Tag: autárquicas 2021

CDU luta por recuperar maioria na Câmara de Almada

por RTP 30 Agosto 2021

Em Almada, disputa-se uma das batalhas eleitorais mais acesas destas autárquicas. Desde 1976 que o munípicio era governado pelos comunistas mas há quatro anos, a CDU perdeu a câmara para o PS. Agora apostam na autarca que veio de Setúbal para derrotar Inês de Medeiros.

Veja mais em ::::> RTP3

Maria das Dores Meira começa a ser julgada por quatro crimes

9.05.2021

Presidente da Câmara de Setúbal começa a responder esta quarta-feira, no tribunal da cidade, por dois crimes de peculato de uso e por outros dois de abuso de poder. Sessão começa logo pela manhã e decorrerá durante todo o dia

uase quatro anos após a Câmara de Setúbal ter distribuído milhares de folhetos, nos quais foi usada uma imagem de um outdoor do PSD a criticar o elevado IMI (Imposto Municipal sobre Imóveis) da cidade, Maria da Dores Meira vai começar a ser julgada, esta quarta-feira, 19 de maio, por dois crimes de peculato de uso e mais dois crimes de abuso de poder.

Qual a razão para responder em dose dupla por tais crimes, cuja pena de prisão máxima num dos crimes vai até um ano e no outro até três anos? Já após estar a ser investigada no âmbito daquele caso, em que o município assumiu os custos da propaganda a elogiar a gestão da CDU, a presidente da câmara deu ordens para repetir um ataque à oposição, dessa vez contra o PS, que contestara o IMI mais alto do País.

No final de 2017, a autarquia colocou outdoors, nos quais acusou o PS de não defender a nível nacional a descida do teto máximo da taxa daquele imposto.

À Polícia Judiciária, a Comissão Nacional de Eleições considerou que, em ambos os casos, estiveram “mensagens político-partidárias” violadoras dos “especiais deveres de neutralidade e imparcialidade”.

O chefe de comunicação da autarquia ainda chegou a assumir a responsabilidade. Mas, depois, segundo o processo consultado pela VISÃO, Dores Meira garantiu que havia sido ela a ordenar as impressões, por considerar injusto que a câmara fosse acusada de ter um IMI alto – quando estaria obrigada a tal pelo contrato de reequilíbrio financeiro, estabelecido em 2002.

Porém, o Ministério Público concluiu, com base em vários pareceres de organismos do Estado, e até despachos já do atual Governo, que o município não estaria obrigado a tal.

O arranque do julgamento está marcado para Tribunal Judicial de Setúbal às 9.15 horas e tem prevista a continuação da parte da tarde.

Apesar de este processo remontar ao início do mandato, o julgamento começa às portas da eleições autárquicas, em que Dores Meira termina o seu mandato em Setúbal e avança para a corrida à Câmara de Almada.

Veja mais em :::::> VISÃO

Maria das Dores Meira admite candidatar-se à Câmara de Almada

15/06/20 POR LUSA

A presidente da Câmara de Setúbal, Maria das Dores Meira, a cumprir o terceiro e último mandato no município, admitiu hoje candidatar-se à presidência da Câmara de Almada nas próximas eleições autárquicas, em 2021.

“Almada é um desafio. Ainda não está na hora de tomar essa decisão em definitivo, mas tenho sentido muita solicitação, muita pressão, de muitos almadenses, tendo em conta que moro em Almada e que estou a cumprir o meu último mandato em Setúbal”, disse Maria das Dores Meira, quando questionada pela agência Lusa sobre essa possibilidade.

“O trabalho autárquico é um trabalho que me seduz muito, que me alicia muito. Ver transformar, no dia-a-dia, o espaço público, o espaço de cultura, de desporto, aquilo que dá prazer às outras pessoas, para mim é muito empolgante, muito motivante, muito aliciante”, acrescentou a comunista.

A atual presidente da Câmara de Setúbal está legalmente impedida de se recandidatar ao cargo, dado que, de acordo com a legislação em vigor, não pode ir além de três mandatos consecutivos, mas nada a impede de ser cabeça-de-lista em qualquer outro município.

Maria das Dores Meira assumiu a presidência da Câmara de Setúbal em 07 de setembro de 2006, em substituição de Carlos de Sousa, que renunciou ao mandato depois de ter perdido a confiança política do PCP.

Três anos depois de ter sucedido a Carlos de Sousa, ganhou as primeiras eleições como candidata da CDU à presidência da autarquia, em outubro de 2009, feito que repetiu por duas vezes, em setembro de 2013 e outubro de 2017, sempre com maioria absoluta e aumentando o número de eleitos e a percentagem de votos – 38,83% (2009), 41,93% (2013) e 49,95% (2017).

Fonte da Direção da Organização Regional de Setúbal do PCP contactada pela agência Lusa disse que ainda não há uma decisão definitiva sobre o cabeça-de-lista em Almada para 2012 e escusou-se a confirmar ou a desmentir a candidatura de Maria das Dores Meira.

Apesar do silêncio oficial, outras fontes do PCP e da CDU disseram que a candidatura da atual autarca setubalense é “uma forte possibilidade” ou dão praticamente como certo que a escolha do PCP para cabeça-de-lista nas próximas eleições autárquicas em Almada irá recair em Maria das Dores Meira.

O município de Almada, no mesmo distrito, é presidido por Inês de Medeiros, eleita pelo PS.

Veja mais em ::::>Notícias ao Minuto

Carlos Sousa candidata-se a Palmela como independente

Depois de ter governado as câmaras de Palmela e Setúbal, Carlos Sousa retirou-se da política em rota de colisão com o PCP, do qual se desfilou. Agora está de volta, mas como independente

 

 

O ex-presidente da Câmara de Palmela Carlos de Sousa revelou ontem que vai recandidatar-se ao cargo como independente nas próximas eleições autárquicas, 19 anos depois de ter liderado os destinos daquele concelho pela CDU.
“Vou candidatar-me novamente a presidente da Câmara de Palmela, liderando um grupo independente de cidadãos”, anuncia o antigo autarca eleito pela CDU, numa carta a que a agência Lusa teve acesso e que vai ser enviada esta semana à população do concelho pelo grupo de cidadãos independentes – Movimento de Cidadãos pelo Concelho de Palmela.
“Sou o mesmo homem, com a mesma energia e dinâmica, os mesmos sonhos, mas com mais experiência enquanto gestor e enquanto ser humano”, acrescenta na missiva, Carlos de Sousa, que, além de presidente da Câmara de Palmela entre 1994 e2001, foi igualmente presidente da Câmara de Setúbal de 2001 a 2006, cargo que acabou por abandonar pouco depois de ter sido reeleito para um segundo mandato, em rota de colisão com o próprio partido, o PCP, que, entretanto, também deixou.
O antigo autarca comunista revela ainda que, ao longo dos últimos 14 anos, desde que deixou o município de Setúbal, declinou vários convites para se recandidatar, como independente, à presidência das câmaras municipais de Palmela e Setúbal.
Residente no concelho de Palmela, Carlos Manuel Barateiro de Sousa, de 68 anos, é, actualmente, presidente do Centro Social de Palmela e do Centro Jovem Tabor, em Setúbal.
Além da presidência dos dois municípios, Carlos de Sousa foi coordenador de dois planos de desenvolvimento regional – Plano Integrado de Desenvolvimento do Distrito de Setúbal e Plano Estratégico de Desenvolvimento da Península de Setúbal.
Já depois de se afastar do PCP, em 2006, Carlos de Sousa liderou vários projetos de desenvolvimento estratégico em Cabo Verde (2007-2010), em Angola (2013-2015) e Moçambique (2016).
Nas próximas eleições autárquicas, em 2021, Carlos de Sousa deverá ter como principal adversário o candidato designado pelo antigo partido, o PCP, principal força política da Coligação Democrática Unitária, que governa o concelho de Palmela com maioria absoluta desde as primeiras eleições autárquicas após a Revolução de Abril de 1974, com excepção do actual mandato, em que obteve apenas uma maioria relativa.

Veja mais em ::::> Diário da Região

Seo wordpress plugin by www.seowizard.org.