”, lê-se na publicação.

Márcio Souza justifica a decisão com o “desacordo total com a forma de atuação do partido, nomeadamente pela Distrital de Setúbal”, e garante que vai continuar como vereador independente. “Tudo farei para honrar os compromissos que assumi com a comunidade, de forma a contribuir para a melhoria de vida de todos os Sesimbrenses, sem exceção”, afirma.

Segundo o JN, uma fonte oficial do Chega em reação à demissão disse que “não tolerará eleitos com o nome do partido que se vendam aos socialistas e aos comunistas”. Neste caso concreto, acrescenta a mesma fonte, “o vereador apenas passa a independente por saber que seria expulso do partido devido à sua conduta imprópria”.

Márcio Souza foi eleito vereador com 1805 votos (9,34%) nas eleições autárquicas de setembro passado. No sufrágio, a CDU foi a força política mais votada e elegeu três vereadores. Em segundo lugar ficou o PS, também com três vereadores. O candidato do Chega, apesar de eleito como vereador, é o único dos sete que não tem pelouros atribuídos e mantém-se como sócio-gerente de um estabelecimento de restauração.

Recorde-se que o Chega elegeu 19 vereadores nas últimas autárquicas e tem atualmente 17, pois perdeu dois. Para além de Márcio Souza, o Chega já tinha perdido a vereadora Cidália Figueira, eleita por Moura. Também neste caso a eleita alegou divergências políticas e o partido respondeu que a retirada de confiança política já estava em cima da mesa devido a uma alegada aproximação ao PS.

veja mais EM :::> semmais

Câmara de Almada já tem Pelouros

Inês de Medeiros / PS – Presidente da Câmara

Pelouros:

Administração Geral e Finanças , Autoridade Veterinária, Planeamento Urbanistico, Inovação, Clima Energia e Cultura, englobando genericamente os seguintes serviços:

– Gabinete da Presidência;

– Gabinete de apoio à Câmara Municipal;

– Gabinete de Apoio à Assembleia Municipal:;

– Divisão de Modernização Asministrativa e Gestão Territorial;

– Controlo do Risco, Governação e Auditoria e sua Divisão de Auditoria e Controlo interno;

– Divisão de Finanças e respetivas unidades;

– Departamento de Planeamento Urbanístico e respetivas divisões;

. Departamento de Inovação, Ambiente, Clima e Sustentabilidade, com excepão da Divisão de Educação e Sensibilização Ambiental;

– Departamento de Cultura e respetivas divisões.

Teodolinda Silveira / PS – Vice Presidente

– Departamento de Recursos Humanos e respetivas divisões;

– Departamento de Higiene Urbana e respetivas divisões;

– Divisão de Educação e Sensibilização Ambiental;

– Departamento de Educação e respetivas divisões;

. Divisão de Intervenção e Integração Social e respetiva subunidade.

José Pedro Ribeiro / PS – Vereador

 Infraestruturas e Obras Municipais, Administração Urbanística, Economia e Desemvolvimento Local, englobando genericamente os seguintes serviços:

– Departamento de Infraestruturas e Obras Municipais e respetivas divisões;

– Departamento de Administração Urbanística e respetivas divisões;

– Departamento de Economia e Desenvolvimento Local e sua Divisão de Desenvolvimento Económico e Emprego, incluindo as respetivas subunidades;

– Divisão de Infraestruturas Viárias e Iluminação Pública e respetivo serviço.

Francisca Parreira / PS – Vereadora

Proteção Civil e Segurança, Atendimento ao Munícipe, Assuntos Juridicos e Fiscalização Municipal, Patromónio e Compras, englobando genericamente os seguintes serviços;

Serviço Público,

– Divisão de Administração Geral e Atendimento e respetivo serviço,

– Departamento de AssuntosJurídicos e respetivas divisões:

– Departamento de Património e Compras e respetivas divisões.

Filipe Pacheco / PS – Vereador

Sistemas de Informação, Manutenção de Equipamentos e Frota, Comunicação, Habitação, Desporto e Juventude, englobando genericamente os seguintes serviços:

– Departamento de Comunicação e respetivas divisões;

– Serviço de Veterinário Municipal;

– Departamento de Desporto e Juventude e respetivas divisões;

– Divisão de Habitação e Serviço de Manutenção de Habitação Social.

Nuno Matias / PSD – Vereador

Controlo do Risco, Espaços Verdes, Turismo, Mercados, Comércio e Espaço Público, englobando genericamente os seguintes serviços:

– Divisão de Acompanhamento e Controlo da Atividade Orçamental;

– Divisão de Turísmo

– Departamento de Espaços Verdes e Serviços Conexos e respetivas divisões, com exceção do Serviço de Veterinário Municipal;

– Divisão de Mercados, Comércio e Espaço Público

Novas caras na Câmara Municipal de Almada

16/10/2021

Eleitos para o mandato de 2021 a 2025

Inês de Medeiros
Maria das Dores Meira
Teodolinda Silveira
António Matos
José Pedro Ribeiro
Nuno Matias
Francisca Parreira
José Luís Bucho
Filipe Pacheco
Helena Azinheira
Joana Mortágua
Inês de Medeiros

2021 Tomada de Posse da Câmara Municipal de Almada

16 de Outubro 2021

As vitórias e derrotas na Península de Setúbal

27 de Outubro 2021

Inês de Medeiros reforça vitória em Almada

Inês de Medeiros consegue reforçar a vitória em Almada, mantendo assim a Câmara na gestão do PS

A CDU, com Maria das Dores Meira, mantém os mesmos quatro eleitos na Câmara, ao recolher 21 006 votos, e uma percentagem de 29,69%.

CDU vence em Sesimbra mas sem maioria absoluta

Francisco Jesus reeleito. PS ganhou Freguesia de Quinta do Conde. Chega elegeu um vereador

No total dos votos, a CDU obteve 34,5% e três vereadores, o PS ficou com 30% e também três vereadores. O sétimo vereador ficou para o Chega, que foi a terceira força mais votada, à frente do PSD e do movimento independente Sesimbra Unida.

O PS conseguiu conquistar a Junta de Freguesia da quinta do Conde, a maior do concelho, sendo que nas outras duas a CDU segurou a maioria absoluta.

CDU pode perder Moita para o PS

Carlos Albino novo Presidente da Câmara da Moita

PS e já ganhou freguesias da Moita, Alhos Vedros e Gaio Rosário

Joaquim Santos sobe votação no Seixal

Henrique Freire, do Chega, foi eleito vereador na Câmara do Seixal, com 8,07% (5 022 votos) sendo o único eleito do partido de André Ventura no Distrito de Setúbal. Consegue assim ultrapassar o Bloco de Esquerda, que não elege Francisco Morais.

O comunista Joaquim Santos é reeleito presidente da Câmara do Seixal, com 23 485 votos, o que lhe confere 37,74%, e cinco mandatos (36,54% em 2017). O PS, com Eduardo Rodrigues como cabeça-de-lista obteve 19 204 votos que resulta em 4 mandatos e uma percentagem 30,86.

O PSD, elege Bruno Vasconcelos com 5 795 votos (9,31%).

Na votação para a Câmara, o PS vence na Freguesia de Fernão Ferro, e a CDU na União de Freguesias de Seixal/Arrentela/Aldeia de Paio Pires, na Amora e em Corroios.

Álvaro Amaro dá novo triunfo à CDU em Palmela mas ainda não chega à maioria absoluta

A CDU estás prestes a reeditar mais uma vitória com Álvaro Amaro em Palmela, mas pode não alcançar a maioria absoluta que perdeu há quatro anos.

Carlos de Sousa, cabeça-de-lista pelo Movimento Independente pelo Concelho de Palmela, é eleito para a vereação. Já José Calado, pelo MIM/CDS, perde o lugar que ocupava no executivo.

O PS, segunda força mais votada para a Câmara Municipal, mantém a Junta de Palmela e conquosta a Junta de Quinta do Anjo à CDU.

A CDU mantém as juntas de Pi hal Novo e da União das Freguesias de Poceirão e Marateca.

PS à frente no Montijo mas deve perder maioria absoluta

O PS, com Nuno Canta, lidera a votação para a Câmara Municipal do Montijo, mas está em risco de perder a maioria absoluta reconquistada há quatro anos.

A coligação PSD/CDS/Aliança é neste momento a segunda força política mais votada.

A CDU conquistou a Junta de Freguesia de Sarilhos Grandes ao PS.

CDU à frente em Setúbal deve vencer com maioria relativa

André Martins garante CDU na Câmara Municipal de Setúbal com maioria relativa

Na votação para a Câmara Municipal a CDU tem mais 1100 votos do que o PS e para a Assembleia Municipal essa vantagem é de 1050 votos.

Com estes resultados, a CDU tem garantidos 5 vereadores, o PS 4 e o PSD 2.

BARREIRO

Advogados criticam Câmara de Almada por queixa-crime contra ocupação ilegal de casas camarárias

Observador 04 set 2021

O advogado que representa 10 arguidos diz que a Câmara poderia ter evitado o recurso ao tribunal pois “dispõe de mecanismos que lhe permitiam resolver o problema da ocupação ilegal das casas”.

Advogados de defesa dos arguidos acusados de ocupação ilegal de casas camarárias na freguesia do Laranjeiro, criticaram esta sexta-feira a Câmara Municipal de Almada por ter avançado com uma queixa-crime em vez de resolver o caso através de procedimentos administrativos.

Alega também, que, ao longo dos últimos três anos, a Câmara Municipal de Almada não só não retirou os processos em causa a alguns moradores que manifestaram a intenção de abandonar os imóveis, como também não fez nada para resolver a situação daqueles que não têm qualquer outro espaço para viver, nem meios para alugar ou adquirir uma habitação.

“Entre os arguidos temos pessoas analfabetas, que nem sequer sabem recorrer aos apoios legais a que possam ter direito, pessoas com problemas de violência doméstica e pessoas com deficiência”, sublinhou.

“Nesta sessão do julgamento também ficou claro que, em 2018, quando os factos ocorreram, não houve nenhuma tentativa, por parte da Câmara Municipal de Almada, de encaminhar estas pessoas, que estavam numa situação de ocupação de fogos municipais”, acrescentou Vasco Barata.

O advogado referiu ainda que “a lei da renda condicionada estabelece, para quem está numa situação de despejo ou numa situação de desocupação, que tem que ser encontrada uma solução de reencaminhamento para uma solução legal de habitação, para que não tenham, única e exclusivamente, a rua como solução. E, para que haja, por parte dos poderes públicos, essa preocupação de encontrar soluções legais”, acrescentou.

Um argumento que também foi sublinhado na audiência pelos advogados de outros arguidos no processo, que não só criticaram a Câmara de Almada por ter instaurado um processo-crime pela ocupação ilegal de casas, que consideraram um procedimento excessivo, como também acusaram a autarquia de, ao longo dos últimos três anos, pouco ou nada ter feito para tentar resolver o problema habitacional das famílias em causa.

Naquela que foi a última sessão do julgamento antes das alegações finais, o Tribunal de Almada ouviu também a vereadora da Ação e Intervenção Social e Habitação, Teodolinda Silveira, que, confrontada com a alegada ausência de soluções do município para as pessoas que ocuparam as casas, disse que a resposta de emergência para este tipo de casos é da responsabilidade da Segurança Social.

“A resposta de primeira linha para casos de emergência é da Segurança Social”, disse Teodolinda Silveira, acrescentando que há sempre um acompanhamento destes casos por parte da autarquia.

Teodolinda Silveira, que tal como a presidente da Câmara de Almada foi ouvida por videoconferência, salientou ainda que as pessoas que são alvo de ações de despejo são colocadas numa lista de espera, de acordo com o regulamento do município para atribuição de habitação social, mas reconheceu que a Câmara de Almada não tem casas para responder a todos os pedidos dos munícipes.

Na audiência de esta sexta-feira teve também lugar uma acareação, entre a mãe de um dos arguidos, que garantiu ter entregue a chave do apartamento ocupado pelo filho, e um funcionário da Câmara de Almada, que nega ter recebido a referida chave.

O funcionário admitiu que recebeu a mãe do arguido nas instalações da Câmara Municipal, mas, como já tinha dito antes em tribunal, reafirmou que a chave do imóvel não lhe foi entregue, pelo que, face às versões contraditórias, será o tribunal a valorar cada um dos testemunhos.

A agência Lusa tentou ouvir a advogada da Câmara de Almada, que recusou prestar declarações.

As alegações finais terão lugar na próxima sessão do julgamento, prevista para as 14h00 de 21 de setembro.

Veja mais em ::::> Observador

Almada em debate

Na contagem decrescente para as Eleições Autárquicas, que terão lugar no final do mês de setembro, a RTP realiza um ciclo de 22 debates, com a moderação de António José Teixeira, Hugo Gilberto, Vítor Gonçalves e Luísa Bastos. A RTP dá voz a todos os candidatos à Câmara Municipal de todas as capitais de distrito e ainda Almada, Amadora, Figueira da Foz e Odemira.

Hoje em debate vão estar os projetos e as ideias das candidaturas que se apresentam a votos para a Câmara Municipal de Almada.

O debate acontece esta quarta-feira, às 22,20h, na RTP3.

O Iniciativa Liberal apresenta Bruno Coimbra. Nascido e criado em Almada, Bruno Coimbra, de 45 anos, licenciou-se em Português e Inglês e é atualmente professor do ensino básico e secundário. Tem ainda uma pós-graduação em Administração e Gestão da Educação na Universidade Técnica de Lisboa. Em 2013 foi cabeça de lista à Junta de Freguesia da Costa de Caparica pelo Movimento de Cidadania pela Costa.
O PS volta a concorrer à Câmara de Almada com Inês de Medeiros
, a autarca em exercício. A atriz e realizadora de 53 anos, nascida em Viena, venceu as eleições autárquicas há quatro anos, dando a primeira vitória ao PS na cidade profundamente comunista. Foi mandatária da campanha de Jorge Sampaio à Presidência da República, em 1996, e foi eleita deputada na Assembleia da República pelo PS, no círculo de Lisboa, nas legislativas de 2009.

O BE recandidata Joana Mortágua à Câmara de Almada. A deputada bloquista, de 34 anos, é vereadora na cidade da Margem Sul do Tejo desde 2017. Licenciada em Relações Internacionais, Joana Mortágua fixou-se no Bloco de Esquerda aos 18 anos e foi eleita deputada pelo círculo de Setúbal em 2015. Foi candidata à Câmara Municipal de Almada nas últimas autárquicas de 2017, onde foi eleita vereadora.

Manuel Matias concorre pelo Chega. 
Tem 54 anos, é residente no Seixal, mas grande parte da sua vida profissional esteve ligada a Almada. Atualmente é assessor do líder do Chega, André Ventura, na Assembleia da República. Manuel Matias está envolvido nas mais recentes polémicas que acusam o Chega de nepotismo, dado que vários nomes da sua família surgem em diferentes candidaturas autárquicas também pelo partido de extrema-direita.

A CDU procura recuperar Almada com a candidata Maria das Dores Meira. A candidata de 64 anos é a atual presidente da Câmara de Setúbal. Há 15 anos neste cargo, Maria das Dores de Meira esgotou o limite de mandatos e está impedida de se recandidatar a presidente da Câmara de Setúbal. Concorre agora para Almada, onde reside desde os 12 anos. A candidata comunista licenciou-se em Direito pela Universidade Internacional de Lisboa, tendo-se pós-graduado em Direito de Propriedade Intelectual pela Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa. Entre 2002 e 2006 exerceu o cargo de Vereadora da Cultura, Educação, Juventude, Desporto e Inclusão Social na Câmara de Setúbal.

Nuno Matias, 44 anos, é o candidato pela Coligação Almada Desenvolvida (PSD, CDS, Aliança, MPT, PPM). Licenciado em Economia, Nuno Matias é o atual presidente da concelhia do PSD Almada e vereador na Câmara Municipal de Almada com os pelouros do ambiente, energia, espaços verdes, bem-estar animal e cemitérios.

O PAN apresenta Vítor Pinto, natural de Almada. Com 43 anos, o candidato é especialista em Medicina Tradicional Chinesa e técnico de acupuntura. Está também ligado ao grupo cénico da Sociedade Filarmónica Incrível Almadense. Vítor Pinto juntou-se ao PAN em 2019.Almada em números:População: 177 400 (+ 1,9% em relação a 2011)
N.º de eleitores: 151 676
Desemprego: 6,1%
Setor com mais trabalhadores: Serviços (16,3%)
Rendimento médio mensal: 1 161€

Veja mais em ::::> RTP3

1 de Setembro 2021

CDU luta por recuperar maioria na Câmara de Almada

por RTP 30 Agosto 2021

Em Almada, disputa-se uma das batalhas eleitorais mais acesas destas autárquicas. Desde 1976 que o munípicio era governado pelos comunistas mas há quatro anos, a CDU perdeu a câmara para o PS. Agora apostam na autarca que veio de Setúbal para derrotar Inês de Medeiros.

Veja mais em ::::> RTP3

Fazer o que ainda não foi feito

25 de Agosto 2021

António Matos

Largo na Rua Capitão Leitão

Várias ações de qualificação urbana avançarão em todas as freguesiasEste destaque diz respeito a uma transformação urbana na Rua Capitão Leitão, no sentido de ampliar os espaços públicos de encontro e estadia.

O Município procederá à aquisição dos imóveis contíguos ao Museu da Música Filarmónica. O primeiro desses edifícios será utilizado para a ampliação do Museu, que será renovado e reaberto ao público com um programa de animação permanente. O segundo desses edifícios é o “prédio da SINGER” que será demolido para dar lugar a um novo Largo, com zonas de estadia, que incluirá uma pérgola e espaços de circulação pedonal e encontro.

Esta intervenção insere-se numa estratégia de refuncionalização urbana de Almada Velha, a que está associado um programa de revitalização da vida económica, associativa e cultural local.

O edifício dos Paços do Concelho será, logo após as obras de beneficiação em curso, de imediato reaberto.

PS Almada

A má fé ou o simples desconhecimento levam o PCP e a CDU a prometer o que foi feito pelo executivo municipal liderado pelo Partido Socialista. Em Almada vê-se a diferença, por exemplo, com a pedonalização do troço final da Rua Capitão Leitão, que aumentou o espaço de lazer e de comércio nesta emblemática rua da cidade de Almada que, como tantas outras, foi vítima de desleixo durante décadas pelos executivos liderados pelo PCP e pela CDU. Almada não quer regressar ao passado!

Câmara de Sesimbra reúne com moradores do Bºda Boa Água na Quinta do Conde

2 de MAio 2021

Decorreu na manhã de 2 de maio uma reunião entre a autarquia e os moradores do bairro da Boa Água, na Quinta do Conde, onde vivem 47 famílias, para explicar as obras de requalificação do espaço público que estão em curso assim como as intervenções previstas para os blocos de habitação.

Os trabalhos de melhoria do espaço público que estão a ser feitos entre os edifícios incluem a colocação de mais bancos, plantação de oliveiras e criação de canteiros com plantas como alecrim ou rosmaninho.Numa segunda fase, que deverá ter início brevemente, avançarão as obras nos edifícios de habitação, nomeadamente o isolamento e pintura das fachadas dos seis blocos. «Vamos ainda substituir, reparar e isolar as coberturas para evitar infiltrações», adiantou o vereador com o Pelouro das Obras Municipais, Sérgio Marcelino.

Presente neste encontro, a vereadora com o Pelouro da Ação Social e Habitação, Felícia Costa, acrescentou que a autarquia deverá apresentar uma candidatura, no âmbito Plano de Recuperação e Resiliência, para financiamento da construção de 71 novos fogos de habitação social na zona da Ribeira do Marchante e um bloco no Conde 1.

Veja mais em ::::> Câmara Municipal de Sesimbra 

Seo wordpress plugin by www.seowizard.org.